Qualidade de Vida no Trabalho de motoristas e cobradores do transporte coletivo de Uberlândia

Alysson Oliveira Vieira, Heila Magali da Silva Veiga

Resumo


A preocupação com a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) tem sido um tema presente na atualidade tanto entre pesquisadores quanto entre gestores. A despeito da relevância dessa temática, existem categorias profissionais que foram pouco estudadas, como os motoristas e cobradores de ônibus. A atividade de motorista e cobrador de ônibus caracteriza-se por cumprir rigorosamente os horários preestabelecidos para o itinerário, a lida com o trânsito, riscos de acidentes e assaltos, não existência de horário fixo de trabalho e responsabilidade sobre a segurança dos passageiros. Assim sendo, o objetivo geral do trabalho é: investigar a percepção de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) dos motoristas e cobradores do transporte coletivo da cidade de Uberlândia utilizando o modelo de Hackman e Oldman (1975). Para tanto foi utilizada uma amostra de conveniência de 168 trabalhadores, sendo 54.2% motorista e 45.2% cobradores, 89.3% são do gênero masculino e com tempo médio de serviço de 72 meses. Para aferir QVT foi utilizada uma amostra validada já disponível na literatura e a aplicação individual. Os resultados mostraram diferenças na percepção de QVT em função do tempo de serviço, mas não em função do cargo. Os achados foram cotejados com a literatura.


Palavras-chave


Qualidade de vida no trabalho; Hackman-Oldman; motoristas; cobradores

Texto completo:

PDF

Referências


Achkar, T. C. S (2006). Síndrome de Bornout: repercussões na qualidade de vida no trabalho de profissionais de saúde de um hospital privado na cidade de Cascavel –PR. Dissertação de mestrado, Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, Mato Grosso, Brasil.

Antloga, C. S. (2009). Práticas gerenciais e Qualidade de Vida no Trabalho: O caso das micro e pequenas empresas do setor de serviços de alimentação em Brasília. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações. Tese de Doutorado. Universidade de Brasília, Brasília, D.F.

Assunção, A. A.; Medeiros, A. M (2015). Violência a motoristas e cobradores de ônibus metropolitanos, Brasil. Revista Saúde Pública, Belo Horizonte, Minas Gerais, 45 (11), 1-10.

Araújo, J. G. (2014). Desafios e oportunidades do transporte rodoviário. Harvard Business Review Brasil, 1(1), 1-10. Disponível em: http://hbrbr.com.br/desafios-e-oportunidades-do-transporte-rodoviario/, acesso em 13/06/2016.

Baptista, L. L. (2012). A qualidade de vida no trabalho na fronteira entre autogestão e heterogestao: um estudo qualitativo na Cooperativa Cotravic. Programa de Pós- graduação em Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo Tese de Doutorado. São Paulo.

Battiston, M.; Cruz, R.M; Hoffmann, M.H (2006). Condições de trabalho e saúde de motoristas de transporte coletivo urbano. Estudos de Psicologia, 11 (3), 333-343.

Bastos, A. V. B.; Souza, J. J; Costa, V. M. F (2006). Programas de qualidade de vida no trabalho em contextos diferenciados de inovação: uma análise multivariada. Anais do Encontro anual da ANPAD, Associação Nacional de Pós-graduação em Administração Salvador, Bahia, Brasil.

Campanario, M. A; França, A. C. L (2000). Paradigmas de qualidade de vida no trabalho e sistema de gestão participativa em pesquisa tecnológica. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo.

Coutinho, M. L. G; Maximiano, A. C. A; Limongi-Franca, A. C (2010). Implantacao de programas de qualidade de vida no trabalho com o modelo de gestão de projetos. Revista Gestao de Projetos, São Paulo, 1 (1), 172-189.

Davi, L. M. L., Bruno-Faria, M. F. (2007). Qualidade de vida no trabalho: construção e validação de uma escala em organizações militares do exército. Revista de Administração, 42(4), 431-442.

Dejours, C. (1992). A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho; tradução de Ana Isabel Paraguay e Lucilia Leal Ferreira, 5ª Ed. Ampliada, São Paulo, Cortez – Oboré.

Fernandes, L. C. (2013). Qualidade de vida no trabalho e vivências de bem-estar e mal-estar em um órgão do poder judiciário. Programa de pós graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília.

Ferreira, R. R., Ferreira, M. C., Antloga, C. S., Bergamaschi, V. (2009). Concepção e implantação de um programa de qualidade de vida no trabalho no setor público: o papel estratégico dos gestores. Revista de Administração, São Paulo, 44 (2), 147-157.

Ferreira, M. C. (2011). Qualidade de vida no trabalho: uma abordagem centrada no olhar dos trabalhadores. Brasilia: Ler, Pensar e Agir.

França, A. C. L. (2004). Qualidade de vida no trabalho – QVT: conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. São Paulo: Atlas.

França, A. C. L. (2008). Práticas de recursos humanos (prh): conceitos e procedimentos. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, A., Gutierrez, G. L., Vilarta, R. (2005). Gestão da Qualidade de Vida na Empresa. Campinas, SP: IPES Editorial.

Goulart, I. B., & Sampaio, J. dos R. (1999). Qualidade de vida no trabalho: uma análise da experiência de empresas brasileiras. In: J. dos R. SAMPAIO, Qualidade de vida, saúde mental e psicologia social:estudos contemporâneos II. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Hackman, J. R.; Oldham, G.R. (1975). Development of the Job Diagnostic Survey. Journal of Applied Psychology, 60(2), 159-170.

Marzban, S., Najafi,M., Asefzadeh, S., Gholami, S., Rajaee, R. (2016). Effect of workload on quality of work life among staff of the teaching hospitals of Shahid Beheshti University of Medical Sciences. Journal of Qazvin Univ Med Sci, 20 (1), 63-69.

Medeiros, E. G., Mazilli, C. (2002). Análise da Qualidade de Vida no Trabalho: um estudo de caso na área da construção civil. Programa em Pós Graduação em Administração Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Medeiros, L. F. R; Ferreira. M. C (2011). Qualidade de vida no trabalho: uma revisão da produção cientifica de 1995-2009. Gestão Contemporânea, 8 (9), 9-34.

Melo, E. R. (2011). Teletrabalho, qualidade de vida no trabalho e satisfação profissional: um estudo exploratório numa amostra de profissionais na área de Tecnologia da Informação. Dissertação de Mestrado em Psicologia. Universidade de Lisboa.

Monteiro, J.K, Maus, D., Machado, F. R, Pesenti, C., Bottega, & Carniel, L. B (2007). Bombeiros: um olhar sobre a qualidade de vida no trabalho. Psicologia Ciência e Profissão, 27(3), 554-565.

Mourão, T. J. L. de O., Kilimnik, Z. M., & Fernandes, E. (2005). Qualidade de Vida no Trabalho: um estudo de caso na Pró-Reitoria de Pessoal da Universidade Federal do Rio de Janeiro. In: Anais do Encontro anual da ANPAD, Associação Nacional de Pós-graduação em Administração, Brasília, DF.

Neri, M., Soares, W. L., Soares, C. (2005) Condições de saúde no setor de transporte rodoviário de cargas e passageiros: um estudo baseado na pesquisa nacional por amostra de domicílios. Caderno de Saúde Publica, Rio de Janeiro, 21 (4) 1107-1123

Pedroso, B. & Pilatti, L. A (2009). Notas sobre o modelo de qualidade de vida no trabalho de Walton: Uma revisão literária. Conexões, 7 (3), 28-43.

Sampaio, J. R. (2012). Qualidade de vida no trabalho: perspectiva e desafios atuais. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 12 (1), 121-136.

Schirmeister, R. (2006). Qualidade de vida no trabalho e comprometimento organizacional: um estudo em equipes multicontratuais em um instituto de pesquisa tecnológica. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós Graduação em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Silva-Junior, A. S., Maline, E., Silva, P. O. M., Funchal, B., & Silva, A. N. (2012). Qualidade de vida no trabalho e niveis hierárquicos. Pretexto, 13 (1), 154-178.

Singh, K. P., Gupta, O. J., Singh, A. (2016). A study on quality of work life and motivation among employees in special reference of Indian Organizations. Rama University, Uttar Pradesh, Kanpur.

Souza, A.A; Ramos, P. (s.d) Relacionamento Interpessoal nas Organizações. Instituto Catarinense de Pós Graduação.

Tannhauser, C. L (1994). Qualidade de vida no trabalho: contribuições ao papel do psicólogo organizacional. Dissertação de mestrado. Programa de Pós Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Vasconcelos, A. F (2001). Qualidade de vida no trabalho: origem, evolução e perspectivas. Caderno de pesquisa em Administração. São Paulo, 8(1), 23-35.

Verson, A. B. S., Fiates, G. G. S, Dutra, A., Carneiro, M. L., Martins, C. (2013). O recurso mais importante para as organizações são mesmo as pessoas? Uma análise da produção científica sobre qualidade de vida no trabalho (QVT). Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 6 (1), 139-156.

Zenasni, L. A. F., Ripoll, S. H. P (2016). Understanding the mediation role of quality of work life on the relationship between emotional intelligence and organizational citizenship behaviors. Psychological Reports, 118 (1), 107-127.

Walton, R. E. (1973). Quality of working life: what is it? Sloan Management Review, Cambridge, USA, 15(1), 11-21.

Werther, W; Davis, K. (1983). Administração de pessoal e recursos humanos. São Paulo: McGraw Hill.

Westley, W. A. (1979). Problems and solutions in the quality of working life. Human Relations, 32(2), 113-123.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

      

        

CNENlogo_livre2.png      ResearchBib      

    

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.