LEGENDAGEM PARA SURDOS E ENSURDECIDOS (LSE): UMA ANÁLISE DA SEGMENTAÇÃO LINGUÍSTICA NO GÊNERO ENTREVISTA

  • Nilvania de Jesus Rodrigues; Ítalo Alves Pinto de Assis

Resumo

A segmentação linguística tem sido interesse de investigadores da área da legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE), por ser um fator determinante para a recepção satisfatória do produto audiovisual. Com o propósito de contribuir com esses estudos, esta pesquisa dedicou-se a relatar e classificar os problemas de segmentação, entre linhas, na (LSE), closed caption, do tipo roll-up, do programa de entrevista Conversa com Bial, exibido pela Rede Globo de Televisão no dia 10 de abril de 2018, além de estabelecer um paralelo entre esta pesquisa e os resultados alcançados nas investigações do Projeto CORSEL (Corpus, Segmentação e Legendagem) e em estudos que abordaram a segmentação na legendagem.  Para alcançar esses objetivos, utilizamos o programa de legendagem Subtitle Workshop 6.0 e o programa Wordsmith Tools 5.0, este contribuiu para a análise dos dados qualiquantitativos. Os resultados revelaram 276 casos de problemas de segmentação e as maiores ocorrências aconteceram no sintagma nominal, perfazendo um total de 39,2%, seguido pelo sintagma verbal com 26%, com predominância em legendas de duas linhas e com velocidade alta. Esses achados divergiram dos encontrados em Chaves (2012), Gabriel (2015) e Arraes (2015), no âmbito do Projeto CORSEL, os quais apontaram maiores ocorrências no sintagma verbal.

Palavras-chave: Corpus; Legendagem para Surdos e Ensurdecidos. Segmentação; Linguística.

Publicado
2019-08-21