Por uma filosofia do porvir: Nietzsche e o pensamento como criação

  • Roberta Liana Damasceno Costa Professora da UESPI.
  • Thiago Ayres de Menezes Silva Mestre em Filosofia.

Resumo

Dentre os problemas colocados pelo pensamento de Friedrich Nietzsche à filosofia encontra-se o niilismo. Uma vez que esse conceito é empregado com múltiplos significados no percurso intelectual do filósofo alemão, o presente trabalho possui dois objetivos, primeiramente, analisar a importância dessa noção para o projeto de renovação do pensamento filosófico nietzschiano a partir de sua crítica à meta- física tal como ele a concebe; em segundo lugar, examinar o alcance desse as- pecto específico de seu pensamento para a construção de outras possibilidades de elaboração da atividade filosófica. Para o primeiro desses movimentos, nos voltaremos especificamente para a problemática da “morte de Deus” em sua re- lação com o que Nietzsche compreende como a fragilização da metafísica, condu- zido até sua aporia própria; para o segundo movimento, veremos como diferentes filósofos lidaram com essa questão e desenvolveram, cada um, à sua maneira, propostas distintas de renovação da filosofia.

Palavras-chave: Niilismo. Hermenêutica. Genealogia. Filosofia Crítica.

Biografia do Autor

Roberta Liana Damasceno Costa, Professora da UESPI.

Doutoranda em Filosofia Moderna e Contemporânea pelo Programa de Pós graduação em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Professora substituta no curso de Filosofia da UESPI - Parnaíba.

Thiago Ayres de Menezes Silva, Mestre em Filosofia.

Mestre em Filosofia pelo Programa de Pós-graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Piauí – UFPI.

Referências

DESCARTES, René. Obras escolhidas. São Paulo: Editora Perspectiva, 2010. DELEUZE, Gilles. Conversações. 1972-1990. 3. ed. São Paulo: Edições 34, 2013. ______. Nietzsche. Lisboa: Edições 70, 2009.

______. Nietzsche e a filosofia. Porto: RÉS Editora, 1978.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. Vol. 1. 2. ed. São Paulo: Edições 34. 2011.

FOUCAULT, Michel. “Nietzsche, a Genealogia e a História”. In: Microfísica do Poder. 25. ed. São Paulo: Graal, 2012.

______. “Nietzsche, Freud, Marx”. In: ______. Arqueologia das Ciências e História dos Sistemas de Pensamento. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária. (Ditos e Escritos II). 2013.

______. História da Sexualidade I. A Vontade de Saber. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2014.

HEIDEGGER, Martin. Nietzsche. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 2014. ______. Ser e Tempo. 10. ed. Petrópolis: Editora Vozes; Bragança Paulista. Editora

Universitária São Francisco, 2015.

NIETZSCHE, Friedrich. Além do Bem e do Mal. Prelúdio a uma Filosofia do Futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

______. Aurora. Reflexões sobre os Preconceitos Morais. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

______. A Gaia Ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

______. Crepúsculo dos Ídolos. Ou como se Filosofa com o Martelo. São Paulo:

Companhia das Letras, 2013a.

______. Fragmentos Póstumos. Vol. VI: 1885-1887. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 2013b.

VATTIMO, Gianni. O Fim da Modernidade. Niilismo e Hermenêutica na Cultura Pós-moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

______. Diálogos com Nietzsche. Ensaios 1961-2000. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

Publicado
2019-04-22
Edição
Seção
Artigos