Uma explicação cognitiva do ‘segue-se’

  • Cícero Antônio Cavalcante Barroso Professor Adjunto da Universidade Federal do Ceará

Resumo

O principal ponto de partida de qualquer lógica dedutiva é o fato de que alguns enunciados se seguem necessariamente de outros. A lógica fornece regras que nos permitem demonstrar essas conexões entre enunciados, mas ainda é possível indagar por que devemos aceitar essas regras. Há várias respostas possíveis. Neste artigo, farei uma rápida análise de algumas delas, mas me concentrarei em expor e analisar a resposta cognitiva, segundo a qual as regras da lógica devem ser aceitas porque temos certos mecanismos inatos de processamento dedutivo que nos capacitam a ver que as inferências lógicas elementares são válidas. Ao analisar essa explicação, tentarei mostrar também que ela parece nos remeter a uma tese metafísica mais forte, a saber, a tese de que o desenho de nosso módulo de processamento lógico nos diz algo sobre as propriedades lógicas do nosso mundo.

Palavras-chave: Inferência dedutiva; base neurobiológica da dedução; realismo lógico.

Publicado
2015-01-01
Edição
Seção
Varia