LEGENDAGEM PARA SURDOS E ENSURDECIDOS (LSE) DE VÍDEOS EM LIBRAS

  • Eurijunior Sales de Souza; Patrícia Araújo Vieira

Resumo

A Legendagem para Surdos e Ensurdecidos (LSE), além de ser uma poderosa ferramenta de inclusão, pode ser um excelente recurso didático para o aprendizado de línguas. A LSE também pode ser usada em conjunto com outros recursos de acessibilidade, como a Janela de Libras (Língua Brasileira de Sinais), porém ainda são raras as iniciativas que contemplem seu uso em vídeos produzidos em Língua de Sinais. Entre os gêneros de vídeos produzidos em Libras, tem-se o gênero tradução de textos acadêmicos, comumente utilizados em cursos de Letras com habilitação em Libras como forma de acesso de alunos surdos a esses textos científicos em sua língua materna. Este trabalho, que tem suporte teórico e metodológico nos estudos da Tradução Audiovisual Acessível (TAVa), trata da legendagem desse gênero de vídeos. A metodologia empregada é do tipo descritiva e, como corpus, foi escolhido um vídeo em Libra que é a tradução de um texto que integra a bibliografia recomendada do curso de Letras Libras da Universidade Federal do Ceará. A pesquisa traça uma análise descritiva desse processo de legendagem, apresentando as dificuldades encontradas, as peculiaridades observadas nesse gênero de vídeos e as estratégias adotadas por este pesquisador, com vistas à orientação de outros legendistas na tarefa de tornar vídeos produzidos em Libras acessíveis também a pessoas que não tem fluência nessa língua.

 

Palavras-chave: Tradução Audiovisual Acessível; Legendagem para Surdos e Ensurdecidos; Língua Brasileira de Sinais.

 

Publicado
2019-08-21