VALORAÇÃO AMBIENTAL DO PARQUE ESTADUAL MARINHO DA PEDRA DA RISCA DO MEIO, CEARÁ, BRASIL

Pedro Bastos de Macedo Carneiro, Inah Sátiro, Clara de Melo Coe, Kamila Vieira de Mendonça

Resumo


O estabelecimento de unidades de conservação é estratégia eficiente para a conservação da natureza, porém muitas dessas áreas são geridas sem critérios objetivos de alocação de recursos, o que muitas vezes resulta em aportes insuficientes. Buscando contribuir para a gestão de unidades de conservação marinhas do Brasil, o presente trabalho visa aplicar o método de valoração contingente para estimar valores de uso e não uso do Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio, localizado no Ceará. Foram realizadas 105 entrevistas com moradores de Fortaleza, Ceará, e a influência de variáveis sociológicas (sintetizadas em estatísticas descritivas) sobre a disposição a pagar (DAP) pela manutenção do Parque foi estudada via modelos lineares. A disposição a pagar total foi calculada multiplicando a DAP pela população envolvida. Em média, os entrevistados se dispuseram a pagar R$ 21,50/mês para a manutenção do Parque, valor que foi maior no caso de frequentadores e de pessoas de maiores rendas. Considerando apenas frequentadores, o valor de uso equivale a R$ 964.080/ano. Esses resultados evidenciam a importância dessa unidade de conservação e ressaltam a necessidade de novas estratégias de financiamento para a sua manutenção. Maiores incentivos à visitação, cobrança de taxas e o pagamento por serviços ambientais prestados parecem ser mecanismos bem aceitos pela população local, além de poderem ser igualmente aplicados em outras unidades de conservação marinhas do Brasil, e portanto podem contribuir para a conservação da zona costeira do país.

Palavras-chave


gestão de unidade de conservação, valores de uso e não-uso, valo ração contingente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Arquivos de Ciências do Mar

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.