A tautologia na palavra “bioética”

João Cardoso de Castro

Resumo


Este artigo analisa os sentidos dos termos que compõem a palavra bioética e en- tende que esses sentidos têm consequências nas dimensões de investigação para a disciplina. Nossa argumentação pretende demonstrar uma tautologia na compo- sição do termo “bioética”, seja na composição do termo usando palavras do antigo pensamento grego, como bios e ethos, seja usando termos como bio e ética, já consagrados no século XVIII e assim incorporados à ciência moderna em consoli- dação. Não propomos nenhum outro termo em substituição, mas indicamos a pos- sibilidade de uma leitura empobrecida do sentido da Bioética, por conta de uma tautologia “viciosa” na composição moderna. Nossa proposta é escutar de maneira grega as palavras gregas buscando o significado “perdido” de êthos e bios de ma- neira que se possa fazer ressoar seus sentidos originais no programa da Bioética. Uma tautologia ainda, no entanto, virtuosa.

Palavras-chave: bioética; bios; ethos; tautologia; Heidegger. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ARGUMENTOS - Revista de Filosofia

© 2015 Programa de Pós-Graduação em Filosofia-UFC/ICA
ISSN (online):1984-4255 | ISSN (Impresso):1984-4247