Qualidade de vida em universitários viajantes do interior do Ceará

Darlene Pinho Fernandes de Moura, Lenise Fernandes Silva, Emanuela Maria Possidônio de Sousa, Thicianne Malheiros da Costa

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar a Qualidade de Vida (QV) de universitários viajantes do interior do Ceará, considerando as variáveis semestre, situação laboral e tempo de viagem. Para tanto, contou-se com a participação de 98 estudantes de Psicologia da cidade de Sobral-CE, com média de idade de 23,9 anos (DP = 6,2; variando de 18 a 47 anos), a maioria do sexo feminino (82,7%) e de religião católica (77,6%). Para coleta de dados, foi utilizado o WHOQOL-Bref e um questionário de caráter sociobiodemográfico.  As análises foram realizadas mediante software SPSS 21. Os resultados indicaram que a qualidade de vida dos estudantes pesquisados se apresentou prejudicada, e algumas das variáveis envolvidas na qualidade de vida se diferenciavam em função do semestre e da situação laboral. Entretanto, não foram observadas relações entre as variáveis e o tempo de viagem.  Por fim, confia-se que os resultados encontrados, ainda que exploratórios, podem contribuir para o conhecimento acerca da qualidade de vida entre estudantes universitários, sobretudo daqueles que precisam viajar para ter acesso ao Ensino Superior.


Palavras-chave


WHOQOL-Bref; qualidade de vida; universitários viajantes.

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, J. G., Tenório, M., Anjos, A. G. D., & Figueroa, J. N. (2010). Qualidade de vida em estudantes de Medicina no início e final do curso: avaliação pelo Whoqol-bref. Revista Brasileira de Educação Médica, 34(1), 91-96.

American Psychological Association- APA (2010). Dicionário de Psicologia: APA. São Paulo: Artmed.

Araújo, A. M., & Almeida, L. S. (2015). Adaptação ao Ensino Superior: O papel moderador das expectativas acadêmicas. Lumen Educare, 1(1), 13-32.

Araújo, A. M., Teixeira, F., Amorim, D., Zenha, G., Azevedo, B., & Santos, L. (2016). Validação da Escala Multidimensional de Suporte Social Percebido em estudantes universitários do ensino superior privado. Psicologia, Educação e Cultura, 20 (1), 171-190

Bampi, L. N., Baraldi, S., Guilhem, D., Araújo, M. P., & Campos, A. C. (2013). Qualidade de vida de estudantes de medicina da Universidade de Brasília. Revista Brasileira de Educação Médica, 37(2), 217-225.

Bezerra, T.S (2013). Vidas em trânsito: juventude rural e mobilidade(s) pelo acesso ao ensino superior (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Fortaleza-CE.

Bolsoni-Silva, A. T., & Loureiro, S. R. (2017). O Impacto das Habilidades Sociais para a Depressão em Estudantes Universitários. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 32(4), 1-8.

Carvalho, E. A., Bertolini, S. M. M. G., Milani, R. G., & Martins, M. C. (2015). Índice de ansiedade em universitários ingressantes e concluintes de uma instituição de ensino superior/Anxiety scores in university entering and graduating students from a higher education institution. Ciência, Cuidado e Saúde, 14(3), 1290-1298.

Catunda, M. A., & Ruiz, V. M. (2008). Qualidade de vida de universitários. Pensamento plural, 2(1), 22-31.

Facundes V. L. D.; Ludemir, A. B (2005). Common mental disorders among health care students. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, 27(3), 194-200.

Faria, J. R., Ferreira, M. G., Garcia, L. L., & Tavares, B. B. (2014). O consumo de álcool e a qualidade de vida de universitários da área da saúde. Arquivos de Ciências da Saúde, 21(2), 82-88.

Fiorotti, K. P., Rossoni, R. R., Borges, L. H., & Miranda, A. E. (2010). Transtornos mentais comuns entre os estudantes do curso de medicina: prevalência e fatores associados. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 59(1), 17-23.

Fleck MP, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, et al (2000). Application of the Portuguese version of the abbreviated instrument of quality life WHOQOL-Bref. Revista de Saúde Pública, 34(2), 178-83.

Fontana, R. T., & Brigo, L. (2011). Estudar e trabalhar: percepções de técnicos de enfermagem sobre esta escolha. Escola Anna Nery, 16(1), 128-33.

Freitas, I. C. M., & Braga, J. R. M. (2013). Os universitários viajantes: suas práticas e sociabilidades. O público e o privado, 1(21),91-108.

Lantyer, A. D. S., Varanda, C. C., Souza, F. G. D., Padovani, R. D. C., & Viana, M. D. B. (2016). Ansiedade e Qualidade de Vida entre Estudantes Universitários Ingressantes: Avaliação e Intervenção. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 18(2), 4-19.

Maciel, E. S. et al. (2013). Correlação entre nível de renda e os domínios da qualidade de vida de população universitária brasileira. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, 5 (1), 53-62

Manzato, L. et al (2011). Consumo de álcool e qualidade de vida em estudantes universitários. Revista da Faculdade de Educação Física da Unicamp, 9(1), 37-53

Mendes-Netto, R. S., da Silva, C. S., Costa, D., & Raposo, O. F. (2013). Nível de atividade física e qualidade de vida de estudantes universitários da área de saúde. Revista de Atenção à Saúde, 10(34), 47-55.

Mendonça, S.H & Araújo, L. S. (2016) Esgotamento profissional e qualidade de vida no trabalho: uma revisão integrativa. Psicologias, 1(2), 1-19.

Moura, I. H., Nobre, R., Cortez, R. M. A., Campelo, V., de Macêdo, S. F., & Silva, A. R. V. (2016). Qualidade de vida de estudantes de graduação em enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, 37(2), 1-7.

Paro, C. A., & Bittencourt, Z. Z. (2013). Qualidade de vida de graduandos da área da saúde. Revista Brasileira de Educação Médica., 37(3), 366-375.

Petrini, A. C., Margato, G., & Junior, G. D. (2013). Avaliação da percepção da qualidade de vida de jovens universitários: comparativo entre graduandos do turno diurno e noturno. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, 5(3),1-8.

Pinho, A. P. M .Tupinambá, A. C. R & Bastos, A. V. B.,(2016). O desenvolvimento de uma escala de transição e adaptação acadêmica. Revista de Psicologia, v.7, n.1, 51-64.

Sakae, T. M., Padão, D. L., & Jornada, L. K. (2010). Sintomas depressivos em estudantes da área da saúde em uma Universidade no Sul de Santa Catarina–UNISUL. Revista AMRIGS, 54(1), 38-43.

Santos, A. K, Reis, C. C., Chaud, D. M., & Morimoto, J. M. (2014). Qualidade de Vida e Alimentação de Estudantes Universitários que moram na região central de São Paulo sem a presença dos pais ou responsáveis, 7(10), 76-99.

Santos, W. S. D., Gouveia, V. V., Fernandes, D. P., Souza, S. S. B. D., & Grangeiro, A. S. D. M. (2012). Alcohol Use Disorder Identification Test (AUDIT): exploring its psychometric parameters. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 61(3), 117-123.

Saupe, R., Nietche, E. A., Cestari, M. E., Giorgi, M. D. M., & Krahl, M. (2004). Quality of life of nursing students. Revista latino-americana de enfermagem, 12(4), 636-642.

Silva, A., & Neto, J. L (2014). Associação entre níveis de atividade física e transtorno mental comum em estudantes universitários/Association between levels of physical activity and common mental disorder in university students. Motricidade, 10(1), 49-60.

Silva, R. S., & Costa, L. A. (2015). Prevalência de transtornos mentais comuns entre estudantes universitários da área da saúde. Encontro: Revista de Psicologia, v. 15, n.23, 105-112.

Silveira, C., Norton, A., Brandão, I. & Roma-Torres, A. (2011). Saúde mental em estudantes do ensino superior. Acta Médica Portuguesa, 24(S2), 247-256

Skevington, S. M., & McCrate, F. M. (2012). Expecting a good quality of life in health: assessing people with diverse diseases and conditions using the WHOQOL‐BREF. Health Expectations, 15(1), 49-62.

Soares, A. B., Francischetto, V., Dutra, B. M., Miranda, J. M. D., Nogueira, C. C. D. C., Leme, V. R....et al (2014). O impacto das expectativas na adaptação acadêmica dos estudantes no Ensino Superior. Psico-USF, 19(1), 49-60.

Soares, A. B., Mourão, L., Santos, A. A., & Mello, T. V. (2016). Habilidades Sociais e Vivência Acadêmica de Estudantes Universitários. Interação em Psicologia, 19(2), 211-223.

Soares, A. M., Pereira, M., & Canavarro, J. P. (2014). Saúde e qualidade de vida na transição para o ensino superior. Psicologia, Saúde & Doenças, v.15, n.2, 356-379.

Souza, M. S., Baptista, A. S. D., & Baptista, M. N. (2015). Relação entre suporte familiar, saúde mental e comportamentos de risco em estudantes universitários. Acta colombiana de Psicologia, 13(1), 143-154.

Teixeira, M. A. P., Castro, G. D., & Piccolo, L. (2007). Adaptação à universidade em estudantes universitários: um estudo correlacional. Interação em Psicologia, 11(2), 211-220.

Tombolanato, M. C (2005). Qualidade de vida e sintomas psicopatológicos do estudante universitário trabalhador. (Dissertação de Mestrado). Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas- SP.

Torquato, J. A., Goulart, A. G., Vicentin, P., & Correa, U. (2010). Avaliação do estresse em estudantes universitários. InterSciencePlace, 1(14), 140-154

Veiga, C., Cantorani, J. R. H., & Vargas, L. M. (2016). Qualidade de vida e alcoolismo: um estudo em acadêmicos de licenciatura em educação física. Conexões, 14(1), 20-34.

Waiselfisz, J. J (2015). Mapa da violência 2015: Adolescentes de 16 e 17 anos do Brasil. Brasília, DF: Instituto Sangari.

Whoqol Group (1995). The World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Social Science & Medicine, 1(41), 403-410.

Whoqol Group (1998). Development of the World Health Organization WHOQOL-BREF quality of life assessment. Psychological medicine, 28(3), 551-558.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

      

        

CNENlogo_livre2.png      ResearchBib      

    

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.