[Ensaio] Correspondência fabulatória – entre Ana K. e A. Artaud

  • Ana Kiffer

Resumo

O texto dedica-se, depois de longos anos de pesquisa, cursos, traduções, artigos e livros realizados sobre Antonin Artaud (1896-1948), a voltar-se para como a pesquisadora leu, acolheu e recebeu tal autor e as questões por ele provocadas. Esse pathos da recepção e sua singular passividade. Foi mesmo o Artaud quem disse que era preciso “escrever a angústia do pesquisador no meio e em torno a sua obra”. Tenta-se aqui efetuar isso. Uma passagem ao ato. Um trânsito. Uma deriva. Uma derrapagem. Através da qual respondo a ele e escrevo a mim mesma. Ou: escrevo a ele e respondo a mim mesma.

Publicado
2018-06-29