SOBRE A RELAÇÃO DA LÓGICA COM A ONTOLOGIA EM HEGEL. NOTAS PARA UMA DISCUSSÃO DA INTERPRETAÇÃO DE REDDING

Federico Orsini

Resumo


O objetivo do presente artigo é examinar as pressuposições de uma recente interpretação de Redding acerca da relação da Lógica com a Ontologia em Hegel. Especificamente, pretendo questionar: (i) o modo em que Redding reconstrói as linhas de continuidade e de descontinuidade entre Aristóteles, Kant e Hegel; (ii) a interpretação da dialética de Hegel em termos de uma pragmática do uso linguístico; (iii) a explicação da objetividade do pensamento por meio das noções de intencionalidade, realismo e falibilismo; (iv) o critério de distinção entre Lógica Objetiva e Lógica Subjetiva na Ciência da Lógica de Hegel. Minha conclusão é que a ontologia, enquanto teoria do ser, somente pode se justificar para Hegel enquanto lógica, a qual constitui a ciência do ser enquanto ser pensado. Todavia, o caráter dialético-especulativo da Lógica hegeliana não admite uma abordagem transcendental no sentido kantiano ou neo-transcendental, porque essa mesma abordagem é vulnerável a objeções céticas de tipo radical, objeções que uma lógica dialética pretende incorporar ao caminho de apresentação autocrítica das categorias.

Palavras-chave


Lógica. Ontologia. Pressuposição. Transcendental. Objetividade.

Texto completo:

PDF

Referências


BORDIGNON, M. Ai limiti della verità. Il problema della contraddizione nella logica di Hegel. Pisa: ETS, 2014.

BRANDOM, R. ―Hegel e a filosofia analítica‖. Veritas. Porto Alegre: v.56, n.1, 2011, pp.78-94.

BRINKMANN, K. Idealism without Limits. Hegel and the Problem of Objectivity. Dordrecht-New York: Springer, 2010.

CORTI, L. Ritratti hegeliani. Un capitolo della filosofia americana contemporanea. Roma: Carocci, 2014.

DÜSING, K. Hegel e l’antichità classica. Napoli: Città del Sole, 1998.

___________ ―Grundformen der Ontologie bei Kant und bei Hegel‖, Quaestio, 9 (2009), pp.311-324.

FERRARIN, A. Il pensare e l’io. Hegel e la critica di Kant. Roma: Carocci, 2016.

FORSTER, M. Hegel and Skepticism. Cambridge: Harvard University Press, 1989.

GIUSPOLI, P. ―Objektive und Subjektive Logik. Über die allgemeine Organisation der Hegelschen Logik in den ersten Nürnberger Jahren‖. Hegel-Studien. Hamburg: Meiner, 35, 2000, pp. 77-106.

HALBIG, C. Objektives Denken. Erkenntnistheorie und Philosophy of Mind in Hegels System, Stuttgart – Bad Canstatt, 2002.

HARTMANN, K. ―Hegel: A Non-Metaphysical View‖. Em: Hegel: A Collection of Critical Essays. MacIntyre A. (Org.). Notre Dame: Notre Dame Press, 1972, pp. 101-124.

HEGEL, G.W.F. Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830). Vol. I: A Ciência da Lógica (tradução de Paulo Meneses). São Paulo: Edições Loyola, 1995.

HEGEL, G.W.F. Ciência da Lógica. 1. A Doutrina do Ser. Petrópolis: Vozes, 2016.

HEIDEMANN, D. Der Begriff des Skeptizismus. New York: De Gruyter, 2007.

HOULGATE, S. The Opening of Hegel’s Logic. Indiana: Purdue University Press, 2006.

IBER & ORSINI & NARDI & BAVARESCO. ―Teoria do juízo na lógica do conceito de Hegel‖. Revista Opinião Filosófica, Porto Alegre, v. 06; nº. 01, 2015, pp. 34-48.

ILLETTERATI, L. (Org.) L’oggettività del pensiero. La filosofia di Hegel tra idealismo, anti-idealismo e realismo. Trento: Verifiche, 36, 2007.

KERVÉGAN, J.F. ―La science de l‘idée pure‖. Archives de Philosophie. Paris: n. 75, 2012, pp. 199-215.

LAU, C.-F. ―The Aristotelian-Kantian and Hegelian Approaches to Categories‖. The Owl of Minerva, 40:1 (2008-2009), pp.77-114.

LONGUENESSE, B. Hegel and the Critique of Metaphysics. translated by Nicole J. Simek. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

NUZZO, A. (Org.) Hegel and the Analytic Tradition. New York: Continuum, 2009.

ORSINI, F. A Teoria Hegeliana do Silogismo. Tradução e Comentário. Porto Alegre: Editora Fi, 2016.

____________ ―O projeto hegeliano de uma filosofia livre de pressuposições‖ (artigo aceito para a publicação pela revista Kriterion).

PIPPIN, R. Hegel’s Idealism. The Satisfactions of Self-Consciousness. Cambridge: Cambridge University Press, 1989.

PINKARD, T. ―The Logic of Hegel‘s Logic‖. The Journal of the History of Philosophy, 17, 1979, pp. 417-435.

REDDING, P. Analytic Philosophy and the Return of Hegelian Thought. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

____________ The Relation of Logic to Ontology in Hegel, in Categories and Being. Essays on Metaphysics and Logic, eds. L.Haaparanta and J.Koskinen, Oxford University Press, 2012, pp.145-166.

SCHÄFER, R. Die Dialektik und ihre besonderen Formen in Hegels Logik. ―Hegel-Studien‖, Beiheft 45. Hamburg: Meiner, 2001.

TRISOKKAS. I. Pyrrhonian Skepticism and Hegel’s Theory of Judgment. Leiden: Brill, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.30611/2018n12id33220

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2317-2010

Indexadores:


Portal de Periódicos da UFC

Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - SEER

Sistema Regional de Información en Linea para Revistas Cientificas de America Latina, Caribe, España y Portugal - LATINDEX

CNEN Revista de Livre Acesso - LivRe

Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades - CLASE

Elektronische Zeitschriftenbibliothek - EZ3

Information Matrix for the Analysis of Journals - MIAR

European Reference Index for the Humanities and Social Sciences - ERIHPLUS

Academic Resource Index – Research Bible

Sumários de Revistas Brasileiras – Sumários.org

Academic Keys Humanities - Professional and Technical Journals

OAJI.net – Open Academic Journals Index

Beluga

WorldCat OCLC

SIS – Scientific Indexing Services

InfoBase Index

Portal de Periódicos CAPES

Biblat - Bibliografía Latinoamericana

Diadorim