A IMAGEM COMO EXPERIÊNCIA EM UNTITLED FILM STILLS

  • Marcelo R. S. Ribeiro Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Palavras-chave: cinema, fotografia, experiência

Resumo

Em Untitled Film Stills (1977-1980), Cindy Sherman explora uma poética do mascaramento e interroga tanto a construção da “mulher” como identidade (questões de representação) quanto o “olhar masculino” (questões de mediação). Por meio da identificação de diferentes possibilidades de leitura da série, este artigo busca compreender como as Untitled Film Stills constituem a imagem como experiência. Analiso os procedimentos de autorretrato sob rasura, a apropriação de memórias de gêneros narrativos e de representações de identidade de gênero e o jogo com os limites entre visível e invisível, tal como são fixados pela fotografia, mobilizados pelo cinema e experimentados de modos indecidíveis na série de Sherman.

Biografia do Autor

Marcelo R. S. Ribeiro, Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Marcelo R. S. Ribeiro é professor de História e Teorias do Cinema e do Audiovisual, na Faculdade de Comunicação (UFBA). Doutor em Arte e Cultura Visual (UFG) e mestre em Antropologia Social (UFSC), escreve no incinerrante.com e no aquem.in.

Referências

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura (Obras escolhidas, volume 1). Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985.

COCCIA, Emanuele. A vida sensível. Trad. Diego Cervelin. Desterro [Florianópolis]: Cultura e Barbárie, 2010.

COLLINS, L. Mulvey, patriarchy and gender: expression and disruption in visual art. New Review of Film and Television Studies, v. 15, n. 4, p. 415–420, 2 out. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/17400309.2017.1376878. Acesso em: 26/11/2017.

DANTO, Arthur. Untitled Film Stills: Cindy Sherman. New York: Rizzoli, 1990.

DUBOIS, Philippe. O ato fotográfico e outros ensaios. Trad. Marina Appenzeller. Campinas, SP: Papirus, 1994.

MULVEY, Laura. Entrevista com Laura Mulvey. Revista Estudos Feministas, v. 13, n. 2, p. 351–362, ago. 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2005000200008. Acesso em: 26/11/2017.

GLENN, Colleen. Complicating the theory of the male gaze: Hitchcock’s leading men. New Review of Film and Television Studies, v. 15, n. 4, p. 496–510, 2 out. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/17400309.2017.1376892. Acesso em: 26/11/2017.

KRAUSS, Rosalind. Cindy Sherman: Untitled. In: ______. Bachelors. London, Cambridge: The MIT Press, 1999, p. 101-159.

MALUF, Sônia W.; MELLO, Cecilia A. de; PEDRO, Vanessa. Políticas do olhar: feminismo e cinema em Laura Mulvey. Revista Estudos Feministas, v. 13, n. 2, p. 343–350, ago. 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2005000200007. Acesso em: 26/11/2017.

MoMA, The Museum of Modern Art. Cindy Sherman. New York, 2012. Disponível em: http://www.moma.org/interactives/exhibitions/2012/cindysherman/. Acesso em: 26/11/2017.

MULVEY, Laura. Prazer visual e cinema narrativo. Trad. João Luiz Vieira. In: XAVIER, Ismail (org.). A experiência do cinema. São Paulo: Graal, 1983, p. 437-453.

MULVEY, Laura. Visual and other pleasures. Houndmills, Basingstoke, Hampshire: Macmillan, 1989.

MULVEY, Laura. A phantasmagoria of the female body: the work of Cindy Sherman. New Left Review, 1 (188): 1991, p. 137-150.

MULVEY, Laura. Reflexões sobre “Prazer visual e cinema narrativo” inspiradas por Duelo ao sol, de King Vidor (1946). Trad. Silvana Vieira. In: RAMOS, Fernão Pessoa (org.). Teoria contemporânea do cinema, volume I: pós-estruturalismo e filosofia analítica. São Paulo: SENAC, 2005, p. 381-392.

MULVEY, Laura. From a faculty seminar with Laura Mulvey: reflections on visual pleasure. New Review of Film and Television Studies, v. 15, n. 4, p. 385–387, 2 out. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/17400309.2017.1377923. Acesso em: 26/11/2017.

OLIVER, Kelly. The male gaze is more relevant, and more dangerous, than ever. New Review of Film and Television Studies, v. 15, n. 4, p. 451–455, 2 out. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/17400309.2017.1377937. Acesso em: 26/11/2017.

PORTAS, Danusa D. Cindy Sherman: uma criptografia corpórea. Visualidades, v. 9, n. 1: 2011, p. 199-227. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/vis.v9i1.18377. Acesso em: 26/11/2017.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo: Ed. 34, 2005.

ROUILLÉ, André. A fotografia: entre documento e arte contemporânea. Trad. Constancia Egrejas. São Paulo, SENAC, 2009.

SHERMAN, Cindy. The Complete Untitled Film Stills. New York: The Museum of Modern Art, 2003.

SOLOMON-GODEAU, Abigail. Winning the Game When the Rules Have Been Changed: Art photography and postmodernism. In: In: WELLS, Liz (Org.). The photography reader. London & New York: Routledge, 2003.

WILLIAMS, Linda. Blue is the Warmest Color: or the after-life of ‘Visual Pleasure and Narrative Cinema’. New Review of Film and Television Studies, v. 15, n. 4, p. 465–470, 2 out. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/17400309.2017.1376889. Acesso em: 26/11/2017.

Publicado
2017-12-22
Seção
Dossiê Compós