TECNÉ: DO PROJETO PROMETEICO À MODERNIDADE FÁUSTICA

Palavras-chave: Filosofia da técnica, filosofia da tecnologia, história da tecnologia

Resumo

Este texto resulta de uma pesquisa bibliográfica em perspectiva histórico-filosófica, e nele se aborda o problema da técnica e suas múltiplas interfaces. A abordagem cartográfica procura evidenciar conceitos e focar textos que permitem superar efeitos demasiado familiares, de senso comum, no tratamento das relações entre técnica, ciência e tecnologia. O percurso do trabalho tece visita às tradições clássicas de Homero e Hesíodo, seguida pela referência ao pensamento grego, que adensa uma interessante perspectiva sobre a técnica, compreendida como techné, expressão da produção poética — distinta da prática, “práxis”, e da ciência, “episteme”. Seguem registros que abrangem a conjugação entre ciência e técnica, culminando com o cenário da Modernidade Fáustica. Trata-se, portanto, de um recorte de amplo espectro que considera a técnica como forma de atividade humana, como objetos ou sistemas de objetos ou, ainda, como forma de conhecimento. Abrange, portanto, o fazer humano, homo faber; o saber, homo sapiens; o poder, homo politicus; o saber e a demência, homo sapiens-demens. Daqui resulta a compreensão de que a pesquisa do tema implica em estabelecer conexões que transversalizem múltiplos registros e discursos filosóficos, históricos, axiológicos, políticos.

Referências

ALENCASTRO, M. S. Aspectos do pensamento ético frente à modernidade tecnológica. Dissertação de mestrado. Curitiba, Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, Programa de Pós-graduação em Tecnologia, 2003.

BERMAN, M. Tudo o que é sólido desmorona no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BERNAL, J. D. Science in history. Trad. Antonio Neves Pedro. Lisboa: Livros Horizonte, 1969. v. 2.

COMPAGNON, A. Os cinco paradoxos da modernidade. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

CUPANI, A. Filosofia da tecnologia: um convite. Florianópolis: UFSC, 2011.

CHAUÍ, M. Convite à filosofia. 13. ed. São Paulo: Ática, 2004.

ÉSQUILO. Prometeu acorrentado. Trad. J. B. de Mello e Souza. [e-book]
eBooksBrasil.com, 2005. Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/prometeu.html.

GAMA, R. A tecnologia e o trabalho na história. São Paulo: Livraria Nobel S. A., 1986.

GOETHE, J. W. von. Fausto. Trad. Antonio Feliciano de Castilho. [e-book] Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/faustogoethe.html. Acesso em: 12 jan. 2012.

HESÍODO. Os trabalhos e os dias. Trad. Mary de Camargo Neves Lafer. 3 ed. São Paulo: Iluminuras, 1996.

LATOUR, B. A esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos. Trad. Gilson César Cardoso de Sousa. Bauru: EDUSC, 2001.

MIRANDA, A. L. Da natureza da tecnologia: uma análise filosófica sobre as dimensões ontológicas, epistemológica e axiológica da tecnologia moderna. Dissertação de mestrado. Curitiba, Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, Programa de Pós-graduação em Tecnologia, 2002.

MITCHAM, C. Que és la filosofia de la tecnologia? Barcelona: Antropos, 1989.

MOTOYAMA, S. (org.). Educação técnica e tecnológica em questão. São Paulo: UNESP, 1996.

PLATÃO. Protágoras – Górgias – Fédon. Trad. Carlos Alberto Nunes. 2. ed. Belém: EDUFPA, 2012.

REALE, G.; ANTISERI, D. História da filosofia. 4. ed. São Paulo: Paulus, 1990. v. 2.

REALE, G. História da filosofia Antiga. São Paulo: Paulus, 1995. v.1

VARGAS, M. Para uma filosofia da tecnologia. São Paulo: Alfa-Ômega, 1994.

VARGAS, M. Metodologia da pesquisa tecnológica. São Paulo: Alfa-Ômega, 2003.
Publicado
2021-08-28
Seção
Dossiê Filosofia da Técnica e Educação (III)