Mulheres sob controle

Uma análise do cerceamento da linguagem feminina em "Vox", de Christina Dalcher

Resumo

O presente trabalho propõe uma análise do romance Vox, de Christina Dalcher (2018), a partir de sua tradução ao português brasileiro feita por Alves Calado (2018), enfocando, essencialmente, questões do silenciamento da mulher ao longo da história e do desenvolvimento de seu discurso enquanto inserido em uma sociedade densamente patriarcal. Vox caracteriza-se como uma crítica à condição da mulher na contemporaneidade e, pertencendo à categoria de ficção científica distópica feminista, especula sobre um futuro sombrio para as mulheres, as quais perderiam seus direitos à linguagem verbal e, consequentemente, a qualquer tipo de linguagem em um Estados Unidos futurista distópico. Assim, o principal objetivo desse artigo foi refletir sobre a depreciação da linguagem feminina no romance e sobre possíveis indícios de limitação da linguagem feminina na sociedade contemporânea. Os textos teóricos que fundamentam as discussões acerca do discurso, do gênero e do controle dentro de uma sociedade são representados principalmente pelos de Michel Foucault (1997), (1999a), (1999b) e (2006) e de Michelle Perrot (2005). Constatamos que o silenciamento feminino é histórico e que ainda hoje observamos processos de silenciamento literais e simbólicos, que se devem, principalmente, ao fato de que as sociedades contemporâneas se inscrevem em estruturas patriarcais muito antigas.

Biografia do Autor

Mariese Ribas Stankiewicz, UTFPR

Professora de literaturas de língua inglesa do Departamento de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês e Mestre em Inglês e Literaturas Correspondentes (UFSC). Pesquisa sobre as representações de gênero e o estudo das mulheres na literatura, no cinema e/ou no teatro, no escopo das culturas de língua inglesa.

Publicado
2021-03-12