O DISCURSO SOBRE AS CIÊNCIAS E AS ARTES DE JEAN-JACQUES ROUSSEAU: AMBIGUIDADES E POLARIDADES ENQUANTO PRINCÍPIO DA REFLEXÃO

  • Arlei de Espíndola
Palavras-chave: Antropologia. Conhecimento. Progresso. Virtude. Liberdade.

Resumo

Busco neste artigo, na tentativa de mostrar o valor teórico do Discurso sobre as ciências e as artes (1749), indicar que ele se constitui por ambiguidades e contradições muito bem medidas, envolvendo isso a: moral, ética, política, economia, metafísica, religião, filosofia, estética, etc. Ao supor a necessidade de estudar o homem visando conhecer sua natureza mais profunda, Rousseau reconhece a complexidade do trabalho científico e filosófico, identificando que tudo é formado por pares de opostos carregando perdas e ganhos, especialmente quando estão em jogo avanços, progressos, implementações. Mas isso não significa que Rousseau reivindica um movimento no sentido de apreender-se o homem sendo eternizado no seu ponto de partida. Perseguindo o prognóstico, indo além, pois, de uma mera detecção da fonte dos males, diz ele ser preciso acomodar-se as empresas humanas aos ditames da natureza de modo a aproximar-se o homem da posição mais equilibrada possível, deixando-o no lugar que lhe cabe. Tal ensinamento do Discurso em questão, antecedido de suas articulações polarizadas, peculiares e intrigantes, estabelece a riqueza que lhe é inerente, colocando-o na esfera de germe do pensamento de Rousseau.

Referências

ANDERSON, M. S. La Europa del Siglo XVIII (1713-1789), Trad. de Ricardo Haas, México, Fondo de Cultura Económica, 1992.

DESCARTES, R. Lettre de l‟auteur a celui qui a traduit le livre laquelle peut ici servir de préface, In.: ______. Les príncipes de la philosophie, Oeuvres et Lettres, Paris, Éditions Gallimard, 1953.

ENGELS, Friedrich. Anti-dühring; a revolução da ciência segundo o senhor Eugen Dühring, Trad. de Nélio Schneider, SP, Boitempo, 2015.

FERRARA, Alessandro. Modernity and Authenticity; a Study of the Social and Ethical Thought of Jean-Jaques Rousseau, New York, State University of New York Press, 1993.

HAMPSON, Norman. Histoire de la pensée européemne (4), Le siècle des lumières, Traduit de l‟anglais par Françoise Werner et Michel Janin, Paris, Éditions du Seil, 1972.

MORIN, E. A construção da sociedade democrática após a queda do socialismo dito real e o papel da educação e do conhecimento para a formação do imaginário do futuro, Trad. de Ester Grossi, Texto apresentado: Seminário Internacional Sobre Aprendizagem; Construtivismo Pós-Piagetiano, Porto Alegre/RS, 05 a 08 de dezembro, Promoção: UFRGS, PUC, GEEMPA e MEC, 1992.

ROCHE, Kennedy F. Rousseau; Stoic & Romantic, Londres, Methuen & Co Ltd., 1974.

ROUSSEAU, J.-J. Discours sur les sciences et les arts, Oeuvres Complètes, Paris, Éditions Gallimard, Bibliotèque de la Pléiade, Tome III, 1964.

__________. Discours sur l’origine et les fondemens de l’inégalité parmi les hommes, Oeuvres Complètes, Paris, Éditions Gallimard, Bibliotèque de la Pléiade, Tome III, 1964.

WOKLER, Robert. Rousseau, Oxford, Oxford University Press, 1995.

STAROBINSKI, Jean. Jean-Jacques Rousseau; a transparência e o obstáculo, Trad. de Maria Lúcia Machado, São Paulo, Companhia das Letras, 1991.

Publicado
2018-07-30