Deficiência de vitamina B12 em pacientes de uma enfermaria de clínica médica em Fortaleza/CE<br>doi: 10.20513/2447-6595.2016v56n1p18-23

  • Jéssica Maria Moura Cassimiro Hospital Geral de Fortaleza, Universidade Estadual do Ceará
  • Gabriella Pequeno Costa Gomes de Aguiar Hospital Geral de Fortaleza
  • Otilio José Nicolau de Oliveira Hospital Geral de Fortaleza
  • Claudio Abreu Barreto Junior Universidade Estadual do Ceará
Palavras-chave: Deficiência de vitamina B12. Vitamina B12. Cianocobalamina.

Resumo

Foi realizado um estudo transversal que contou com 116 participantes que estiveram internados na enfermaria de Clínica Médica do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) nos seis primeiros meses do ano de 2015. O objetivo foi descrever a prevalência da deficiência de vitamina B12 e descrever as características clínicas em pacientes internados nessa unidade. A prevalência de deficiência de cobalamina foi de 18%. Encontramos que 40% dos pacientes apresentaram afecção neurológica não explicada por causas vasculares, 20% anemia macrocítica, 20% alcoolismo, 20% uso de inibidor de bomba de prótons, 10% uso de metformina, 10% dieta estritamente vegetariana, 10% diagnóstico de infecção por HIV, 10% diagnóstico prévio de gastrite atrófica e 10% diagnóstico prévio de hipotireoidismo. Em nenhum caso supracitado encontrou-se significância estatística (p < 0,05).

Biografia do Autor

Jéssica Maria Moura Cassimiro, Hospital Geral de Fortaleza, Universidade Estadual do Ceará
Graduanda do sexto ano de Medicina da Universidade Estadual do Ceará
Gabriella Pequeno Costa Gomes de Aguiar, Hospital Geral de Fortaleza
Médica Residente em Clínica Médica do Hospital Geral de Fortaleza
Otilio José Nicolau de Oliveira, Hospital Geral de Fortaleza
Médico Preceptor de Clínica Médica do Hospital Geral de Fortaleza
Claudio Abreu Barreto Junior, Universidade Estadual do Ceará
Graduando do quinto ano de Medicina da Universidade Estadual do Ceará
Publicado
2016-06-30
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS