A Cultura Estratégica Brasileira na Atualidade

Paulo Vladimir Sousa da Silva

Resumo


O presente trabalho tem como temática o estudo da Cultura Estratégica Brasileira, visando analisar suas interconexões e influências, bem como seus principais aspectos atuais. Para cumprir esse objetivo foi realizada uma pesquisa bibliográfica e documental, que empregou abordagem qualitativa e técnicas, conforme metodologia de Lakatos e Marconi (2010). As principais fontes utilizadas foram trabalhos científicos acadêmicos de pesquisadores e manuais da atual doutrina militar brasileira. Em termos teóricos, inicialmente, foram introduzidos os antecedentes e os principais aspectos gerais da Cultura Estratégica. No desenvolvimento do trabalho, foram analisadas as influências geográficas e históricas, assim como foram apresentados possíveis impactos na Cultura Estratégica Brasileira. Em decorrência de tal pesquisa, foi verificada as correlações do conceito de cultura estratégica com a realidade atual do Brasil.


Texto completo:

PDF

Referências


BONALUME NETO, Ricardo. Despreparo militar marca história do país. Folha de S. Paulo, São Paulo, 13 março 2011.

BRASIL. Estado-Maior do Exército. Portaria nº 109, de 21 de setembro de 2001. Aprova o Manual de Campanha C 124-1-Estratégia. 3ª Ed. Brasília, DF, 2001.

______. Exército Brasileiro. Estado-Maior do Exército. Manual de Transformação do Exército. 3ª edição. 2010. Disponível em . Acesso em: 25 fev. 2015.

______. Política Nacional de Defesa. Brasília, DF, 2012(a). Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 16.

______. Estratégia Nacional de Defesa. Brasília, DF, 2012(b). Disponível em: . Acesso em: 5 jan. 14.

______. Livro Branco de Defesa Nacional. Brasília, DF, 2012(c). Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 1c.

______. Instituto de Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasil em síntese. Portal IBGE, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 16.

CALAZA, Claudio Passo. Aviões no Contestado: descortinando um emprego militar inédito. Revista Brasileira de História Militar, v.3, n. 8, p.72-91, 2012.

CPDOC/FGV (Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil). Fatos & Imagens - 1944: O Brasil vai à guerra com a FEB. Fundação Getulio Vargas, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

CORRÊA, Glauco Corbari. A Política de Defesa do Brasil No Século XXI. Brazil’s Defense Policy in the 21st Century. Coleção Meira Mattos-Revista das Ciências Militares, v. 8, n. 31, p. 29-38, 2014.

COUTAU-BÉGARIE, Hervé. Tratado de estratégia. Tradução de Brigitte Bentolila de Assis Manso et al. Rio de Janeiro: Escola de Guerra Naval (2010).

EAKIN, Marshall C. Espaço, Lugar, Identidade... e Tempo: História, Geografia, e as Origens da Cultura Estratégica Brasileira. Revista Eletrônica-Expedições/Expeditions: Teoria da História e Historiografia (ISSN 2179-6386), v. 5, n. 1, p. 42-56, 2014.

ECEME (Escola de Comando e Estado-Maior do Exército). CONTEÚDO BÁSICO DE HISTÓRIA MILITAR (atualizado em 11/2009). Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

FERRER, Francisca Carla Santos. A (re) organização do Exército Brasileiro na Guerra do Paraguai. Biblos, Rio Grande, v. 17, p.121-130, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

GAULLE, Charles De. O fio da espada. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 2001.

JOHNSTON, Alastair Iain. Thinking about strategic culture. International security, v. 19, n. 4, p. 32-64, 1995.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010. 312p.

LAURENZANO, Mayra Cristina. Os conflitos platinos e a formação do Estado Brasileiro (1808-1828). 2008. Dissertação de Mestrado. Londrina: UEL.

MARQUES, Adriana Aparecida. Amazônia: pensamento e presença militar. 2007. 233f. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. 2007.

MARQUES, Adriana A.; MEDEIROS FILHO, Oscar. Entre a “Segurança Democrática” e a “Defesa Integral”: Uma Análise de Duas Doutrinas Militares no Canto Noroeste do Subcontinente Sul-Americano. In INSTITUTO DE PESQUISA Econômica Aplicada. O Brasil e a segurança no seu entorno estratégico: América do Sul e Atlântico Sul. Brasília: Ipea, 2014.

MATTOS, Carlos de Meira. Geopolítica e modernidade: geopolítica brasileira. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 2002.

MEDEIROS FILHO, Oscar. Cenários geopolíticos e emprego das Forças Armadas na América do Sul. 2005. Dissertação de Mestrado. São Paulo: USP.

NEUMANN, Iver B; HEIKKA, Henrikki. Grand Strategy, Strategic Culture, Practice: The Social Roots of Nordic Defence. Cooperation and Conflict: Journal of the Nordic international Studies Association, v.10, n.1, 2005.

SENHORAS, Eloi Martins. Cultura estratégica e projeção brasileira nas relações internacionais. Memorias del VI Congreso Latinoamericano de Ciencia Política, Quito, Ecuador, 2012. Disponível em: . Acesso em 02/02/2017.

TRAVASSOS, Mário. Projeção Continental do Brasil. São Paulo: Companhia Editoria Nacional, 1935.

UFRJ. Defesa e Gestão Estratégica Internacional (DGEI) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

UFSC. Cotidiano. UFSC. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.