ANÁLISE E PERCEPÇÃO DOS CUSTOS DAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA: UM ESTUDO DE CASO

  • Luana Zanetti Trindade Universidade de São Paulo
  • Sigismundo Bialoskorski Neto Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Cooperativas de Crédito. Custo de Práticas de Governança Corporativa. Percepção.

Resumo

Com o intuito de melhorar a eficiência e transparência das cooperativas de crédito, o Banco Central do Brasil diagnosticou as características da governança e definiu uma série de boas práticas. O objetivo do trabalho é analisar os custos das práticas de compliance e disclosure da governança corporativa e a percepção desses custos pelos cooperados de uma cooperativa. Foi feito um estudo de caso em uma cooperativa de crédito. O resultado encontrado é que esses custos representam 0,3205%do ativo total da organização. Esses custos podem ser considerados elevados, pois são próximos a rentabilidade da cooperativa que é de 0,38%, representando 8,6% das despesas administrativas. No questionário aplicado aos cooperados, observa-se que apesar dos custos das práticas de compliance e disclosur e da governança serem considerados elevados pela gestão, os respectivos cooperados podem não ter a percepção adequada desses custos. Grande parte dos cooperados pode perceber a eficiência da gestão e também que a governança corporativa é um investimento para a organização.

Biografia do Autor

Luana Zanetti Trindade, Universidade de São Paulo
Departamento de contabilidade
Sigismundo Bialoskorski Neto, Universidade de São Paulo
Departamento de contabilidade-Diretor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto.
Publicado
2014-10-31
Seção
Artigos