A cultura organizacional em uma instituição de ensino superior privado, na perspectiva de diferentes públicos

  • Magela Duarte Just IMED- PASSO FUNDO
  • Claudete Batistella IMED
  • Elaine Taufer IMED
  • Janaína Macke IMED Business School; Universidade de Caxias do Sul (UCS)
Palavras-chave: Cultura Organizacional. Instituição de Ensino Superior. Valores e Práticas.

Resumo

As organizações compõem-se de diferentes públicos que interagem entre si, formando sua cultura organizacional (CO). Esta investigação analisa a CO de uma IES privada – a IMED –, na perspectiva de professores, técnico-administrativos e alunos. Sua natureza é quantitativa e estatístico-descritiva, adotando o IBACO – Instrumento Brasileiro para Avaliação da Cultura Organizacional, adaptado. Resultados sugerem que a cultura daquela IES manifesta sua boa interação com o público interno e com as forças sociais, promovendo ambiente de convivência agradável. Há coerência entre os valores analisados e os da IMED, assim como diferenças na percepção de valores e práticas da IES entre os públicos. A limitação da pesquisa evidencia-se em ter sido realizada em uma única IES. Este estudo auxiliará gestores a traçarem estratégias de atuação, fortalecendo sua CO, e contribui para o avanço nas pesquisas sobre CO, ao propor a adaptação do IBACO ao contexto de IES privadas.

 

Biografia do Autor

Magela Duarte Just, IMED- PASSO FUNDO
Mestre
Claudete Batistella, IMED
Mestre
Elaine Taufer, IMED
Mestranda
Janaína Macke, IMED Business School; Universidade de Caxias do Sul (UCS)
Professora do PPGA/Imed Business School - Passo Fundo RS e Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Referências

AKTOUF, O. O simbolismo e a cultura de empresa: dos abusos conceituais às lições empíricas. In: CHANLAT, J. F. O indivíduo na Organização: dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, 2007.

ARMSTRONG, M. A. Handbook of Human Resource Management Practice. 10. ed. London: Kogan Page, 2006.

BERTERO, C. Cultura organizacional e instrumentalização do poder. In: FLEURY, M. T. L. et al. Cultura e poder nas organizações. São Paulo, Atlas, 1989.

CAMERON, K. S.; QUINN, R. E. Kultura organizacyjna-diagnoza i zmiana: model wartości konkurujących. Oficyna Ekonomiczna, 2006.

CALORI, R.; SARNIN, P. Corporate culture and economic performance: a french study. Organization Studies, v. 12, n. 1, p. 49-74, 1991.

CRESWELL, J. W. Pesquisa de métodos mistos. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

DEAL, T. E.; KENNEDY, A. A. Corporate cultures reading. MA: Addison-Wesley, 1982.

DEVELLIS, R. F. Scale Development: theory and applications. Newbury Park, CA: Sage Publications, 1991.

FERREIRA, M. C.; ASSMAR, E. M. L.; ESTOL, K. M. F.; HELENA, M. C. C. C.; CISNE, M. D. C. F. Desenvolvimento de um instrumento brasileiro para avaliação da cultura organizacional. Estudos de Psicologia, v. 7, n. 2, 2002.

FERREIRA, M. C.; ASSMAR, E. M. L. Cultura Organizacional: desenvolvimento de um instrumento brasileiro para avaliação da cultura organizacional. In: SIQUEIRA, M. M. M.(Org.). Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

FURNHAM, F. A.; GUNTER, B. Corporate assessment: auditing a company’s personality. London: Routledge, 1993.

GEERTZ, C. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

GOMES, G.; MACHADO, D., JOAQUIN, A. Determinantes da Cultura de Inovação: Estudo na Indústria Têxtil de Santa Catarina. Brazilian Business Review, p. 105–129, 2015.

HOFSTEDE, G. Cultural dimensions in management and planning. Asia Pacific journal of management, v. 1, n. 2, 1984.

HOFSTEDE, G.; HOFSTEDE, G. J.; MINKOV, M. Cultures and organizations: software of the mind. London: McGraw-Hill, 1991.

HOFSTEDE, G. Culture and organizations: software of the mind, intercultural cooperation and its importance for survival. London: Harper Collins, 1994.

HOFSTEDE, G.; NEUIJEN, B.; OHAYV, D. D.; SANDERS, G. Measuring organizational cultures: a qualitative and quantitative study across twenty cases. Administrative Science Quarterly, v.35, n.2, p. 286-316, 1990.

IMED. Institucional: missão, visão e valores. Passo Fundo: IMED, 2016. Disponível em: <https://www.imed.edu.br/institucional/Missao-visao-valores>. Acesso em: 25 jun. 2016.

JERMIER, J. M. Critical epistemology and the study of organizational culture: reflections on Street Corner Society. In: FROST, P. J.; MOORE, L. F.; LOUIS, M. R.; LUNDBERG, C. C.; MARTIN, J. (Eds.). Refraiming Organizational Culture. London: Sage, p. 254-270, 1991.

JUNG, T.; SCOTT, T.; DAVIES, H. T. O.; BOWER, P.; WHALLEY, D.; MCNALLY, R.; MANNION, R. Instruments for exploring organizational culture: A review of the literature. Public Administration Review. v. 69 n. 6 p. 1087-1096, 2009.

LATHAM, G. P. A. Speculative Perspective on the Transfer of Behavioral Science Findings to the Workplace “The Times They are A-Changin’”. Academy of Management Journal, v. 50, n. 5, p. 1027-1032, 2007.

LOESCH, J. W. Managing culture: The invisible barrier to strategic change. California Management Review, v. 28, p 95-109, 1986.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L. G. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

MEGLINO, B. M.; RAVLIN, E. C. Individual values in organizations: concepts, controversies and research. Journal of Management, v. 24, n. 3, p. 351-389, 1998.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de estratégias. Porto Alegre: Bookmann, 2000.

MORO, A. B.; BALSAN, G. A. L.; COSTA, V. M. F.; SCHETINGER, M. R. C. Clima organizacional: fatores significativos na percepção de docentes e discentes vinculados a programas de pós-graduação. Revista Gestão Universitária na América Latina – GUAL, v. 7, n. 3, p. 01–21, 2014.

MORGAN, G. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 2002.

NUNNALLY, J. C. Psychometric theory. 2nd ed. New York: McGraw-Hill, 1978.

PENTEADO, S.T. Identidade e poder na universidade. São Paulo: Cortez, 1998. PETER, T. J.; WATERMAN, R. H., Jr. In Search of Excellence: lessons from America’s best-run companies. New York: Harper & Row, 1982.

PETTIGREW, A. M. On Studying Organizational Cultures. Administrative Science Quarterly, n.2 v. 4, 1979.

PETTIGREW, A. M. A Cultura das Organizações é Administrável? In: Fleury M. T. L.; Fischer, R. M. (coord). Cultura e Poder nas Organizações. São Paulo, Atlas, 1989.

RIZZATTI, G.; RIZZATTI, G. Jr.; SARTOR, V. V. B. Categorias de análise de clima organizacional em universidades federais. In: Colóquio Internacional sobre Gestão Universitária na América do Sul, IV, 2004, Florianópolis. Anais... IV Colóquio Internacional sobre Gestão Universitária na América do Sul, Florianópólis, 2004.

SANTOS, N. M. B. F.; ROSSO, M. J. U.; Mancini, M. Desvendando a cultura organizacional em Instituições de Ensino Superior. Revista Acadêmica Mutitemática – APG PUCSP, São Paulo, 2004.

SCHEIN, E. H. Organizational culture and leadership: A Dymamic View. San Francisco: Jossey-Bass, 1992.

SCHEIN, E. H. SMR forum: How can organizations learn faster? The challenge of entering the green room. Sloan Management Review, v. 34, n. 2, p. 85, 1993.

SCHEIN, E. H. Three cultures of management: The key to organizational learning. MIT Sloan Management Review, v. 38, n. 1, p. 9, 1996.

SCHEIN, E. H. Cultura Organizacional e Liderança. São Paulo, Atlas, 2009.

SCOTT, T., M., R.; DAVIES, H.; MARSHALL, M. The quantitative measurement of organizational culture in health care: a review of the available instruments. Health Services Research, v. 38, n. 3, 2003.

SMIRCICH, C. Concepts of culture and organizational analysis. Administrative Science Quarterly, Ithaca, v. 28, n. 3, 1983.

SROUR, R. H. Poder, cultura e ética nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TAMAYO, A.; GONDIM, M. G. C. Escala de valores organizacionais. Revista de Administração, v. 31, n. 2, 1996.

VERBEKE, W. A revision of Hofstede et al.´s (1990) organizational practices scale. Journal of Organizational Behavior, v. 21, n. 5, 2000.

ZANETIN, R. Poder, Cultura e instituições de Ensino Superior Particulares (IES): desempenho e comunicação. Escola de Comunicações e Artes. Tese de doutorado PUCSP. São Paulo, 2006.

ZONATTO, V. C. S.; MACHADO, D. P. N.; LOURENSI, A.; BOGONI, N. M. Cultura organizacional em uma instituição de ensino superior: um estudo de caso sob as perspectivas propostas por Hofstede (1991). Revista Eletrônica de Administração e Turismo (ReAT), v. 1, 2012.

Publicado
2018-04-30
Seção
Artigos