Hepatite crônica pelo vírus C: avaliação da resposta virológica ao tratamento com os novos antivirais de ação direta

  • Flavio Esmeraldo Rolim Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Lúcia Libanez Bessa Campelo Braga Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • José Milton de Castro Lima Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Flavia Siqueira Furtado Mello Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Cibele Silveira Pinho Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Elodie Bomfim Hyppolito Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
Palavras-chave: Hepatite C, Gastroenterologia, Hepatologia, Genótipo, Tratamento, Resistência a medicamentos

Resumo

A hepatite C passa por uma revolução quanto ao tratamento livre de Interferon, através do uso de novos medicamentos antivirais, que aumentaram significativamente as taxas de cura e reduziram o índice de efeitos colaterais relacionados ao uso do Interferon. Objetivos: analisar as taxas de resistência viral à terapia combinada com uso dos antivirais Sofosbuvir, Daclatasvir e Simeprevir, avaliando ainda se existe diferença significativa entre pacientes experimentados e virgens de tratamento, quanto à eficácia dos novos medicamentos em cada um destes grupos. Metodologia: incluídos 290 pacientes, em 3 hospitais na cidade de Fortaleza‑CE, dos genótipos 1, 2 e 3 que concluíram o tratamento segundo as novas diretrizes, sendo então discriminados entre aqueles que atingiram resposta virológica e aqueles que não obtiveram sucesso após o uso das novas drogas. Resultados: 87% dos pacientes foram submetidos ao tratamento de 12 semanas, 29% daqueles submetidos ao tratamento já haviam sido transplantados e 60% já encontravam-se no estágio de cirrose hepática. 95% dos pacientes obtiveram êxito no tratamento. Dos 5% resistentes, contando no total 15 pacientes, 66% eram do genótipo 3, e 80% virgens de tratamento, sendo os 20% restantes já experimentados. Conclusões: o estudo em questão evidencia que os tratamentos da Hepatite C com os novos antivirais realizados nos serviços do Hospital Universitário Walter Cantídio encontram-se em sincronia com os resultados obtidos em estudos internacionais, com altas taxas de resposta virológica sustentada após o uso dos novos antivirais.

Biografia do Autor

Flavio Esmeraldo Rolim, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Médico, Hospital Haroldo Juaçaba, residente do programa de Gastroenterologia, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Lúcia Libanez Bessa Campelo Braga, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutora em Gastroenterologia, Chefe do serviço de Gastroenterologia, Preceptora do programa de Gastroenterologia, Professora, Universidade Federal do Ceará (UFC).
José Milton de Castro Lima, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Médico, Preceptor do programa de Gastroenterologia, Professor, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Flavia Siqueira Furtado Mello, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Médica, residente do programa de Gastroenterologia, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Cibele Silveira Pinho, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Médica residente do programa de Gastroenterologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
Elodie Bomfim Hyppolito, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
Médica, Serviço de Transplante Hépatico do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC).
Publicado
2018-12-26
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS