O herói moral na Filosofia Moral de Eric Weil

  • Luís Manuel A. V. Bernardo Doutor em Filosofia. Professor da Universidade Nova de Lisboa.

Resumo

Neste artigo procuramos compreender a razão pela qual Eric Weil não abdicou da figura controversa do herói na sua Filosofia Moral, publicada em 1961, mediante uma análise detalhada das passagens que lhe dedica. Ao detectarmos um diálogo constante e consistente com as versões do heroísmo moral de Henri Bergson e de Karl Jaspers, das quais retoma os principais aspectos, subvertendo, contudo, o seu sentido original, em favor de uma representação que se revela paradoxal, fomos levados a desenvolver a ideia do jogo interno de remissões entre a Filosofia Moral e a Lógica da Filosofia, sua obra-mestra. Deste modo, procurámos defender a tese de que a vigência da categoria do heroísmo moral decorre de uma necessidade discursiva, mais do que histórica ou cultural, sendo essa a originalidade da concepção de Eric Weil.

Palavras-chave: Filosofia moral; Heroísmo; Lógica da Filosofia; Eric Weil; Henri Bergson; Karl Jaspers.

Biografia do Autor

Luís Manuel A. V. Bernardo, Doutor em Filosofia. Professor da Universidade Nova de Lisboa.
Doutor em Filosofia. Professor da Universidade Nova de Lisboa.
Publicado
2014-08-13
Edição
Seção
Dossiê Eric Weil