A experiência antepredicativa em Edmund Husserl e sua recepção na filosofia de Edith Stein

  • Eduardo Dalabeneta

Resumo

A experiência antepredicativa foi descrita por Edmund Husserl para circunscrever a recepção passiva que constitui a vida da consciência. Segundo a descrição hus- serliana, essa é a região das afecções e da orientação primordial do ego imediata- mente anterior a toda atividade explicativa racional. É esta região que fundamenta a formação de conhecimentos por meio de atos comparativos e explicativos (pro- cessos de sínteses ativas). Essas descrições da experiência antepredicativa hus- serliana podem ser encontradas em algumas partes de escritos de Edith Stein, especialmente em Introdução à filosofia, no manuscrito Palavra, verdade, sentido e linguagem e em Ser finito e eterno: ensaio de uma ascensão ao sentido do ser. Embora Edith Stein não tenha tido acesso ao pensamento maduro de Husserl sobre esse tema presente na obra Experiência e juízo (1939), publicada postuma- mente por Ludwig Landgrebe, o acesso aos manuscritos husserlianos e às intui- ções do mestre já presentes em Lições para uma fenomenologia da consciência interna do tempo possibilitaram a incorporação da experiência antepredicativa husserliana em suas pesquisas.

Palavras-chave: Edmund Husserl; Edith Stein; Experiência antepredicativa. 

Publicado
2018-01-02
Edição
Seção
Dossiê Edith Stein