AÇÃO DOS CONDIMENTOS ALIMENTARES IN NATURA SOBRE A MICROBIOTA PATÓGENA DURANTE O PROCESSAMENTO, PREPARO E/OU CONSUMO DO PESCADO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE LITERATURA

Luiz Antonio Costa Tarcitano, Eliana de Fatima Marques de Mesquita

Resumo


A Segurança Alimentar visa garantir à população acesso físico e econômico a alimentos inócuos e nutritivos. Esta pesquisa objetivou investigar a ocorrência de atividade antimicrobiana nos condimentos alimentares in natura utilizados no processamento, preparo e/ou consumo do pescado, por meio de uma revisão sistemática de literatura e abrange artigos publicados até julho de 2016. A busca foi realizada nas bases de dados eletrônicas LILACS; MEDLINE, SciELO; Google Acadêmico; CAPES, Cochrane Library; Scopus; ScienceDirect; PubMed. A inclusão dos artigos na revisão sistemática foi guiada pelo Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA) e o Assessment of Multiple Systematic Reviews (AMSTAR). A intepretação dos textos selecionados foi feita por meio de análise estatística descritiva e expressa em Figuras, quadros, diagrama de dispersão de dados e gráfico Box Plot, utilizando-se o programa IBM SPSS Statistics Base 22.0. Dos textos inicialmente identificados, 21 artigos foram considerados elegíveis para a revisão. Infere-se que a utilização das especiarias são uma boa opção no combate ao crescimento de bactérias, leveduras, fungos filamentosos e síntese de toxinas microbianas, bem como na inibição ou retardamento da oxidação do pescado. Similarmente, orégano, alecrim e sálvia foram os condimentos de maior efetividade antimicrobiana.

Palavras-chave


condimentos, especiarias, atividade antimicrobiana, pescado.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Arquivos de Ciências do Mar

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.