A RELAÇÃO ENTRE UNIDADES DE VELOCIDADE DE LEITURA NA LEGENDAGEM PARA SURDOS E ENSURDECIDOS

  • Sandro Rogério Silva de Carvalho; Alexandra Frazão Seoane

Resumo

Ao examinar a adequação das Legendas para Surdos e Ensurdecidos (LSE) da segunda temporada da série 3% tanto com relação aos parâmetros da própria Netflix quanto aos parâmetros recomendados por pesquisas acadêmicas na área (CARVALHO, 2018), nos deparamos com diferentes unidades de medida de velocidade de leitura. Havendo grande diferença entre os resultados, inferimos que uma das causas seria justamente a diferença entre as unidades de velocidade de leitura utilizadas, sendo que a Netflix utiliza caracteres por segundo (CPS) e a academia utiliza palavras por minuto (PPM). O objetivo deste trabalho é explicar a diferença entre tais unidades, estabelecendo uma relação entre ambas. Mostramos que há variação quando convertermos PPM em CPS e vice-versa, pois é uma conversão não linear por causa da variação do tamanho das palavras. (CARVALHO, 2018). Mostramos também, através de gráficos que as três velocidades, 145, 160 e 180 palavras por minuto apresentam uma tendência positiva, crescendo o número de caracteres conforme cresce o tempo, porém não de forma linear. E esse crescimento diminui quando nos aproximamos dos 4 segundos e que isso pode influenciar o tamanho médio das palavras e a velocidade correspondente em CPS. Além disso, encontramos no nosso corpus um tamanho médio das palavras de 4,6 caracteres por palavras, em acordo com o tamanho médio das palavras em Português que é de 4,64 (QUARESMA; PINHO, 2007), mas que é bem inferior aos 6,12 caracteres por palavra encontrado na tabela de conversão PPM em CPS utilizada para legendagem.

 

Palavras-chave: Legendagem para surdos e ensurdecidos; Velocidade de leitura de legenda; Tradução audiovisual; Acessibilidade.

 

Publicado
2019-08-21