Foco e Escopo

A Revista Extensão em Ação é um periódico de publicação semestral, interdisciplinar, de circulação nacional e internacional, que tem como objetivo difundir os estudos, pesquisas e artigos nas áreas temáticas da extensão universitária, no sentido de promover a produção e a sistematização do conhecimento e a democratização do saber.

Especificamente, a Revista Extensão em Ação tem como objetivos:

Favorecer o aprofundamento de temas conceituais e metodológicos relacionados à prática extensionista; e
Captar artigos científicos de alunos, professores e convidados.

 

Os manuscritos submetidos à publicação na Revista Extensão em Ação precisam estar inclusos nas seguintes Áreas Temáticas:

Comunicação – Comunicação Social; Mídia Comunitária; Comunicação Escrita e Eletrônica; Produção e Difusão de Material Educativo; Televisão Universitária; Rádio Universitária; Capacitação e qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas de Comunicação Social; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área.

Cultura - Desenvolvimento de Cultura; Cultura, Memória e Patrimônio; Cultura e Memória Social; Cultura e Sociedade; Folclore, artesanato e tradições culturais; Produção Cultural e Artística na Área de Artes Plásticas e Artes Gráficas; Produção Cultural e Artística na Área de Fotografia, Cinema e Vídeo; Produção Cultural e Artística na Área de Música e Dança; Produção Teatral e Circense; Rádio Universitária; Capacitação de Gestores de Políticas Públicas; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área; Cultura e Memória Social.

Direitos Humanos e Justiça - Assistência Jurídica; Capacitação e Qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas de Direitos Humanos; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área; Direitos de Grupos Sociais; Organizações Populares; Questão agrária.

Educação - Educação Básica; Educação e Cidadania; Educação à Distância; Educação Continuada; Educação de Jovens e Adultos; Educação Especial; Educação Infantil; Ensino Fundamental. Ensino Médio; Incentivo à Leitura; Capacitação e Qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas de Educação; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área.

Meio Ambiente - Preservação e Sustentabilidade do Meio Ambiente; Meio Ambiente e desenvolvimento sustentável; Desenvolvimento regional e sustentável; Aspectos do meio ambiente e sustentabilidade do Desenvolvimento Urbano e do Desenvolvimento Rural; Capacitação e Qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas de Meio Ambiente; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área; Educação Ambiental; Gestão de Recursos Naturais; Sistemas Integrados para Bacias Regionais.

Saúde - Promoção à Saúde e Qualidade de Vida; Atenção a Grupos de Pessoas com Necessidades Especiais; Atenção Integral à Mulher; Atenção Integral à Criança; Atenção Integral à Saúde de Adultos; Atenção Integral à Terceira Idade; Atenção Integral ao Adolescente e ao Jovem; Capacitação e Qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas de Saúde; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área; Desenvolvimento do Sistema de Saúde; Saúde e Segurança no Trabalho; Esporte. Lazer e Saúde; Hospitais e Clínicas Universitárias; Novas Endemias e Epidemias; Saúde da Família; Uso e dependência de drogas.

Tecnologia - Transferência de Tecnologias Apropriadas; Empreendedorismo; Empresas Juniores; Inovação Tecnológica; Pólos Tecnológicos; Capacitação e Qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas de Qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas de Ciências e Tecnologia; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área; Direitos de Propriedades e Patentes.

Trabalho - Reforma Agrária e Trabalho Rural; Trabalho e inclusão social; Capacitação e Qualificação de Recursos Humanos e de Gestores de Políticas Públicas do Trabalho; Cooperação Interinstitucional e Cooperação Internacional na área; Educação Profissional; Organizações Populares para o Trabalho; Cooperativas Populares; Questão Agrária; Saúde e Segurança no Trabalho; Trabalho Infantil; Turismo e oportunidades de trabalho.

A Revista Extensão em Ação destina-se a professores, pesquisadores, estudantes e profissionais que atuem com extensão universitária.

 

Processo de Avaliação pelos Pares

Os trabalhos serão avaliados de acordo com a pertinência da temática, clareza e objetividade, observando-se também grau de cientificidade e obediência as normas Vancouver.

Os trabalhos serão avaliados por 02 (dois) pareceristas ad hoc.

Não deve ser fornecida aos avaliadores a identificação dos autores.

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece livre acesso imediato ao seu conteúdo, disponibilzando gratuitamente o conhecimento científico ao público, proporcionando maior democratização mundial do conhecimento.



Política Editorial

POLÍTICA EDITORIAL DA REVISTA EXTENSÃO EM AÇÃO

(Aprovada na 5a reunião do Conselho Editorial da Revista Extensão em Ação, conforme ata 5ª Reunião Ordinária Revista PREX, datada de 28/08/2020)

Capítulo I – DO ESCOPO E OBJETIVOS

Art. 1º. A Revista Extensão em Ação é uma publicação semestral editada pela Pró-reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará cujo objetivo é possibilitar o intercâmbio de práticas, reflexões e resultados de ações de extensão desenvolvidas pelas Universidades e outras instituições que se adequem ao escopo, por meio de uma rede ampla e diversificada de atores e instituições sociais.

Art. 2º. A revista dará ênfase a artigos que sirvam como referência teórica ou empírica para a Extensão Universitária. Autopromoção de Instituições, Programas de Pós-graduação, ações extensionistas ou autores deve ser evitada. Por Extensão Universitária, entende-se, basicamente, trabalhos desenvolvidos com o envolvimento da comunidade não-acadêmica.

Art. 3º. Com vistas a alcançar um maior impacto, a revista espera que os artigos submetidos tenham ampla e qualificada revisão bibliográfica, apresentando as principais referências sobre trabalhos de extensão semelhantes e anteriores, e representem contribuições que agreguem conhecimento na área de Extensão Universitária.

Art. 4º. Artigos com natureza de pesquisa serão aceitos, desde que mostrem clara vinculação com a extensão universitária, e que apresentem ampla e qualificada revisão bibliográfica relacionada à extensão universitária, dentro do tema abordado.

Capítulo II DAS RESPONSABILIDADES

Art. 5º. A edição da Revista Extensão em Ação é de responsabilidade do Conselho Editorial, assim constituído:

I. 06 (seis) Editores;

II. 02 (dois) Conselheiros Pareceristas, por Áreas Temáticas.

III. 04 (quatro) representantes estudantis.
§ 1º Exercerão as funções de Editores, os docentes e servidores técnicos-administrativos, mestres ou doutores, que desenvolvam ações extensionistas cadastradas na Pró-Reitoria de Extensão da UFC.
§ 2º Serão Conselheiros Pareceristas 02 (dois) docentes da UFC, com titulação de doutor e 01 (um) de outra instituição de ensino superior – nacional ou internacional.
§ 3º Serão representantes estudantis os bolsistas de extensão do Projeto “Revista Eletrônica PREX-UFC: Extensão em Ação”.

Art. 6º. São Atribuições do Conselho Editorial:

I. Elaborar a política editorial do periódico e a seleção dos manuscritos para publicação;

II. Manter a linha editorial da Revista Extensão em Ação;

III. Emitir pareceres dos trabalhos encaminhados para publicação;

IV. Selecionar os manuscritos a serem publicados;

V. Deferir as solicitações dos desligamentos dos membros do Conselho;

VI. Apresentar e aprovar nomes de Conselheiros Pareceristas em caso de substituições;

VII. Apresentar e aprovar nomes de Pareceristas ad hoc;

VIII. Elaborar as metas anuais da publicação;

IX. Elaborar o relatório anual a ser apresentada à Pró-Reitoria de Extensão;

X. Indexar a revista junto a órgãos nacionais e estrangeiros;

XI. Colaborar na divulgação dos números da Revista.

Art. 7º. Compete aos Editores:

I. Editor: supervisionar o processo editorial; designar submissões ao Editor de Seção para que estes acompanhem a avaliação e edição da submissão; assumir o agendamento e publicação das edições; e convocar e coordenar as reuniões do Conselho Editorial.

II. Editor Gerente: configurar a revista e define funções editoriais; coordenar os trabalhos de editoração, produção e divulgação da Revista; e distribuir os manuscritos dentre os conselheiros pareceristas.

III. Editor de Seção: captar artigos originais, artigos de opinião, relatos de experiência extensionistas, sinopses - capítulos de dissertações e teses associadas às atividades extensionistas; e supervisionar a avaliação da submissão.

IV. Editor de Layout: transformar a submissão editada em composições HTML, PDF,e/ou em formato EPS próprio para publicação eletrônica.

V. Editor de Texto: verificar e corrigir o texto, com finalidade de legibilidade e clareza; questionar o autor sobre possíveis equívocos; assegurar a estrita conformidade do documento com as normas bibliográficas e estilo.

VI. Leitor de Prova: verificar as composições para correção de erros tipográficos e de formatação.
§ 1º Exercerá a função de Editor, o(a) Pró-reitor(a) de Extensão da Universidade Federal do Ceará.
§ 2º Exercerá a função de Editor-gerente o coordenador responsável pela ação da Revista junto a Pró-Reitoria de Extensão.

Art. 8º. Compete aos Conselheiros Pareceristas elaborar parecer acerca da relevância extensionista e ineditismo, bem como da qualidade dos manuscritos enviados para análise, sugerindo sua publicação ou não.
Parágrafo Único. Sempre que o Colegiado julgar pertinente serão convidados Pareceristas ad hoc, com titulação de doutor, pertencentes à instituição de ensino superior – nacional ou internacional, com reconhecida competência nas Áreas Temáticas da extensão universitária.

Art. 9º. Compete aos representantes estudantis, bolsistas de extensão:

I. Assistir os Editores;

II. Propor diretrizes de trabalho a serem adotadas nas reuniões do Conselho Editorial;

III. Participar das reuniões do Conselho Editorial, podendo usar a palavra, emitir opiniões e votar;

IV. Selecionar e classificar os trabalhos recebidos para publicação, por área temática e de acordo com este Regulamento;

V. Relatar a avaliação de trabalho, feita por Pareceristas ad hoc, para seus pares;

VI. Encaminhar modificações a serem feitas pelos autores, quando for o caso;

VII. Acompanhar os trabalhos enviados para publicação até sua efetiva publicação e divulgação;

VIII. Exercer outras funções que lhes forem conferidas pelo Editor.

Capítulo III – DOS AUTORES

Art. 10. Admite-se um número máximo de oito autores.

Art. 11. A participação de cada um deve ser explicitada em uma seção própria denominada ‘Contribuição de cada autor’, logo após ‘Agradecimentos’ e antes de ‘Referências’, conforme modelo no fim desta política. Todos os autores deverão assinar o documento como forma de declaração de autoria.

Art. 12. Os autores deverão ter o cuidado de não se identificarem em outras seções do arquivo principal (texto do artigo).

Art. 13. Um número maior de autores deverá ser justificado e será objeto da avaliação das submissões, podendo ensejar recusas.

Art. 14. Todos os autores devem possuir Orcid. O cadastro pode ser realizado no site https://orcid.org/

Art. 15. Durante o preenchimento das informações de submissão, deve-se cadastrar todos os coautores informados no corpo do trabalho. Deve-se preencher os campos de afiliação de cada um deles. Demais informações relevantes deverão constar no campo ‘Biografia’. Estas informações são apresentadas automaticamente na página do artigo após a publicação.

Art. 16. Um mesmo autor só poderá integrar 2 artigos por edição, sendo um como autor principal e outro como coautor.

Art. 17. Considera-se como autor principal o primeiro autor informado na plataforma.

Art. 18. Exige-se a formação mínima de mestrado concluído, pelo menos, do contato principal para correspondência editorial. Essa função é estabelecida durante a submissão do trabalho, no preenchimento das informações de autores.
§ 1º Todos os autores devem ser cadastrados na submissão com endereços eletrônicos (e-mail) válidos, do contrário a submissão será rejeitada e deverá ser refeita.
§ 2º Os autores são responsáveis por manter seus endereços de e-mails atualizados na plataforma.

Capítulo IV – DA SUBMISSÃO E DO FLUXO DE TRABALHO

Art. 19. Os originais deverão ser submetidos à Revista Extensão em Ação, exclusivamente, pelo endereço eletrônico http://periodicos.ufc.br/extensaoemacao, seguindo os parâmetros descritos nesta Política Editorial.

Art. 20. São aceitos trabalhos em fluxo contínuo no idioma português. As condições de submissão dos manuscritos nos idiomas inglês e espanhol serão definidas pelo conselho editorial e são destinadas a publicações de autores convidados. Os trabalhos encaminhados serão avaliados pelo Conselho Editorial e pelos consultores ad hoc, que deverão recomendar o aceite ou a rejeição do trabalho, e sugerir modificações.

Art. 21. A Revista Extensão em Ação não publica artigos com grande similaridade com publicações anteriores; o plágio e o autoplágio são veementemente condenados. Os autores devem certificar-se de que o conteúdo seja inédito e original. Isso vale, inclusive, para trabalhos completos publicados em eventos. Ideias previamente publicadas devem ser, devidamente, citadas de acordo com as normas.

Art. 22. Em caso de trabalhos de pesquisa com seres humanos, apresentar aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, se for o caso. O arquivo do documento comprobatório deverá ser anexado na plataforma da revista durante a submissão.

Art. 23. Durante a submissão, o autor responsável deve informar a área temática e linha de extensão correspondente. A nomenclatura e conceitos podem ser consultados em: https://prex.ufc.br/acoes/classificacoes/

Art. 24. Em uma primeira etapa, o manuscrito submetido é avaliado pelo Comitê Editorial, que analisa a aderência ao escopo, a adequação das normas descritas nesta política editorial, a contribuição para a discussão da extensão universitária, a pertinência, abrangência e atualidade das referências bibliográficas, a qualidade da redação, e a originalidade do artigo. Essa primeira análise pode ensejar rejeição imediata, solicitação de adequação ou encaminhamento para as etapas seguintes, que podem demandar novas correções.

Art. 25. A ausência de retorno dos autores às solicitações enviadas pela equipe Editorial, com vistas a correções ou esclarecimentos essenciais à publicação, no prazo estipulado, será entendida como desistência do processo de submissão e publicação.

Art. 26. O envio de arquivos complementares, adequações, artigos revistos e outros documentos necessários para a continuidade do fluxo editorial deve ser realizado conforme orientação a ser enviada pela equipe editorial. Caso seja realizada uma nova submissão para o mesmo artigo, a revista informará aos autores que um novo processo será iniciado.

Art. 27. A segunda etapa é realizada por meio de avaliação pelos pares, profissionais com experiência em Extensão Universitária e especialistas nas diferentes áreas temáticas: comunicação, cultura, direitos humanos, educação, meio ambiente, saúde, tecnologia e trabalho.

Art. 28. No processo de seleção, além dos critérios gerais para publicação, serão observados: prioridade do tema, consistência científica, originalidade, atualidade de informação, atendimento de normas éticas e integridade acadêmica.

Art. 29. O sistema de avaliação nesta etapa é duplamente cego. A identificação dos autores não será fornecida aos avaliadores.

Art. 30. A forma final destinada à publicação, passa pela aprovação dos autores (leitura de provas).
Parágrafo único: A partir de outubro de 2020, será facultado que os autores indiquem nomes para atuar como avaliadores do artigo submetido, informando ao Editor o nome completo, instituição de afiliação e endereço eletrônico. Não é permitida a indicação de avaliadores oriundos das mesmas instituições dos autores. É vedada a indicação de avaliadores que tenham participado da elaboração do trabalho, ainda que não sejam parte da lista de autores. As indicações poderão ser adotadas ou não, a critério do Comitê Editorial.

Capítulo V – DOS TRABALHOS

Art. 31. A Revista receberá artigos de acordo com as seções a seguir:

I. Editorial: matéria de responsabilidade do Conselho Editorial da Revista.

II. Artigos: textos analíticos resultantes de estudos e revisões sobre temas relacionados à Extensão Universitária ou de experiências desenvolvidas nas áreas temáticas estabelecidas para a extensão universitária, conforme definições do Capítulo I e Art. 20. Os artigos deverão ter no máximo 35.000 caracteres com espaços, obedecendo o limite de 15 laudas, incluindo os anexos e as referências.

III. Relatos de experiência: textos representando dados descritivos, análise de implicações conceituais, descrição de procedimentos e/ou estratégias de intervenção, apoiados em evidências metodologicamente apropriadas para essa avaliação. Os relatos de experiência deverão ter no máximo 35.000 caracteres com espaços, obedecendo o limite de 15 laudas, incluindo os anexos e as referências.

IV. Opinião: opinião qualificada sobre tópicos específicos em Extensão Universitária (a convite dos editores). No máximo 25.000 caracteres com espaços.

V. Entrevistas: matéria de responsabilidade do Conselho Editorial da Revista ou realizada por um entrevistador convidado.

VI. Resenhas: síntese ou análise crítica de obras relacionadas à Extensão Universitária, publicadas recentemente (no máximo 10.000 caracteres com espaços).

VII. Short Communication: resultados parciais de pesquisa relacionada à ação de extensão. É permitido um máximo de duas figuras e até oito referências e 10.000 caracteres incluindo espaços, com limite de até 08 (oito) laudas, incluindo anexos e referências.

Art. 32. O arquivo principal (texto) deve ser enviado em formato .doc, .docx, .odt ou formatos compatíveis, observando a formatação a seguir:

I. Fonte: Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5 (um e meio);

II. Configurações das margens em 2,5 cm para direita, esquerda, inferior e superior, em formato A4;

III. Caixa alta apenas para as siglas e os títulos;

IV. Não utilizar tabulação em nenhum parágrafo do texto.

Art. 33. Quanto à estrutura, o trabalho deverá ter o seguinte formato:

I. Primeira página:
a) título do trabalho no idioma principal do texto;
b) resumo no idioma principal do texto, com até 250 palavras, que contenha aspectos chave do trabalho, objetivos, metodologia, seus resultados e implicações; não deve conter citações bibliográficas, mas pode conter nomes de autores utilizados como referências teórico-metodológicas, expressos por extenso, sem ano;
c) palavras-chave (mínimo três e máximo cinco) no idioma principal do texto (não repetir palavras contidas no título).
§ 1º: Não incluir o nome dos autores e afiliação no arquivo principal, essas informações deverão constar em um arquivo adicional a ser submetido em paralelo ao manuscrito.

II. Segunda página:
a) Título e resumo do trabalho em Inglês (Abstract) e keywords;
b) Textos em língua inglesa devem conter resumo ou resúmen em português ou espanhol.
§ 2º: recomenda-se, expressamente, que os autores busquem auxílio profissional especializado para elaborar o abstract; meras traduções automáticas serão rejeitadas.

III. Terceira página e subsequentes:
a) Texto propriamente dito, que deverá ser dividido em seções: Introdução, Métodos, Resultados (ou Relato de Experiência, ou equivalente), Discussão, Conclusões - em caixa alta e baixa, e sem numeração de ordem. A critério dos autores, poderá haver subtítulos.
b) As seções acima poderão ser divididas em subseções, com subtítulos em itálico, sem numeração.
c) ‘Seção de Agradecimentos’ deve constar logo antes do item ‘Contribuição de cada Autor’ e depois do texto.
d) Notas devem ser marcadas com números sobrescritos no alto à direita da palavra, e colocadas no final do texto, sob o título ‘Notas’, antes das ‘Referências’, com fonte tamanho 10.
e) ‘Referências’, conforme especificado no Capítulo VII, adiante; todas as referências bibliográficas incluídas na lista de referências devem ser citadas ao longo do texto, e todas as citações bibliográficas constantes no texto devem ser incluídas na seção ‘Referências’.
f) Pelo menos 25% das referências bibliográficas devem ser artigos em periódicos revisados por pares e dos últimos 5 anos.

IV. Em síntese, as seções básicas de um artigo devem ser:
a) Introdução;
b) Procedimentos metodológicos (ou outra denominação equivalente);
c) Resultados (ou Relato de Experiência, ou outra denominação alternativa);
d) Discussão;
e) Considerações finais;
f) Agradecimentos;
g) Contribuição de cada autor;
h) Notas;
i) Referências.

Art. 34. A seção Contribuição de cada autor – deverá seguir o formato (exemplo):

I. Os autores A.A.A. e B.B.B. escreveram o texto final; C.C.C. contribuiu com as análises estatísticas; A.A.A. e D.D.D. planejaram o projeto, e D.D.D. atuou como coordenador e orientador dos bolsistas.

II. A autoria (e co-autoria) deve estar baseada somente em contribuições intelectuais substanciais na (A) concepção, planejamento, análise ou interpretação dos dados, (B) redação do artigo ou sua revisão intelectual crítica, (C) responsabilidade pela aprovação final para publicação. Todas as condições (A, B e C) devem ser cumpridas (Fernandes et al. Rev. HCPA 2008; v. 28, n. 1, p. 26-32, 2008).

III. Ter participado da equipe de um projeto ou ação de extensão não implica, necessariamente, em contribuição intelectual substancial na geração de produtos intelectuais derivados, tais como artigos.

IV. Contribuições menores tais como redação de Abstract, revisão de texto, sugestão de referências bibliográficas ou revisão crítica do texto final devem ser citadas na seção ‘Agradecimentos’.

V. Um arquivo adicional com o título do artigo, o nome dos autores em ordem direta e as respectivas afiliações deverá ser preparado e submetido juntamente com o manuscrito (arquivo principal) na categoria identificada como ‘Identificação dos Autores e Afiliação’, no processo de submissão. Este arquivo não será enviado para os pareceristas, mantendo o sistema duplamente anônimo de avaliação.

Art. 35. Nas seções Resultados e Discussão espera-se uma descrição crítica da experiência ou investigação, trazendo inclusive aspectos negativos, dificuldades ou limitações da metodologia empregada, ou da realidade enfrentada.

Art. 36. A Revista Extensão em Ação é um fórum destinado a contribuir para aperfeiçoar a prática da Extensão Universitária. Uma simples descrição enaltecedora da experiência é aquém da expectativa da Revista.

Art. 37. Quanto ao texto, exige-se correção do português ou da língua estrangeira; os editores recomendam expressamente a busca de auxílio profissional especializado neste sentido. Inadequações promoverão recusas.

Art. 38. A Revista Extensão em Ação se reserva ao direito de efetuar, nos manuscritos aprovados, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores, antes da publicação.

Art. 39. Não utilizar notas de rodapé (apenas notas de final de texto).

Art. 40. Quanto aos elementos gráficos, serão permitidos somente até 2 tabelas ou quadros e 3 figuras ou gráficos, totalizando até 5 elementos gráficos.

I. As ilustrações (mapas, gráficos e fotografias) devem seguir em arquivo(s) anexo(s) a serem inseridos na aba de Carregamento de arquivos da submissão, etapa 3, finalização, anexar um novo arquivo, no formato de arquivo jpg ou tif.

II. Os arquivos devem ser identificados com as iniciais (apenas) do autor principal (para garantir a avaliação anônima) e numeradas (1,2,3, ...), obedecendo às seguintes normas:
a) Figuras (Mapas, Gráficos e Fotografias): com a extensão jpg ou tif e resolução mínima de 300 ppi, em cores ou monocromáticos (tons de cinza) com escala gráfica indicando com clareza hachuras e cores, coordenadas gráficas e orientação, se for o caso. Deverão ser denominadas Figuras e numeradas sequencialmente com algarismos arábicos (Figura 1, Figura 2, etc.).
b) Deve-se Incluir somente figuras que contribuam para ilustrar aspectos importantes da metodologia ou dos resultados do trabalho.
c) Não enviar imagens embebidas em arquivo de editor de texto ou outro meio; em caso de múltiplas imagens compondo uma única figura, os autores devem oferecer a estampa da figura unificada em arquivo jpg ou tif.

III. O título, legendas e fonte (autoria, se for o caso) devem ser incorporados ao texto principal na ordem de sua numeração, e não devem acompanhar o arquivo da figura. A legenda deve ser suficientemente informativa para que o leitor não precise retornar ao texto para sua perfeita compreensão.

IV. Em caso de reprodução de imagens ou figuras de outras fontes, o autor deverá apresentar autorização do detentor dos direitos autorais.

V. No caso de figuras compostas a partir de planilhas eletrônicas, a editoria da revista poderá solicitar os dados originais na respectiva planilha, para obter uma qualidade de diagramação superior, se for necessário.

VI. Tabelas e quadros: devem ser incluídos no final do texto, após referências, sob a denominação “Tabela” ou “Quadro’, numerados sequencialmente com algarismos arábicos, com largura mínima de 8 cm (largura ideal 15 cm), com título posicionado acima e fonte ou autoria (se for o caso) posicionada abaixo, devendo ser, obrigatoriamente, citados no corpo do texto na ordem de sua numeração.

VII. Figuras e tabelas não devem apresentar sobreposição de conteúdo.

Capítulo VI – DAS CITAÇÕES

Para a citação no texto em formato Vancouver será adotado pela revista o modelo de numeração entre colchetes, exemplo: [1], [2], [1, 3] etc.

É importante saber que cada citação será representada por um número e esta numeração é o que guiará a ordem na lista de referências. Assim, o documento/material referenciado poderá ser citado outras vezes dentro do texto, sempre usando o mesmo número.

Art. 41. A numeração indicada na citação deverá aparecer na lista de referências antes da indicação da fonte de onde foi extraída.

Exemplo dentro do texto:

As citações podem ser indiretas, diretas e citação de citação. [1]

Exemplo nas referências:

1. Medeiros JB. Português instrumental. 9ª ed. São Paulo: Atlas; 2010.

Quando houver o uso de uma citação que envolve documentos/materiais diferentes, de referências diferentes, na mesma frase ou parágrafo, deve-se apresentar a numeração de ambas as referências separadas por vírgula.

Exemplo:

Ao contrário das outras áreas médicas, só nos últimos anos, a psiquiatria passou a fazer parte da medicina baseada em evidências. [1,3]

Existem três formas principais de citações no texto: citações diretas, citações indiretas e citações

Citações diretas

É a transcrição do texto da mesma maneira que ele é apresentado no texto consultado, ou seja, é uma cópia de trechos do texto. Esse tipo de citação precisa ser apresentada entre aspas. Além disso, quando for feita a omissão de alguma parte na cópia do texto deve-se usar [...] na parte que foi ocultada.

Exemplo:

“A inclusão da psiquiatria na chamada medicina baseada em evidências foi recente, ao contrário das outras áreas médicas.” [1]

É possível também utilizar o sobrenome do autor na frase para fazer a citação direta. Até seis autores todos devem constar na citação na mesma ordem que aparecem na autoria do documento/material de onde foi extraída. Caso a citação seja de um trabalho com mais de seis autores deve-se usar apenas o sobrenome do primeiro autor e a expressão et al.

Exemplo:

Segundo Versiani [1] “A inclusão da psiquiatria na chamada medicina baseada em evidências foi recente, ao contrário das outras áreas médicas.”

Quando a citação direta for longa, no geral ultrapassando três linhas, assim como nas normas ABNT, deve-se fazer um recuo de 4 cm à esquerda, utilizar fonte 10, espaço simples e sem aspas.

Exemplo:

[...] Como elemento organizador, a informação referencia o homem ao seu destino; mesmo antes de seu nascimento, através de sua identidade genética, e durante sua existência pela sua competência em elaborar a informação para estabelecer a sua odisséia individual no espaço e no tempo. [2]

Citações indiretas

Envolve a interpretação no momento de reprodução das ideias originais do texto, sem fazer cópia das palavras do(s) autor(es), ou seja, repassar a informação baseada no texto, mas com suas próprias palavras.

É possível também utilizar o sobrenome do autor para fazer a citação indireta. Até seis autores todos devem constar na citação na mesma ordem que aparecem na autoria do documento/material de onde foi extraída. Caso a citação seja de um trabalho com mais de seis autores deve-se usar apenas o sobrenome do primeiro autor e a expressão et al.

Exemplo:

A citações podem ser indiretas, diretas e citação de citação. [1]

ou

Conforme Medeiros, [1] as citações podem ser indiretas, diretas e citação de citação.

Quando a citação indireta envolve o uso de documentos/materiais diferentes, de referências diferentes, na mesma frase ou parágrafo, deve-se apresentar a numeração de ambas as referências separadas por vírgula.

Exemplo:

Ao contrário das outras áreas médicas, só nos últimos anos, a psiquiatria passou a fazer parte da medicina baseada em evidências. [1,3]

ou

A conclusão pessoal, na realidade, trata-se de uma verdadeira reelaboração da mensagem transmitida pelo texto. [1,2]

Capítulo VII DAS REFERÊNCIAS

Art. 42. A partir da vigência das Políticas Editoriais aprovadas em 28 de agosto de 2020, a revista adotará o sistema Vancouver

Art. 43. Sobre as normas Vancouver

I. São orientações do Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas (ICMJE) que se reuniu em Vancouver em 1978 para estabelecer um novo padrão de normas para publicação em revistas.

II. No padrão Vancouver as referências devem ser numeradas no corpo do texto de forma consecutiva e devem ser apresentadas na sessão de referências do trabalho na ordem em que são citadas no texto, não em ordem alfabética.

III. A listagem das referências deve ser alinhada à esquerda com espaçamento simples, separadas entre si por um espaço simples.

IV. Quando houver uma indicação de edição, esta deve ser transcrita, utilizando-se abreviaturas dos numerais ordinais e da palavra edição, ambas na forma adotada na língua do documento.

V. O local de publicação deve ser apresentado como está no documento. No caso de homônimos de cidades, acrescenta-se o nome do estado, do país, etc. Quando a cidade não aparece no documento, mas pode ser identificada, indica-se entre colchetes. Não sendo possível determinar o local, utiliza-se a expressão “local desconhecido” entre colchetes.

VI. O nome da editora deve ser apresentado da mesma maneira que está no documento, abreviando-se os prenomes e suprimindo-se palavras que representam a natureza jurídica ou comercial, desde que não sejam importante para identificação. Quando não for possível identificar a editora, pode-se indicar a expressão “editora desconhecida” entre colchetes.

VII. A data é um elemento importante na referência de um material/documento, seja a data de publicação, impressão, copyright, apresentação de um trabalho acadêmico, ou outra. Quando não houver nenhuma data deteminada, pode-se usar uma data aproximada entre colchetes. Os meses devem ser indicados de forma abreviada, no idioma original da publicação.

VIII. Quando o documento for constituído de apenas uma unidade física, indica-se o número total de páginas ou folhas, seguido da abreviatura p. ou f. No caso de publicações periódicas, determina-se as páginas inicial e final da publicação.

Art. 44. Das orientações para as Referências

Referência geral de livro

Os elementos principais são:

Autor(es). Título. Edição (informar a partir da 2. ed). Cidade: Editora; ano de publicação.

Para identificar melhor o documento, pode-se acrescentar elementos complementares à referência.

Exemplo:

Medeiros JB. Português instrumental. 9ª ed. São Paulo: Atlas; 2010

Murray PR, Rosenthal KS, Kobayashi GS, Pfaller MA. Medical microbiology. 4th ed. St. Louis: Mosby; 2002.

Perfil da administração pública paulista. 6ª ed. São Paulo: FUNDAP; 1994. 317 p. Inclui índice. ISBN 85-7285-026-0.

Livros em meio eletrônico.

Exemplo:

São Paulo (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In: São Paulo. Secretaria do Meio Ambiente. Entendendo o meio ambiente [Internet]. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente; 1999 [acesso em 08 mar. 1999]. v. 1. Disponível em: http://www.bdt.org.br/asma/entendendo/atual.htm.

Referência geral de artigo

Pode-se incluir nesse formato de referência publicações periódicas, comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros.

Os elementos principais são:

Autor(es). Título do artigo: subtítulo se houver. Título do periódico abreviado. ano Mês(se houver e abreviado);volume(número do fascículo e/ou suplemento):páginação do artigo.

 

Exemplo:

Halpern SD, Ubel PA, Caplan AL. Solid-organ transplantation in HIV-infected patients. N Engl J Med. 2002 Jul;347(4):284-7.

Harlow BL, Barbieri RL. Influence of education on risk of hysterectomy before age 45 years. Am J Epidemiol. 1999;150(8):843-7.

Brandão AP, Nogueira AR, Oliveira JE, Guimarães JI, Suplicy H, Brandão AA, coordenadores. I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica. Arq Bras Cardiol. 2005;84(Supl I):1-28.

Artigos em meio eletrônico (online, CD-ROM, DVD, etc.)

Exemplo:

Albuquerque ER, Alves EF. Análise da produção bibliográfica sobre qualidade de vida de portadores de feridas crônicas. Saúde Pesqui [Internet]. 2011 [acesso em 17 out. 2014];4(2):147–52. Disponível em: <http://www.cesumar.br/pesquisa/periodicos/index.php/saudpesq/article/viewArtic le/1560

Polgreen PM, Diekema DJ, Vandeberg J, Wiblin RT, Chen YY, David S, et al. Risk factors for groin wound infection after femoral artery catheterization: a case- control study. Infect Control Hosp Epidemiol [Internet]. 2006 [acesso em 05 jan. 2007];27(1):34-7. Disponível em: http://www.journals.uchicago.edu/ICHE/journal/issues/v27n1/2004069/2004069.w eb.pdf

Vieira C, Lopes M. A queda do cometa. Neo Interativa [CD-ROM]. 1994;(2). 1 CD-ROM.

Autor

Apenas o sobrenome do autor é escrito por extenso, sem a necessidade de ser apresentado em caixa alta, apenas a primeira letra do sobrenome deve estar em letra maiúscula. O restante do nome deve ser substituído apenas pelas suas iniciais em letras maiúsculas. Os autores são separados entre si por vírgula.

Exemplo: Valentim MLP, Santos CD.

Número de páginas

Na indicação das páginas inicial e final de um trabalho, determina-se a numeração inicial completa e a extensão final da numeração.

Exemplo: 211-34 / 350-9

Número de autores

Em geral, quando o trabalho possui até seis autores, citam-se todos. Quando há mais de seis autores listam-se os seis primeiros, seguidos de vírgula e a expressão “et al”.

Exemplo:

Mayo RC, Casanova C, Mascarini LM, Pignatti MG, Rangel O, Galati EAB, et al.

Editor, coordenador, organizador, compilador como autor

Deve-se começar com o nome do responsável, seguido da indicação do tipo de participação por extenso. Adequar a indicação de autoria para singular ou plural, de acordo com a quantidade de autores (editor ou editores, organizador ou organizadores, etc.)

Exemplo:

Gilstrap LC 3rd, Cunningham FG, VanDorsten JP, editores. Operative obstetrics. 2nd ed. New York: McGraw-Hill; 2002.

Marcondes E, Lima IN, coordenadores. Dietas em pediatria clínica. 4ª ed. São Paulo: Sarvier; 1993.

Autor entidade

As obras de responsabilidade de entidade (órgãos governamentais, empresas, associações, congressos, seminários, etc.) têm entrada pelo seu próprio nome, por extenso. Quando a entidade tem uma denominação genérica, seu nome é precedido pelo nome do órgão superior, ou pelo nome da jurisdição geográfica à qual pertence.

Exemplo:

American Occupational Therapy Association, Ad Hoc Committee on Occupational Therapy Manpower. Occupational therapy manpower: a plan for progress. Rockville (MD): American Occupational Therapy Association; 1985. 84 p.

Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Tratamento etiológico da Doença de Chagas. Brasília (DF): FUNASA; 1997. 32 p.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Demografia das empresas 2008. Rio de Janeiro (RJ): IBGE; 2010.

Autoria desconhecida

Deve-se começar a referência pelo título.

Exemplo:

21st century heart solution may have a sting in the tail. BMJ. 2002;325(7357):184.

A Educação no contexto da globalização: a ótica dos organismos internacionais. FEMA. 2009;5(11):25-8.

Título e subtítulo

Devem ser reproduzidos da mesma maneira que estão no documento, separados por dois pontos. Diferente das normas ABNT, título e o subtítulo não são destacados nas normas Vancouver.

Exemplo:

Ruiz JA. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 6. ed. São Paulo: Atlas; 2006.

Número sem volume

Exemplo:

Banit DM, Kaufer H, Hartford JM. Intraoperative frozen section analysis in revision total joint arthroplasty. Clin Orthop Relat Res. 2002;(401):230-8.

Necessidade da indicação do tipo de artigo (carta, editorial, comentário)

Exemplo:

Tor M, Turker H. International approaches to the prescription of long-term oxygen therapy [carta]. Eur Respir J. 2002;20(1):242.

Lofwall MR, Strain EC, Brooner RK, Kindbom KA, Bigelow GE. Characteristics of older methadone maintenance (MM) patients [resumo]. Drug Alcohol Depend. 2002;66 Suppl.1:S105.

Capítulo de um livro com autoria própria

Exemplo:

Aguillar VLN. Rastreamento mamográfico e ultra-sonográfico para detecção precoce do câncer de mama. In: Aguillar V, Bauab S, Maranhão N. Mama: diagnóstico por imagem. Rio de Janeiro: Revinter; 2009. p. 115-26.

Capítulo com título específico, mas sem autoria própria

Exemplo:

Junqueira LC, Carneiro J. Histologia básica. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara; 1985. cap. 4, p. 59-85. Tecidos epiteliais.

Eventos

Documentos resultados de um evento, reunidos em formato de atas, anais, resultados, etc.

Considerado no todo

Exemplo:

20ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 1997, Poços de Caldas. Química: academia, indústria, sociedade: livro de resumos. São Paulo: Sociedade Brasileira de Química, 1997.

Trabalho apresentado em evento e divulgado em periódicos

Exemplo:

Almeida MT, Batista NA, Maia FA, Alves MR. Avaliação do professor realizada pelo aluno: impacto nas práticas docentes. Rev Bras Educ Méd. 2011;35(4 supl.1):141-142. Trabalho apresentado ao 49º Congresso Brasileiro de Educação Médica, Belo Horizonte, 2011.

Proceedings of the Fifth Annual Therapeutic Apheresis Academy Educational Conference. September 20-22, 2012. Charlottesville, Virginia, USA. J Clin Apher. 2013;28(1):1-86.

Eventos em meio eletrônico

Exemplo:

Sabroza PC. Globalização e saúde: impacto nos perfis epidemiológicos das populações. In: Anais eletrônicos do 4º Congresso Brasileiro de Epidemiologia [Internet]. Rio de Janeiro: ABRASCO; 1998 [acesso em 17 jan. 1999]. Mesa- redonda. Disponível em: http://www.abrasco.com.br/epirio98/.

Trabalhos acadêmicos (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso, etc.)

Deve-se indicar entre colchetes o tipo de documento (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso, etc.) após o título do trabalho, o local e a data da defesa.

Exemplo:

Morgado MLC. Reimplante dentário [trabalho de conclusão de curso]. São Paulo: Universidade Camilo Castelo Branco, Faculdade de Odontologia; 1990.

Oliveira JB. Ultrafiltração venenosa modificada em pacientes submetidos à revascularização miocárdica com circulação extracorpórea [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina; 2001.

Petesse ML. Caracterização da ictiofauna da represa de Barra Bonita (SP) e adaptação do Índice de Integridade Biótica (IIB) [tese]. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências; 2006.

Trabalhos acadêmicos em meio eletrônico

Exemplo:

Mello DC. O acompanhante de criança submetida à cirurgia cardíaca: possibilidades de atuação do enfermeiro [dissertação na Internet]. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem; 2007 [acesso em 20 out. 2014]. Disponível em: http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=751.

Outros tipos de materiais

Artigo de Jornal

Inclui comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros.

Os elementos principais são: autor, título, título do jornal, local de publicação, data de publicação, seção, caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente. Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo ou matéria precede a data.

Exemplo:

Lopes RJ. Com DNA, grupo acha nova espécie de humano na Ásia. Folha de São Paulo 25 mar. 2010; Folha Ciência; Cad. 8, p. 13.

Artigo de jornal em meio eletrônico

Exemplo:

Kelly R. Electronic publishing at APS: its not just online journalism. APS News Online [Internet]. Nov. 1996 [acesso em 25 nov. 1998]. Disponível em: http://www.aps.org/apsnews/1196/11965.html.

Documento jurídico

Inclui legislação, jurisprudência (decisões judiciais) e doutrina (interpretação dos textos legais).

Os elementos principais são: jurisdição (ou cabeçalho da entidade, no caso de se tratar de normas), título, numeração, data e dados da publicação. No caso de Constituições e suas emendas, entre o nome da jurisdição e o título, acrescenta-se a palavra Constituição, seguida do ano de promulgação, entre parênteses.

Exemplo:

Brasil. Lei nº 6360, de 23 de setembro de 1976. Dispõe sobre a vigilância sanitária a que ficam sujeitos os medicamentos, as drogas, os insumos farmacêuticos e correlatos, cosméticos, saneantes e outros produtos, e dá outras providências. Diário Oficial da União. 24 set.1976;Seção 1:29514.

São Paulo (Estado). Decreto nº 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Lex: Colet Legis Jurisprud. 1998;62(3):217-20.

Documento jurídico em meio eletrônico

Exemplo:

Brasil. Regulamento dos benefícios da previdência social. In: SISLEX: Sistema de Legislação, Jurisprudência e Pareceres da Previdência e Assistência Social [CD- ROM]. Brasília (DF): DATAPREV; 1999. 1 CD-ROM.

Brasil. Lei nº 9.887, de 7 de dezembro de 1999. Altera a legislação tributária federal. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil [Internet]. 8 dez. 1999 [acesso em 22 dez. 1999]. Disponível em: http://www.in.gov,br/m_leis/leis_texto.asp?id=LEI%209887.

Documento cartográfico

Inclui atlas, mapa, globo, fotografia aérea entre outros.

Elementos principais: autor(es), título, local, editora, data de publicação, designação específica e escala.

Exemplo:

Brasil e parte da América do Sul [mapa]. São Paulo: Michalany; 1981. Escala 1:600.000.

Documento cartográfico em meio eletrônico

Exemplo:

Florida Museum of Natural History. 1931-2000 Brazil’s confirmed unprovoked shark attacks [mapa na Internet]. Gainesville: Florida Museum of Natural History; [2000?] [acesso em 15 jan. 2002]. 1 mapa, color. Escala 1:40.000.000. Disponível em: http://www.flmnh.ufl.edu/fish//Sharks/statistics/Gattack/map/Brazil.jpg.

Documentos em meio eletrônico

Como homepages, bases de dados, arquivos em disco rígido, programas, blogs entre outros.

Homepage/Web site

Exemplo:

eatright.org [Internet]. Chicago: Academy of Nutrition and Dietetics; c2016 [acesso em 27 dez. 2016]. Disponível em: http://www.eatright.org/.

Base de Dados na Internet (acesso aberto ou fechado)

Exemplo:

Jablonski S. Online Multiple Congenital Anomaly/Mental Retardation (MCA/MR) Syndromes [Internet]. Bethesda (MD): National Library of Medicine (US); c1999 [atualizada em 20 nov. 2001; acesso em: 12 ago. 2002]. Disponível em: http://www.nlm.nih.gov/archive//20061212/mesh/jablonski/syndrome_title.html

Blogs

Exemplo:

Holt M. The Health Care Blog [Internet]. San Francisco: Matthew Holt. 2003 Oct - [acesso em 13 fev. 2009]. Disponível em: http://www.thehealthcareblog.com/the_health_care_blog/.

Software na Internet

Exemplo:

Hayes B, Tesar B, Zurow K. OTSoft: Optimality Theory Software. Version 2.3.2 [software]. 2013 Jan 14 [acesso em 14 fev. 2015]. Disponível em: http://www.linguistics.ucla.edu/people/hayes/otsoft

Golda TG, Hough PD, Gay G. APPSPACK (Asynchronous Parallel Pattern Search). Version 5.0.1 [software]. Sandia National Laboratories. 2007 Feb 16 [acesso em 04 abr. 2016; download em 05 jan. 2010]. Disponível em: https://software.sandia.gov/appspack/version5.0/index.html Nota: A partir de 17 de maio de 2010 recomenda mudar para o HOPSPACK; disponível em: https://software.sandia.gov/trac/hopspack/wiki

Podcast

Exemplo:

Montenegro O, Mackau R. Tempo das águas [audio podcast]. 2010 [acesso em 14 fev. 2015]. Disponível em: http:oswaldomontenegro.com.br

E-book

Exemplo:

Rodriguez-Garcia R, White EM. Self-assessment in managing for results: conducting self-assessment for development practitioners [E-book]. 2005. doi: 10.1596/9780- 82136148-1

YouTube

Canal

Exemplo:

PsycINFO. Home [YouTube canal]. [2018]. Disponível em: http://youtube.com/PsycINFO

 

Twitter

Tweet de conta pessoal.

Exemplo:

Gates, B. [BillGates]. #Polio is 99% eradicated. Join me & @FCBarcelona as we work to finish the job and #EndPolio. VIDEO: http://b-gat.es/X75Lvy [Tweet]. [2013, February 26]. Disponível em: https://twitter.com/BillGates/status/306195345845665792

Tweet de conta corporativa, institucional, etc.

Exemplo:

Stanford Medicine [SUMedicine]. Animal study shows sleeping brain behaves as if it's remembering: http://stan.md/RrqyEt #sleep #neuroscience #research [Tweet]. [2012, October 09]. Disponível em: https://twitter.com/SUMedicine/status/255644688630046720

Facebook

Atualização de status do Facebook, conta pessoal.

Exemplo:

Gaiman, N. Please celebrate Leap Year Day in the traditional manner by taking a writer out for dinner. It’s been four years since many authors had a good dinner. We are waiting. Many of us have our forks or chopsticks at the [atualização de status de Facebook]. [2012, February 29]. Disponível em: https://www.facebook.com/neilgaiman/posts/10150574185041016

Atualização de status do Facebook, conta corporativa, institucional, etc.

Exemplo:

APA Style. How do you spell success in APA Style? Easy! Consult Merriam- Webster’s Collegiate Dictionary or APA’s Dictionary of Psychology. Read more over at the APA Style Blog [atualização de status de Facebook]. [2011, March 10]. Disponível em: https://www.facebook.com/APAStyle/posts/206877529328877

Capítulo VIII – DOS DIREITOS AUTORAIS

Art. 44. Os direitos autorais seguem a licença da Creative Commons Attribution 4.0, e os autores mantém os direitos autorais sobre o seu trabalho, permitindo, porém, prioridade de publicação para a Revista Extensão em Ação.

Art. 45. O conteúdo dos trabalhos é de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores, sendo os mesmos inéditos e não devem estar em avaliação por outro veículo de publicação.

Capítulo IX - DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 46. Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

Art. 47. Esta Política Editorial entrará em vigência a partir de 30 de setembro de 2020.

Art. 48. Os artigos submetidos antes desse período serão analisados e publicados de acordo com a Política Editorial em vigor anteriormente.

DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADE PELOS AGRADECIMENTOS

MODELO DE CONTRIBUIÇÃO DE CADA AUTOR

Regulamento do Conselho Editorial.