DO “DIALÉTICO PRIMEVO” À TEORIA CRÍTICA COMO “LEGÍTIMA DEFESA”: ENTREVISTA COM CHRISTOPH TÜRCKE

Palavras-chave: Teoria Crítica, Capitalismo high tech., Compulsão à repetição, Estudo de ritual

Resumo

A entrevista resgata, em conexão a outros trabalhos, a discussão das obras de Christoph Türcke traduzidas e publicadas no Brasil. Por um peculiar fio teológico, em seu curso interconectam-se os mundos arcaico e high-tech e os temas da democracia e da educação. Sob o diagnóstico de um processo social de desagregação do aparelho sensorial humano, a Teoria Crítica é apresentada como legítima defesa com a tarefa de abrir-se às coisas que se impõem.

Referências

TÜRCKE, Christoph. Filosofia do sonho. Trad. Paulo Rudi Schneider. Ijuí: Ed. Unijuí, 2010.
______. Hiperativos! Abaixo a cultura do déficit de atenção. Trad. José Pedro Antunes. Rev. Eduardo Guerreiro B. Losso. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.
______. Lehrerdämmerung: Was die neue Lernkultur in den Schulen anrichtet. München: C. H. Beck, 2016.
______. Mehr! Philosophie des Geldes. München: C. H. Beck, 2015.
______. O louco: Nietzsche e a mania da razão. Trad. Antônio Celiomar Pinto de Lima. Petrópolis: Vozes, 1993.
______. Sociedade excitada: filosofia da sensação. Trad. Antonio A. S. Zuin, Fabio A Durão, Francisco C. Fontanella, Mario Frungillo. Campinas: Ed. Unicamp, 2010.
______. Vom Kainszeichen zum genetischen Code: Kritische Theorie der Schrift. München: C. H. Beck, 2005.
Publicado
2021-08-28