SEGURANÇA CIDADÃ: FORMAS DE ENVOLVIMENTO E PROPENSÃO DO CIDADÃO À COPRODUÇÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL

Resumo

Este estudo identificou formas de envolvimento do cidadão na segurança pública, considerando as atividades desempenhadas pelos cidadãos e a propensão para a coprodução de segurança no Distrito Federal. Em estudo qualitativo-descritivo, foram realizadas 82 entrevistas semiestruturadas com cidadãos residentes no Distrito Federal, sendo 22 engajados em mecanismos formais de coprodução e 60 não engajados nesses mecanismos. Os dados foram analisados por meio de análise de conteúdo, utilizando a técnica de saturação teórica. Observou-se que os sujeitos do estudo contribuem com a segurança pública por meio de ações de natureza preventiva e repressiva, sendo identificadas as formas de coprodução de informação, política, social, econômica, preventiva e repressiva. Quanto à propensão a coproduzir, constataram-se sete aspectos que tornariam os cidadãos mais propensos a coproduzir, ampliando a compreensão acerca do fenômeno da coprodução da segurança pública.

Biografia do Autor

Isabela Miranda Martins, Universidade de Brasília
Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Brasília
Josivania Silva Farias, Universidade de Brasília
Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Brasília
Lucio Alves Angelo Junior, Universidade de Brasília
Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Brasília

Referências

ALFORD, J.; YATES, S. Co‐Production of public services in australia: The roles of government organisations and Co‐Producers. Australian Journal of Public Administration, v. 75, n. 2, p. 159-175, 2016.

Bardin, L. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto. Augusto. Pinheiro. Ed, 70, 125-198, 2016.

BITNER, M. et al. Customer contributions and roles in service delivery. International journal of service industry management, v. 8, n. 3, p. 193-205, 1997.

BOVAIRD, T. Beyond engagement and participation: User and community coproduction of public services. Public administration review, v. 67, n. 5, p. 846-860, 2007.

BOVAIRD, T.; LOEFFLER, E. From engagement to co-production: The contribution of users and communities to outcomes and public value. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 23, n. 4, p. 1119-1138, 2012.

BOVAIRD, T. et al. Activating collective co-production of public services: influencing citizens to participate in complex governance mechanisms in the UK. International Review of Administrative Sciences, v. 82, n. 1, p. 47-68, 2016.

BOVAIRD, T.; LOEFFLER, E. User and community co-production of public services: What does the evidence tell us?. International Journal of Public Administration, v. 39, n. 13, p. 1006-1019, 2016.

BOYLE, D.; HARRIS, M. The challenge of co-production. London: new economics foundation, 2009.

BRASIL. Constituição da república federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1988.

BRUDNEY, J. L.; ENGLAND, R. E. Toward a definition of the coproduction concept. Public administration review, p. 59-65, 1983.

CARVALHO, V. A; SILVA, M.R. Política de segurança pública no Brasil: avanços, limites e desafios. Revista Katálysis, v. 14, n. 1, p. 59-67, 2011.

CASTRO, M. H. M.; LEITE, E. M. Educação no Brasil: atrasos, conquistas e desafios. In: Brasil o estado de uma nação. Brasília: IPEA, 2006.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa métodos qualitativo, quantitativo e misto. 03. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Distrito Federal. Lei Orgânica do Distrito Federal. Disponível em < http://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/70442>. 2019.

Distrito Federal. Balanço da segurança. Estatísticas criminais. Disponível em < http://www.ssp.df.gov.br/images/SGI/janeiro_2018_final.pdf>.2018.

ETGAR, M. A descriptive model of the consumer co-production process. Journal of the academy of marketing science, v. 36, n. 1, p. 97-108, 2008.

FALQUETO, J.; FARIAS, J. Saturação teórica em pesquisas qualitativas: relato de uma experiência de aplicação em estudo na área de administração. In: 5º Congresso Ibero-Americado Em Investigação Qualitativa. 2016. p. 560-569.

GERSUNY, C.; ROSENGREN, W. R. The service society. Schenkman Publishing Company, 1973.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, v. 5, n. 61, p. 16-17, 2002.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Atlas da Violência. Disponível em: < http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatorio_institucional/180604_atlas_da_violencia_2018.pdf>. Acessado em 23 de dezembro de 2018.

LEVINE, C. H.; FISHER, G. Citizenship and service delivery: The promise of coproduction. Public Administration Review, v. 44, p. 178-189, 1984.

LOEFFLER, E. et al. If you want to go fast, walk alone. If you want to go far, walk together. Citizens and the co-production of public services. Budget and Public Services, Paris, 2008.

LUSCH, R. F.; VARGO, S. L. Service-dominant logic: reactions, reflections and refinements. Marketing theory, v. 6, n. 3, p. 281-288, 2006.

MATTIA, C.; ZAPPELLINI, M. B. Ética e coprodução de serviços públicos: uma fundamentação a partir de Habermas. Cadernos EBAPE. BR, v. 12, n. 3, p. 573-589, 2014.

MINAYO, M. C. S. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 5, n. 7, p. 1-12, 2017.

NABATCHI, T.; SANCINO, A.; SICILIA, M. Varieties of participation in public services: The who, when, and what of coproduction. Public Administration Review, v. 77, n. 5, p. 766-776, 2017.

OSBORNE, D.; GAEBLER, T. Reinventando o governo: como o espírito empreendedor está transformando o setor público. Mh Comunicação, 1992.

OSTROM, E. et al. The public service production process: a framework for analyzing police services. Policy Studies Journal, v. 7, p. 381, 1978.

OSTROM, E. Crossing the great divide: coproduction, synergy, and development. World development, v. 24, n. 6, p. 1073-1087, 1996.

OSTROM, V.; OSTROM, E. Public goods and public choices. In: Polycentricity and local public economies. Readings from the workshop in political theory and policy analysis. Ann Arbor, MI, USA: University of Michigan Press, p. 75-105, 1999.

PARKS, R. B. et al. Consumers as coproducers of public services: Some economic and institutional considerations. Policy Studies Journal, v. 9, n. 7, p. 1001-1011, 1981.

PERCY, Stephen L. Conceptualizing and measuring citizen co-production of community safety. Policy Studies Journal, v. 7, p. 486, 1978.

PESTOFF, V. Citizens and co-production of welfare services: Childcare in eight European countries. Public management review, v. 8, n. 4, p. 503-519, 2006.

RICH, R. C. Interaction of the voluntary and governmental sectors: Toward an understanding of the coproduction of municipal services. Administration & Society, v. 13, n. 1, p. 59-76, 1981.

Rosentraub, M. S., & Sharp, E. B. Consumers and producers of social services: Co-production and the level of social services. Southern Review of Public Administration, 4(4), 502–539, 1981.

SALM, J. F.; MENEGASSO, M. E. Proposta de modelos para a coprodução do bem público a partir das tipologias de participação. Anais do XXXIV Enanpad, 2010.

SCHNEIDER, A. L. Coproduction of Public and Private Safety: An Analysis of Bystander Intervention,'Protective Neighboring,'and Personal Protection. Western Political Quarterly, v. 40, n. 4, p. 611-630, 1987.

SUNSTEIN, C. R; THALER, R. H.; Nudge: Improving decisions about health, wealth, and happiness. Penguin, 2009.

THIRY-CHERQUES, H. R. Saturação em pesquisa qualitativa: estimativa empírica de dimensionamento. Revista PMKT, v. 3, n. 2, p. 20-27, 2009.

VERSCHUERE, B.; BRANDSEN, T.; PESTOFF, V. Co-production: The state of the art in research and the future agenda. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 23, n. 4, p. 1083-1101, 2012.

VINUTO, J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, n. 44, 2016.

WILLIAMS, B. N. et al. The co-production of campus safety and security: a case study at the University of Georgia. International Review of Administrative Sciences, v. 82, n. 1, p. 110-130, 2016.

WHITAKER, G. P. Coproduction: Citizen participation in service delivery. Public administration review, p. 240-246, 1980.

Publicado
2019-08-16
Seção
Artigos