LUGAR DE SER INÚTIL: A POESIA COMO RASCUNHO OU O INSTANTE DA POESIA

Lygia Barbachan de Albuquerque Schmitz

Resumo


A partir de uma montagem de leituras que privilegiam a poesia de Manoel de Barros e algumas das ideias de filósofos como George Bataille e Maurice Blanchot, propus uma reflexão em torno da ideia de poesia como rascunho, como instante, discutindo, num segundo momento, a linguagem metafórica, para, por fim, colocar em evidência que o valor da des-obra, do inútil, do nada, tão presente na poética de Manoel de Barros, revela-se como a verdadeira potência da imaginação.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTELO, Raul. Imagens como força. Crítica Cultural, Santa Catarina, v. 3, n. 2, jul./dez. 2008. Disponível em: < http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/article/view/117/128>. Acesso em: jul. 2015.

BARROS, Manoel. Livro sobre Nada. 3. ed. Ilustração Wega Nery. Rio de Janeiro-São Paulo: Record, 1997.

______. Poesia completa. São Paulo: Leya, 2010.

BARTHES, Roland. A metáfora do olho. In: BATAILLE, Georges. História do olho. São Paulo: Ed. Cosac Naify, 2003. p. 127-138.

BATAILLE, Georges. História do Olho. Tradução Eliane Robert Moraes. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

______. O erotismo. Trad. Antonio Carlos Viana. Porto Alegre: L&PM, 1987.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

______. A parte do fogo. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

BORGES, Jorge Luis. A Procura de Averróis. In: ______. Obras completas de Jorge Luis Borges. São Paulo: Ed. Globo, 1999. 1 v.

FOUCAULT, Michel. Prefácio à transgressão. In: Manoel Barros da Mota (Org.). Estética: Literatura e Pintura. Música e Cinema. Tradução Inês Autran. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

METÁFORA. In: DICIONÁRIO aulete digital. O dicionário da língua portuguesa na internet. Disponível em: . Acesso em: ago. 2015.

NANCY, Jean-Luc. Ser Singular Plural. Tradução Antonio Tudela Sancho, Madrid: Arena, 2006.

RIMBAUD, Arthur. Prosa poética. 2. ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 2007.

SALAZAR, Elza de Fátima; GOMES, Selma Veiga Francisco. A voz do professor especialista. Resgatando a memória e narrando histórias de vida. São Paulo: Baraúna, 2013. p. 58-59.

SÓ dez por cento é mentira. Direção de Pedro Cezar. Produção de Pedro Cezar, Katia Adler e Marcio Paes. Rio de Janeiro: Artezanato Eletrônico, 2009. 1 DVD (81 min).

ZAMBRANO, María. Por qué se escribe. Revista de Occidente, Madrid, n. 132, p. 318-328, 1934. Disponível em: . Acesso em: jul. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrelaces - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC

ISSN: 1980-4571

Qualis B2