Peirce and Hume around empiricism: a double strategy of the pragmatist method in response to skepticism

  • José Renato Salatiel Doutor em Filosofia. Centro de Estudos de Pragmatismo – PUC-SP

Abstract

Argumentamos neste artigo que o pragmatismo de Charles Sanders Peirce, ao mesmo tempo em que expandiu o conceito de experiência, reduziu o escopo dos dados empíricos em uma dupla estratégia de natureza metafísica e epistemológica. Por um lado, ele trabalhou uma concepção mais ampla de realidade do que aquela defendida pelos empiristas britânicos, inebriados pela doutrina nominalista. Por outro, ele propôs uma espécie de ‘empirismo mínimo’, em que razão e experiência compõem a base sobre as qual se origina o conhecimento, tese melhor elaborada em sua teoria da percepção. Desta forma, o pragmatismo peirciano responde ao ceticismo de David Hume a respeito da justificação de questões de fato e da possibilidade da metafísica como ciência.

References

CUMMINS, Phillip D. ‘Humes’s Diffident Skepticism’, in Hume Studies, vol. XXV, nº 1 e 2. Abr./nov. 1999, pp. 43-65. Disponível em: <http://www.humesociety.org>.

HOOKWAY, Christopher. Peirce. The Arguments of the Philosophers. Londres e Nova York: Routledge, 1992.

HOUSER, Nathan. ‘Action and Representation in Peirce’s Pragmatism’. Proceedings of the 2005 International Conference: Pragmatismo e Filosofia Analitica - Differenze e

interazioni in Rome, Italy, 2005 (in press).

HUME, David. Investigações sobre o entendimento humano. Trad. de José Oscar de Almeida Marques. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

______. Tratado da Natureza Humana: uma tentativa de introduzir o método experimental de raciocínio nos assuntos morais. Trad. de Débora Danowski. 2ª ed. rev. e ampliada. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

IBRI, Ivo Assad. Kósmos Noetós: a arquitetura metafísica de Charles S. Peirce. Col. Estudos, vol. 130. São Paulo: Perspectiva e Hólon, 1992.

McDOWELL, John. Mente e Mundo. Trad.: João Vergílio Gallerani Cuter. São Paulo: Idéias e Letras, 2005.

MEEKER, Kevin. ‘Hume: radical skeptic or naturalized epistemologist?’, in Hume Studies, vol. XXIV, nº 1. Abr. 1998, pp. 31-52. Disponível em: <http://www.humesociety.org>.

NASCIMENTO, Carlos Arthur Ribeiro do. (1981). ‘A Querela dos Universais Revisitada’, em Cadernos PUC. São Paulo: Editora da PUC/ Cortez, nº 13, pp. 37-73.

PEIRCE, Charles Sanders. Collected Papers. 8 vols. Charles Hartshorne, Paul Heiss e Arthur Burks (eds.). Cambridge: Harvard University Press, 1931-1958. [Citado como CP seguido do número do volume e do parágrafo.]

_____. Essential Peirce. Nathan Houser et al. (eds.). 2 vol. Bloomington: Indiana University Press, 1992-98. [Citado como EP, seguido dos números do volume e da página.]

SALATIEL, José Renato. “Filosofia Analítica e Pragmatismo: W. Sellars e C.S. Peirce sobre o ‘mito do dado’”, in Prometeus - Filosofia em Revista, ano 3, nº 6. Jul./dez. 2010, pp. 21-32.

Published
2011-07-01
Issue
Section
Artigos