Investigações brasileiras sobre o transtorno de personalidade borderline: uma revisão integrativa<br> 10.20513/2447-6595.2016v56n1p29-37

  • Lucas de Holanda Leite Médico, discente do curso de Residência em Psiquiatria do Hospital Universitário Walter Cantídio.
  • Eugenio de Moura Campos Doutor em Farmacologia, professor adjunto da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Fortaleza (UNIFOR).
Palavras-chave: Transtorno de personalidade borderline. Psiquiatria. Psicopatologia.

Resumo

Transtorno de Personalidade Borderline (TPB) é um sofrimento mental grave que apresenta demandas complexas à atenção clínica e à sociedade, principalmente devido à instabilidade das relações interpessoais e intrapessoais, assim como a impulsividade acentuada e o risco de suicídio. O presente estudo objetivou realizar uma análise da produção científica brasileira acerca do TPB. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura publicada no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2014 nas bases de dados: Lilacs e Medline. A seleção foi baseada no entre cruzamento de palavras-chave indexadas nos Descritores em Ciências da Saúde: “Borderline Personality Disorder”, “Therapy”, “Psychotherapy” e “Drug Therapy”, sendo utilizadas todas as combinações possíveis, com os recursos disponibilizados pelos operadores booleanos. A partir desse levantamento, identificou-se a ênfase dada à busca de diagnóstico por neuroimagem; o relato de experiências exitosas de psicoterapias e a lacuna em pesquisas que discutam a utilização de fármacos. Evidencia-se a complexidade dos critérios diagnósticos e as graves características do TPB, como autolesões e tentativas de suicídio. Por fim, ressalta-se a necessidade de que se construa uma atenção em saúde integral, envolvendo familiares e comunidade, na busca por produzir um cuidado resolutivo.

Biografia do Autor

Lucas de Holanda Leite, Médico, discente do curso de Residência em Psiquiatria do Hospital Universitário Walter Cantídio.
Médico, discente do curso de Residência em Psiquiatria do Hospital Universitário Walter Cantídio, Fortaleza, Ceará, Brasil.
Eugenio de Moura Campos, Doutor em Farmacologia, professor adjunto da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Fortaleza (UNIFOR).
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (1982), mestrado em Ciências Médicas na área de Saúde Mental pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará (2007). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Ceará e da Universidade de Fortaleza. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Psiquiatria, atuando principalmente nos seguintes temas: interconsulta psiquiátrica, qualidade de vida, distúrbios do sono e esquizofrenia.
Publicado
2016-06-30
Seção
ARTIGOS DE REVISÃO