Panoramas de Fragmentos Móveis, Ou Visões Gémeas de (Des)Pertença na Obra de Mónica de Miranda

  • Ana Balona de Oliveira

Resumo

A partir de uma análise aprofundada da instalação fotográfica e performativa Panorama (2017-2018), de Mónica de Miranda (Portugal, Angola, 1976), e sem perder de vista as linhas de continuidade e descontinuidade com o seu trabalho anterior, este ensaio examina o modo como uma estética do fragmentar, do mover e do duplicar se constitui como uma ética e uma política do olhar encorpado e situado, da (des)pertença criticamente cosmopolita, e da futuridade partilhada.

Publicado
2019-06-10