Capacidade absortiva em instituições de ensino superior: uma sistematização da literatura

  • Rogério Ciotti FAE - Erechim
  • Jacir Favretto Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc Universidade do Contestado (UnC)
Palavras-chave: Capacidade Absortiva. Instituições de Ensino Superior. Competitividade. Bibliometria.

Resumo

A busca das organizações por conhecimento externo e a posterior incorporação deste no seu ambiente interno são fatores determinantes para alcançar e sustentar vantagens competitivas. A chamada capacidade absortiva consiste na capacidade de a empresa adquirir, assimilar, transformar, explorar e utilizar, para fins comerciais, o conhecimento proveniente do ambiente externo. Por meio de técnicas bibliométricas, o objetivo do presente estudo é analisar a produção acadêmica sobre capacidade absortiva no contexto das instituições de ensino superior, de modo a traçar um mapa dos gaps para novas contribuições acadêmicas na área. Foram selecionados 4231 trabalhos nas bases de dados Spell, Scielo, ScienceDirect, Ebsco, Scopus e Web of Science. Após aplicação de regras de exclusão, restaram 26 artigos para análise.

 

Biografia do Autor

Rogério Ciotti, FAE - Erechim
Departamento de Ciências Sociais Aplicadas
Jacir Favretto, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc Universidade do Contestado (UnC)
Departamento de CIências Sociais Aplicadas

Referências

AGUIAR FILHO, Armando Sérgio de et al. Práticas de gestão da informação e do conhecimento nos processos de avaliações do INEP/MEC: um estudo em uma instituição de ensino superior. XIV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO UNIVERSITÁRIA – CIGU, 2014.

AHUJA, G.; LAMPERT, C.M. Entrepreneurship in the large corporation: A longitudinal study of how established firms create breakthrough inventions. Strategic Management Journal, 22, p. 521-543. 2001.

ANDRÉS, A. Measuring academic research: How to undertake a bibliometric study. Elsevier. 2009.

ARAÚJO, C.A. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, 12(1). 2006.

BARRETO, Adriano Cardoso. Gestão do conhecimento mapeamento do conhecimento em uma instituição de ensino superior da região centro-oeste. Universidade Fumec Faculdade de Ciências Empresariais. Mestrado profissional em sistemas de informação e gestão do conhecimento Mapeamento. Belo Horizonte–MG, 2015.

BERTOLIN, J.C.G.. A Avaliação da Qualidade do Sistema de Educação Superior Brasileiro em Tempos de Mercantilização – Período 1994-2003. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. 2007, 282 p.

CAMPION, M. A.; CHERASKIN, L.; STEVENS, M. J. Career-related antecedents and outcomes of job rotation. Academy of Management Journal, 37, p. 1518-1542. 1994.

CARDOSO, Olinda Nogueira Paes; MACHADO, Rosa Teresa Moreira. Gestão do conhecimento usando data mining: estudo de caso na Universidade Federal de Lavras. Revista de Administração Pública, 42(3), p. 495-528, 2008.

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR. . 2013 – resumo técnico. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2013/resumo _tecnico_censo_educacao_superior_2013.pdf> Acessado em: 31 mar. 2016.

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR. 2007 – Resumo técnico. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2007/Resumo_tecnico_2007.pdf>. Acessado em: 31 mar. 2016.

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR. 2004 – Resumo técnico. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/download/superior/2004/censosuperior/Resumo_tecnico-Censo_2004.pdf >. Acessado em: 31 mar. 2016.

CHAUVET, V. Absorptive Capacity: Scale Development and Implications for Future Research. Capacidad de Absorción: Propuesta de Medida Y Contribuciones a Futuras Investigaciones, 19(1), p. 113-129, 2014.

CHOO, C. W. A Organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. Editora Senac, São Paulo, 2003.

COHEN, M.D.; BACDAYAN, P. Organizational routines are stored as procedural memory. Organization Science, 5, p. 554-568. 1994.

COHEN, W.; LEVINTHAL, D. Absorptive Capacity: A New Perspective on Learning and Innovation. Science, 35(1), p. 128-152. 1990.

CUNHA, Luiz Antônio. Ensino Superior e a Universidade no Brasil. In: LOPES, E. M. T. et al. 500 Anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte: Autentica, 2000.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

OLIVEIRA, Sabrina Rossi de; BALESTRIN, Alsones. Cooperação universidade-empresa: um estudo do projeto UNISINOS – HT Micron para o desenvolvimento de capacidade absortiva na área de semicondutores. Gestão & Produção, São Carlos, 2015.

DOMINGUES, M.J.C.S; MONDINI, V.E.D. Entendendo a classificação das IES no brasil. Poder, Gobierno Y Estrategias En Las Univeridades de America Del Sur, 1(September 2013), p. 1-36. 2013.

ETZIONI, Amitai. Organizações modernas. São Paulo: Pioneira, 1989.

FILENGA, D. Capacidade absortiva, mecanismos de integração social e desempenho inovativo empresarial brasileiro, 2009. Disponível em: <http://www.altec2013.org/programme_pdf/822.pdf>. Acessado em: 20 abr. 2016.

HOPER. Análise setorial do ensino superior privado. Brasil. 2012.

JANSEN, J. J. P.; VAN DEN BOSCH, F. A. J.; VOLBERDA, H. W. Managing potential and realized absorptive capacity: How do organizational antecedents matter? Academy of Management Journal, 48, p. 999-1015. 2005.

KOBASHI, Nair Yumiko e SANTOS, Raimundo Nonato Macedo dos. Institucionalização da pesquisa científica no Brasil: cartografia temática e de redes sociais por meio de técnicas bibliométricas. Transformação [online]. v. 18, n. 1, p. 27-36. 2006.

KOZA, M.; LEWIN, A. Y. The coevolution of strategic alliances. Organization Science, 9, p. 255-264. 1998.

LANE, P. J.; KOKA, B. R.; PATHAK, S. The reification of absorptive capacity: a critical review and rejuvenation of the construct. Academy of Management Review, v. 31, n. 4, p. 833-863, 2006.

LANE, P.; LUBATKIN, M. Relative absorptive capacity and inter-organizational learning. Strategic Management Journal, 19 (5), p. 111-125. 1998.

LEMAITRE, Maria J. La Calidad Colonizada: universidad y globalizacion. Conferencia dictada en el Seminario. The End of Quality, organizado por la Universidad de Central England, Birmingham, U.K. en mayo de 2001.

LICHTENTHALER, Ulrich; LICHTENTHALER, Eckhard. A capability-based framework for open innovation: complementing absorptive capacity. Journal of Management Studies, v. 46, n. 8, Dec. 2009.

MOTTA, M.E.V. da. Capacidade de conversão do conhecimento, inovação tecnológica e o desempenho das IES do sul do Brasil. (Tese de doutorado). Universidade de Caxias do Sul. Rio Grande do Sul, 2013.

MUROVEC, N.; PRODAN, I. Absorptive capacity, its determinants, and influence on innovation output: cross-cultural validation of the structural model, Technovation, 29 (12), p. 859-872. 2009.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento nas empresas: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997. 358 p.

NUNES, G. T. Abordagem do marketing de relacionamento no ensino superior. Gestão e Regionalidade, v. 24, n. 69, jan./abr. 2008.

NUNES, S. (2012). A capacidade de absorção e as orientações associadas à exploração (exploration) e à explotação (exploitation) do conhecimento organizacional: uma análise em empresas de Palmas/TO. Tese de doutorado – Universidade Mackenzie, Programa de pós-graduação em Administração, 2012.

PENNINGS, J.M.; HARIANTO, F. Technological networking and innovation implementation. Organ. Sci., 3, p. 356-382. 1992.

RIBEIRO, M. Universidade brasileira pós-moderna: democratização × competência. Manaus: Universidade do Amazonas, 1999.

RODRIGUES, L.C.; MACCARI, E.A. Gestão do Conhecimento em Instituições de Ensino Superior. Revista de Negócios, 8 (2). 2003.

SAMPAIO, H. O setor privado de ensino superior no Brasil: Continuidades e transformações. Revista Ensino Superior Unicamp, 1, p. 28-43. 2011.

SAMPAIO, H. Setor privado de ensino superior no Brasil: crescimento, mercado e Estado entre dois séculos. Ensino Superior: Expansão, Diversificação, …, 7, p. 1-26. 2013. Disponível em: <http://nupps.usp.br/downloads/relatorio2013/Anexo_44_Texto para Livro Maria Ligia Barbosa.pdf> Acessado em: 18/03/2016.

SCHWARTZMAN, S. Policies for Higher Education in Latin America: the Context. Higher Education, 25, p. 9-20, 1993.

SZULANSKI, G. Exploring internal stickiness: Impediments to the transfer of best practice within the firm. Strategic Management Journal, 17, p. 27-43. 1996.

TOBÍO, Alfonso G.; PÉREZ, Juan C. P. (Org.). As políticas neoliberais na Universidade. Disponível em: <http://firgoa.usc.es/drupal/node/2444>. Acesso em: 14 abr. 2016.

TSENG, S.M. The correlation between organizational culture and knowledge conversion on corporate performance. Journal of Knowledge Management, Kempston, v. 14, n. 2, p. 269-284, 2010.

VAN DEN BOSCH, F.; VOLBERDA, H.; DE BOER, M. Co-evolution of firm absorptive capacity and knowledge environment: organizational forms and combinative capabilities. Organization Science, 10 (5), p. 551-568. 1999.

VEGA-JURADO, Jaider; GUTIÉRREZ-GRACIA, Antonio; FERNÁNDES-de-LUCIO, Ignácio. Analyzing the determinants of firm´s absorptive capacity: beyond R&D. R&D Management, v. 38, n. 4, p. 392-405, 2008.

WEICK, K. E. The social psychology of organizing. Reading, MA: Addison-Wesley, 1979.

WORMELL, I. Informetria: explorando bases de dados como instrumentos de análise. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, p. 210-216. 1998.

ZABALBA, Miguel A. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ZAHRA, S. A.; GEORGE, G. Absorptive capacity: A review, reconceptualization, and extension. Academy of Management Review, 27 (2), p. 185-203. 2002.

Publicado
2017-12-30
Seção
Artigos