A pressão humana nas zonas costeiras tem crescido exponencialmente nas últimas décadas devido aos usos derivados de diferentes atividades econômicas e sociais. A compreensão dos fatores que afetam a costa é essencial para fortalecer uma gestão sustentável e rigorosa desse tipo de espaço de fronteira entre a terra e o mar. Diversos grupos de trabalho se juntaram nesta edição especial para poder dar uma visão ampla e multicriterial desse tipo de transformação.

A revista Arquivos de Ciências do Mar da Universidade Federal do Ceará traz no seu volume 53, suplemento especial, doze artigos com o foco em Dinâmica e gestão de ambientes costeiros e marinhos, um dos eixos do XVIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada (XVIII SBGFA). O evento, com o tema “Geografia Física e as Mudanças Globais”, foi realizado na cidade de Fortaleza (CE) entre os dias 11 e 15 de junho de 2019 e contou com mais de 1.400 participantes das mais diversas áreas de conhecimento do Brasil e de outros países.

Os artigos abordam predominantemente as novas metodologias e tecnologias no mapeamento da linha de costa, o monitoramento da erosão costeira e a vulnerabilidade aos eventos extremos em decorrência das mudanças climáticas na costa brasileira. Estudos sobre evolução, degradação e análise de impactos em dunas eólicas no Brasil e no Chile trazem importantes informações com potencial de aplicação no gerenciamento costeiro, a partir de abordagens multidisciplinares. Temas estratégicos na atualidade para a economia e o uso sustentável do mar, a exemplo da geração de energia eólica offshore, dos conflitos da pesca artesanal e dos impactos de dragagens, foram contemplados. Os ambientes insulares foram temas de pesquisas sobre evolução geomorfológica em duas regiões biogeográficas de importância global, a Amazônia e a Antártida.

As discussões presentes neste número contribuem no entendimento de alguns impactos das mudanças globais nos ambientes costeiros e marinhos do Brasil e países vizinhos na América Latina. Ressaltam ainda a relevância da análise da relação sociedade e natureza para o entendimento e planejamento dos múltiplos usos e ordenamento territorial dessas áreas.

Agradecemos a todos os autores que nos confiaram a missão de divulgar os resultados de suas pesquisas, assim como aos membros da comissão científica do XVIII SBGFA que somaram esforços ao trabalho dos revisores dos Arquivos de Ciências do Mar.

A todos uma boa leitura!

Lidriana de Souza Pinheiro (coordenadora do XVIII SBGFA)
Paulo Henrique Gomes de Oliveira Sousa
(Editores convidados)