Marx e a religião: Pressupostos básicos para para uma compreensão da religião na obra de Marx

Resumo

O trabalho se propõe a uma análise da relação entre Marx e a religião, buscando fugir a determinados reducionismos, referindo-se à interpretação que simplifica e generaliza determinada concepção de religião a partir de algumas assertivas de Marx. Para o autor, faz-se necessário compreender tal relação no contexto das obras em que Marx se refere à religião, mais especificamente, o que requer distinguir no pensamento marxiano algumas fases diferenciadas no desenvolvimento de seu pensamento e obras. Nesse sentido, o autor tomou como referências três obras que julgou representativas desse desenvolvimento, em que Marx se refere à religião, comparando-as em função dos dilemas enfrentados por esse autor ao longo de sua vida. A tese do autor é que o foco da crítica da religião em Marx tem como base muito mais, em um primeiro momento, a crítica à filosofia idealista que se apresentava como uma religião; em seguida, uma crítica da alienação humana, compreendida em termos de ideologia religiosa; por último, uma crítica do Capital, que tomara o lugar da divindade, subsumindo o homem como por interior à sua lógica.

Biografia do Autor

Francisco Alencar Mota, Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA

Professor Associado da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, Mestre e Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará – UFC, Pós-Doutor em Estudos Avançados de Cultura Contemporânea – UFRJ.

Publicado
2016-10-06
Seção
Dossiê Filosofia e Religião