O percurso pela noção de força em Edith Stein

Maria Inês Castanha de Queiroz

Resumo


Neste artigo temos o objetivo de apresentar a pesquisa sobre o desenvolvimento da concepção de força realizado pela filósofa Edith Stein em seus Escritos Filosóficos, Antropológicos e Pedagógicos. Este percurso na obra steiniana tem raízes na surpresa e admiração pela consistência, profundidade e atualidade de sua Antropologia Filosófica na qual elabora a descrição fenomenológica da Pessoa Humana. Ela apresenta influências aristotélico-tomistas em seu corpo teórico e na elaboração do conceito de força que tem pertinência central no dinamismo das dimensões da corporeidade, da psique e do espírito, realçadas em sua unidade. Além de ressaltar o percurso do conceito de força, temos o objetivo de propiciar reflexões sobre a manifestação da força na perspectiva da interação pessoa-comu- nidade nas vivências do mundo-da-vida. A grandiosidade e densidade do pensa- mento de Edith Stein aumentam o desejo de nos aprofundar em seu conhecimento que implica numa escuta atenta de nós mesmos e da alteridade. A concepção steiniana de ser humano revela e enfatiza sua visão de totalidade provocando res- sonâncias na Psicologia, Educação e ciências afins.

Palavras-chave: Antropologia Filosófica; Edith Stein; Força; Pessoa Humana; Dinamismo. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Resultado de imagem para logotipo redib

ARGUMENTOS - Revista de Filosofia

© 2015 Programa de Pós-Graduação em Filosofia-UFC/ICA
ISSN (online):1984-4255 | ISSN (Impresso):1984-4247