Da sensação à materialização: máquinas de infuência e as estéticas da diferença sexual

  • Kaciano Gadelha Universidade Federal do Ceará

Resumo

Este artigo recupera um texto clássico de Viktor Tausk sobre sintomas esquizofrênicos relatados por pacientes que diziam estar sendo controlados por uma máquina. Tausk formula uma tese sobre a “máquina de influência” que será examinada neste artigo em relação com as histórias da sexualidade, da loucura e do sexo para questionar a dimensão material da sexualidade e o que ainda insiste como uma perspectiva discursiva da sexualidade. Ao discorrer sobre esses problemas chega-se ao novo materialismo e à perspectiva de uma performatividade pós-humanista desenvolvida por Karen Barad, a qual o argumento deste artigo se filia para pensar uma relação intra-activa entre corpos e máquinas, humanos e não-humanos. Conclui-se que pesquisas sobre uma história das materialidades sexuais se fazem necessárias na medida em que elas ampliam o olhar sobre o corpo e a sexualidade para além do construtivismo discursivo.

Palavras-chaves: máquina de influência, sexualidade, materialidades, performatividade.


Publicado
2017-10-20