Dis-locar la materia, re-orientar el presente. Sobre Neltume señala el camino (2016) de Araya-Carrión

César Barros, Ángeles Donoso Macaya

Resumo


A intervenção Neltume señala el camino do coletivo artístico Araya-Carrión, em uma ex-casa de tortura e extermínio em Santiago do Chile nos convida a considerar a história e sua relação com a memória orientados pela matéria, em particular pelo serragem. Nossa leitura, inspirada em perspectivas feministas pós-humanistas e neo-materialistas, seguem o percurso desta intervenção que conjuga tempos (presente e passado, os tempos da colonização, a opressão, a tortura e o extermínio, e os tempos de resistência coletiva) e espaços (o aqui o acolá, o centro e a periferia, Neltume e Santiago) no acúmulo de serragem, resíduo e testemunho da história. Há outros objetos que entram em ‘agenciamento’ ou ‘intra-ação’ (Barad, “Performatividade Pós-Humanista”) com a serragem: fotografias de arquivo, luvas de trabalho abandonadas. Estes objetos, metonímias de Neltume, são ressignificadas ao serem des-locados e situados no edifício da rua Londres, n. 38. Diagramas, mapas e instalações audiovisuais outorgam um novo enquadramento a estes objetos e conectam as diferentes histórias de luta política, resistência (humana e não humana) e repressão que têm marcado e seguem marcando estes dois lugares, Neltume (na periferia) e Londres 38 (no centro).

Palavras-chave: Araya-Carrión, Karen Barad, matéria, memória histórica, espaços de memória.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.