Síndrome do pulmão encolhido: rara manifestação pulmonar do lúpus

  • Raimundo Noberto de Lima Neto São Carlos Imagem
  • Lindenberg Barbosa Aguiar Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
Palavras-chave: Lúpus Eritematoso Sistêmico, Paralisia diafragmática, Tomografia computadorizada, Ultrassonografia

Resumo

Complicações torácicas em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico são eventos comuns, notando-se acometimento dos mais diversos órgãos e compartimentos. No pulmão, podem-se observar pneumonias intersticiais, bronquiolite, vasculites, dentre outros, havendo grande contribuição dos exames de imagem para caracterização destas enfermidades, bem como para o diagnóstico diferencial com infecções. Uma complicação raramente descrita é a síndrome do pulmão encolhido, condição caracterizada por marcada redução volumétrica pulmonar, elevação das hemicúpulas diafragmáticas e padrão restritivo na espirometria. Esta doença ainda não tem a fisiopatologia totalmente descrita. Relatamos um caso desta síndrome em paciente lúpica com dispneia progressiva, no qual foram empregados métodos de imagem tais como tomografia computadorizada do tórax e ultrassonografia das hemicúpulas, que demonstraram ausência de alterações parenquimatosas significativas e evidências de paralisia diafragmática à direita. Os achados foram adjuntos essenciais para a conclusão diagnóstica.

 

Biografia do Autor

Raimundo Noberto de Lima Neto, São Carlos Imagem

Médico formado pela Universidade Federal do Ceará. Médico Radiologista formado pelo Hospital Universitário Walter Cantídio. Observer fellow na Universidade de Maryland em Baltimore, EUA. Membro Titular do Colégio Brasileiro de Radiologia.

Lindenberg Barbosa Aguiar, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
Médico radiologista, Serviço de Radiologia e Diagnóstico por Imagem, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC).
Publicado
2018-12-26
Seção
RELATOS DE CASO