HABILIDADES SOCIAIS EDUCATIVAS EM MÃES DE CRIANÇAS/ADOLESCENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 1

Luziane de Fátima Kirchner, Priscila Benitez, Daniely Ildegardes Brito Tatmatsu, Giovan Willian Ribeiro, Vânia Maria Vargas, Zilda Aparecida Pereira Del Prette

Resumo


Este estudo comparou as Habilidades Sociais Educativas de mães de crianças e adolescentes com e sem Diabetes Mellitus Tipo 1. Utilizou-se como medida de avaliação o Inventário de Habilidades Sociais Educativas para Pais (IHSE-Pais), o Critério de Classificação Socioeconômica Brasil e o Controle Glicêmico (HbA1C) obtido pelo prontuário médico. Os resultados mostraram que as HSEs de mães de crianças e adolescentes com e sem diabetes não são significativamente diferentes, no entanto, no grupo de mães com filhos diabéticos, as variáveis idade da mãe e do filho, tempo em tratamento e Controle Glicêmico (HbA1C) apresentaram correlação com fatores do IHSE-Pais. Os dados são discutidos em suas implicações para intervenções junto aos familiares de crianças com diabetes e doenças crônicas em geral.


Palavras-chave


educação parental; diabetes mellitus tipo 1; infância e adolescência.

Texto completo:

PDF

Referências


Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2014-2015. São Paulo: A.C. Farmacêutica; 2015. Disponível em: http://bibliofarma.com/diretrizes-da-sociedade-brasileira-de-diabetes-2014-2015/

International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas. 7ª ed. Belgium: International Diabetes Federation; 2015. Disponível em: http://www.diabetesatlas.org/

Sherifali D, Ciliska D, O'Mara L. Parenting children with diabetes: exploring parenting styles on children living with type 1 diabetes mellitus. Diabetes educ. 2009; 35(3): 476-83. doi: 10.1177/0145721709333268.

Dashiff C, Hardeman T, Mclain R. Parent–adolescent communication and diabetes: an integrative review. J. adv. nurs. 2008; 62(2): 140–62. doi: 10.1111/j.1365-2648.2007.04549.x

Anderson ME, Marshall K, Tulloch-Reid, DS. “She’s Trying Her Best, Even Though She Gets on My Nerves”: Diabetes and the Caregiver-Child Relationship in Jamaica. Diabetes Spectr. 2013; 26 (2): 131-6. doi: 10.2337/diaspect.26.2.131

Nieuwesteeg AM, Pouwer F, Bakel HJA, Emons WHM, Aanstoot HJ, Odink R, et al., Quality of the parent-child interaction in Young children with type 1 diabetes mellitus: study protocol. BMC pediatr. 2011; 11(28): doi: 10.1186/1471-2431-11-28

Castro EK., Piccini CA. Implicações da Doença Orgânica Crônica na Infância para as Relações Familiares: Algumas Questões Teóricas. Psicol. reflex. crit. 2002; 15(3), 625-35. doi: 10.1590/S0102-79722002000300016.

Piccinini, CA, Castro EK, Alvarenga P, Vargas S, Oliveira VZ. A doença crônica na infância e as práticas educativas maternas. Estud. psicol. 2003; 8(1): 75-83. doi: 10.1590/S1413-294X2003000100009.

Ribeiro PG, Heller DC. Tratamento do diabetes tipo 1: interação entre pais e filhos. In: Brandão MZS, Conte FC, Brandão FS, Ingberman YK, Moura CB, Silva VM, Oliane S M. (Orgs.) Sobre comportamento e cognição: Estendendo a psicologia comportamental e cognitiva aos contextos da saúde, das organizações, das relações pais e filhos e das escolas. Vol. 14. Santo André: Esetec Editores Associados; 2004. p. 224-8.

Del Prette A, Del Prette, ZAP. Psicologia das relações interpessoais: Vivências para o trabalho em grupo. 10ª ed. Petrópolis: Vozes; 2001.

Del Prette ZAP, Del Prette A. Um sistema de categorias de habilidades sociais educativas. Paidéia. 2008; 18(41): 517-30. doi: 10.1590/S0103-863X2008000300008.

Robinson EM, Weaver P, Chen R, Streisand RA, Holmes C S. A Model of Parental Distress and Factors That Mediate Its Link With Parental Monitoring of Youth Diabetes Care, Adherence, and Glycemic Control. Health psychol. 2016; 35(2): 1373-82. Doi: 10.1037/hea0000406

Shorer M, David R, Shoenberg-Taz M, Levavi-Lavil PM, Meverovitch J. Role of parenting style in achieving metabolic control in adolescents with type 1 diabetes. Diabetes Care. 2011; 34(8): 1735-7. doi: 10.2337/dc10-1602.

Freitas MG. Desenvolvimento e avaliação de um programa de habilidades sociais com mães de crianças deficientes visuais [Tese de doutorado]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos. Departamento de Psicologia; 2005.

Pinheiro MIS, Haase VH, Del Prette A, Amarante CLD, Del Prette ZAP. Treinamento de habilidades sociais educativas para pais de crianças com problemas de comportamento. Psicol. reflex. crit. 2006; 19(3): 407-14. doi: 10.1590/S0102-79722006000300009

Rocha M M. Programa de habilidades sociais educativas com pais: Efeitos sobre o desempenho social e acadêmico de filhos com TDAH. [Tese de Doutorado]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos. Departamento de Psicologia; 2009.

Ribeiro PG, Löhr SS. Diabetes Tipo 1: práticas educativas maternas e adesão infantil ao tratamento. In: Guilhardi, HJ, Aguirre NC (Orgs.). Sobre Comportamento e Cognição: Expondo a variabilidade. Vol.16. Santo André: Esetec Editores Associados; 2005.p. 152-63.

Santos JR, Enumo SRF. Adolescentes com diabetes mellitus tipo 1: seu cotidiano e enfrentamento da doença. Psicol. reflex. crit. 2003; 16(2): 411-25. doi: 10.1590/S0102-79722003000200021

Del Prette ZAP, Del Prette A. Inventário de habilidades Sociais Educativas – versão Pais (IHSE-Pais): Dados psicométricos preliminares. Relatório não publicado disponível com os autores. 2013.

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de Classificação Econômica Brasil. 2003. Disponível em: de http://www.abep.org..

Noll RB, McKellop JM, Vannatta K, Kalinyak K. Child-Rearing Practices of Primary Care Children With Sickle Cell Disease: The I of Professionals and Caregivers. J. pediatr. psychol. 1998; 23(2): 131-40. doi: 10.1093/jpepsy/23.2.131

Del Prette ZAP, Del Prette A. Psicologia das habilidades sociais: Terapia, Educação e Trabalho. Petrópolis: Vozes; 1999.

Cincotta NF. The journey of middle childhood-Who are “latency-age” children? In: Austrian SG (Org.). Developmental theories through the life cycle. 2ªed. New York: Columbia University Press; 2008. p 79–132.

Wennick A, Hallstrom I. Families’ lived experience one year after a child was diagnosed with type 1 diabetes. J. adv. nurs. 2007; 60(3): 299-307. doi:10.1111/j.1365- 2648.2007.04411.x

Wennick A, Lundqvist A, Hallström I. Everyday experience of families three years after diagnosis of type 1 diabetes in children: A research paper. J Pediatr Nurs. 2009; 24 (3): 222-20. doi: 10.1016/j.pedn.2008.02.028

Jhonsson L, Lundqvist P, Tiberg I, Hallstrom I. Type 1 diabetes: impact on children and parents at diagnosis and 1 year subsequent to the child’s diagnosis. Scand. j. caring sci. 2014; 29(1):126-35. doi: 10.1111/scs.12140

Silverstein J, Klingensmith G, Copeland K., Plotnick L, Kaufman F, Laffel L, et al., Care of children and adolescents with type 1 diabetes: a statement of the American Diabetes Association. Diabetes Care. 2005; 28(1): 186-212. doi: 10.2337/diacare.28.1.186

Weissberg-Benchell J, Antisdel JE. Balancing developmental needs and intensive management in adolescents. Diabetes Spectr. 2000; 13(2): 88-94. doi inexistente.

Chisholm V, Atkinson L, Bayrami L, Noyes K, Payne A, Kelnar, C. An exploratory study of positive and incongruent communication in young children with type 1 diabetes and their mothers. Child care health dev. 2014; 40(1): 85-94. doi: 10.1111/cch.12004


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.