A destruição da forma-homem em Nietzsche e Foucault

  • Wandeílson Silva de Miranda Doutor em Filosofia pela UFRJ e professor da UFMA.

Resumo

Este trabalho apresenta uma análise do problema da morte do homem nas filoso- fias de Nietzsche e Foucault. Abordando as críticas ao humanismo e à metafísica da tradição, ambos estabeleceram uma quebra com a concepção clássica do hu- manismo, propondo em seu lugar uma nova concepção de homem a partir das novas e complexas forças do presente.

Palavras-chave: Homem. Anti-humanismo. Máquina. Ethos.

Biografia do Autor

Wandeílson Silva de Miranda, Doutor em Filosofia pela UFRJ e professor da UFMA.

Graduado em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão - UFMA (2005). É mestre e doutor pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Referências

ATLAN, Henri. O Homem sistema aberto. In: ______. Lógica da Lógica. Belo Horizonte: Spaço-Editora, 1983.

DELEUZE, Gilles. Foucault. Paris: Les éditions de Minuit, 1986

______. Pourparlers. Paris: P.U.F., 1990.

FOUCAULT, Michel. Dits et écrits I 1954-1975. Paris: Gallimard, 2001a. ______. Dits et écrits II 1976-1988. Paris: Gallimard, 2001b.

______. As palavras e as coisas. Tradução de Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

ACOB, François. Le jeu des possibles: essai sur la diversité du vivant. Paris: Fayard, 1982. LAFONTAINE, Céline. O império cibernético, das maquinas de pensar ao pensa-

mento máquina. Tradução de Pedro Felipe Henriques. Lisboa: Instituto Piaget, 2007. NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral, uma polêmica. Tradução de Paulo

césar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. Fragmentos do Espólio (primavera de 1884 a outono de 1885). Tradução de Flávio R. Kothe. Brasília: Editora UNB, 2008.

PEARSOU, Keith Ansell. Viroid Life. London-New York: Routledge, 1997. SANTOS, Laymert Garcia dos. Politizar as novas tecnologias, o impacto sócio-téc-

nico da informação digital e genética. São Paulo: Editora 34, 2003.

SIMONDON, Gilbert. Du mode d’existence des objets techniques. Paris: Aubier, 2012.

Publicado
2019-04-22
Edição
Seção
Artigos