Hannah Arendt e o pensamento político: a arte de distinguir e relacionar conceitos

  • André Duarte

Resumo

O texto discute a peculiaridade do pensamento político arendtiano, cuja originalidade e independência com relação aos critérios ideológicos clássicos, tais como direita e esquerda, frequentemente desconcerta seus leitores, tanto mais que a própria autora não revela os princípios metodológicos fundamentais que orientam seu pensamento. A hipótese é que a principal característica do pensamento político arendtiano reside em sua capacidade de distinguir e relacionar conceitos. Esta interpretação opõe-se às leituras que enfatizam o caráter rígido e dicotômico das distinções arendtianas, aspecto que as tornariam inviáveis para a discussão de problemas políticos contemporâneos. Com relação a essas críticas, argumento que, frente à ruptura da tradição, Arendt exercita um pensamento “sem amparos”, nem dialético nem esquemático, mas que simultaneamente distingue e relaciona conceitos opostos, tornando-os inteligíveis por meio de sua confrontação e complementaridade. Penso finalmente que o esclarecimento desse procedimento metodológico permite reler as obras de Arendt de maneira a ressaltar a atualidade de sua reflexão para os problemas político-sociais do presente.

 

Palavras-chave: Arendt; Pensamento político; Distinção conceitual; Ruptura da tradição.

Publicado
2013-01-01
Edição
Seção
Dossiê Hannah Arendt