ROTEIRO DE AUDIODESCRIÇÃO DO FILME ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA: UMA ANÁLISE DO ESTILO AVALIATIVO VIA SUBREDE ATITUDE

  • Lindolfo Ramalho Farias Jùnior; Pedro Henrique Lima Praxedes Filho

Resumo

O estudo ora relatado se insere na área disciplinar da Tradução Audiovisual Acessível quanto à modalidade audiodescrição (AD) para pessoas com deficiência visual. Quanto ao roteiro descritivo de um dado produto (audio)visual, havia a prescrição de que deveria ser neutro. Pesquisa conduzida no Laboratório de Tradução Audiovisual da Universidade Estadual do Ceará comprovou empiricamente que não há neutralidade em roteiros escritos segundo esse parâmetro, o que foi feito via Sistema de Avaliatividade (SA) (MARTIN; WHITE, 2005) no âmbito da Linguística Sistêmico-Funcional. Partindo, agora, do pressuposto de que todos os roteiros de AD são avaliativos, foi nossa intenção dar um passo adiante, estudando estilo interpretativo em AD. Assim, o objetivo foi descrever o estilo avaliativo do roteiro de AD do filme de longa-metragem ‘Ensaios sobre a cegueira’ (ESC), cujo roteiro foi laborado em português brasileiro. Metodologicamente, o roteiro foi analisado segundo categoria atitude do SA tendo em vista encontrarmos padrões de uso avaliativo da língua que pudessem apontar na direção de um estilo avaliativo dos audiodescritores. Como resultado, encontramos uma tendência de estilo avaliativo caracterizada por avaliações de ‘atitude’ 1ª subrede no ranque: ‘atitude’: combinações: ‘apreciação’ – ‘reação’ – ‘qualidade’ – ‘ambígua’ – ‘inscrita’ > ‘julgamento’ – ‘sanção social’ – ‘propriedade’ – ‘negativa’ – ‘evocada’ – ‘convidar’ – ‘propiciar’ > ‘afeto’ – ‘segurança’ – ‘negativa’ – ‘evocada’ – ‘convidar’ – ‘propiciar’ > ‘afeto’ – ‘felicidade’ – ‘positiva’ – ‘evocada’ – ‘convidar’ – ‘propiciar’.

 

Palavras-chave: Audiodescritor; Sistema de Avaliatividade; Estilo avaliativo.

Publicado
2019-08-21