O amor insano de Propércio em diálogo com a filosofia moral

  • Francisco Edi de Oliveira Sousa Professor da Universidade Federal do Ceará

Resumo

Este trabalho propõe uma leitura da obra de Propércio fundada na vertente da filosofia que considera as paixões uma doença e prescreve uma terapia filosófica. A presença da filosofia em Propércio não é julgada relevante; diante disso, esta leitura representa um objetivo desafiador. Tal investigação apoia-se em essência nos textos filosóficos de Cícero, sobretudo nos treze capítulos iniciais das Tusculanae disputationes. Aplicado aos poemas de Propércio, esse instrumental teórico fundamenta inicialmente o exame da paixão erótica, da ira e da noção de “ultrapassagem do limite” (modus) e depois o da busca de cura para a “doença” elegíaca e o de um recurso à filosofia como medicina da alma. Os resultados reforçam a hipótese de a filosofia moral ser um importante elemento para a caracterização da elegia amorosa latina em geral e para a obra de Propércio em particular.

Palavras-chave: Propércio; elegia amorosa latina; filosofia moral.

Publicado
2014-07-01
Edição
Seção
Dossiê Filosofia Antiga