Cidade Cega: uma encenação pelo direito a uma Cidade Sensível

  • Carlos Alberto Ferreira da Silva

Resumo

A presente discussão propõe refletir a importância do direito a uma Cidade Sensível, através da encenação somático-performativa Cidade Cega, cujos atores/performers são pessoas com deficiência visual. O texto tem como objetivo abordar, a partir da encenação, questões que permeiam o cotidiano da urbe, por um viés sensível. Assim, a função do Flâneur Cego, torna-se um elemento performativo, responsável por acessar as camadas da cidade, através da supressão da visão e potencialização dos demais sentidos. Portanto, o texto enfatiza a partir de uma experiência prática os contextos de uma cidade não acessível para as pessoas que possuem um corpo com deficiência. Por isso, a necessidade de se pensar o direito à cidade para qualquer cidadão que a ocupa.

Publicado
2019-02-02