Ameloblastoma do seio maxilar: uma neoplasia odontogênica rara

  • Caio Calixto Diógenes Pinheiro Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Gabriela Maia Coelho Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Ulisses Meireles Filgueiras Filho Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Érika Ferreira Gomes Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Marcos Rabelo Freitas Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Viviane Carvalho Silva Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • André Alencar Araripe Nunes Universidade Federal do Ceará (UFC)
Palavras-chave: Ameloblastoma, Endoscopia, Seios paranasais

Resumo

Ameloblastoma sinonasal é uma neoplasia odontogênica rara, cuja exérese cirúrgica com margens é o tratamento padrão-ouro. Os acessos externos tradicionais (rinotomia lateral, osteotomia Le Fort 1 e acesso transpalatal), usados isoladamente e com extensa ressecção tumoral, são associados a sérios problemas funcionais e estéticos para o paciente, afetando negativamente sua morbidade e qualidade de vida. Relata-se o caso de um homem, 68 anos, diagnosticado com ameloblastoma de seio maxilar esquerdo, cuja exérese cirúrgica foi realizada com a utilização de técnica endoscópica endonasal combinada a um acesso externo (degloving médio-facial). Após 2 anos de seguimento pós-operatório, o paciente estava sem sinais de recidiva, sem perdas funcionais e estéticas. Sugere-se o uso da técnica endoscópica endonasal, combinada ou não a um acesso externo, para reduzir a morbidade associada ao tratamento cirúrgico.

Biografia do Autor

Caio Calixto Diógenes Pinheiro, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Residente de Otorrinolaringologia, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC).

Gabriela Maia Coelho, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Residente de Patologia, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC).

Ulisses Meireles Filgueiras Filho, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Residente de Otorrinolaringologia, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC).

Érika Ferreira Gomes, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Doutorado em Otorrinolaringologia, Otorrinolaringologista Assistente, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC).

Marcos Rabelo Freitas, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutorado em Cirurgia, Coordenador da Disciplina de Otorrinolaringologia, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Viviane Carvalho Silva, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutorado em Cirurgia, Supervisora do Programa de Residência de Otorrinolaringologia, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC).
André Alencar Araripe Nunes, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Residência Médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Chefe do Serviço de Otorrinolaringologia, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC).

Publicado
2018-12-26
Seção
RELATOS DE CASO