O processo de formação de proposições e a possibilidade da dúvida no Sobre a Certeza de Wittgenstein

  • Carlos Eduardo Batista de Sousa

Resumo

No Sobre a Certeza, Wittgenstein discute questões epistemológicas centrais, como a natureza do conhecimento, o ceticismo e a dinâmica da formação de proposições que podem valer ora como regra e ora como empírica. O autor sugere que o conhecimento difere da certeza; esta última serve de base para o conhecimento e, certezas são expressas na forma de proposições fulcrais, i.e., proposições que servem de fundamento para a formulação de proposições empíricas. Proposições fulcrais estão isentas da dúvida porque já foram validadas. Para que seja possível duvidar destas proposições, é necessário a existência de um contexto que permita seu questionamento, do contrário não há a possibilidade de levantar dúvidas. Contudo, proposições fulcrais não são absolutas, pois podem vir a ser empíricas e como tal, sofrer novos questionamentos, dentro de contextos específicos. Este artigo visa entender o processo de estruturação e distinção de proposições fulcrais e empíricas, e como elas são aceitas pela comunidade linguística.

 

Palavras-Chave: Fundacionalismo; Dúvida; Conhecimento; Certeza.

Publicado
2013-01-01
Edição
Seção
Diversos