Call For Papers - Dossiê “Gênero e Literatura: da Autoridade do Cânone Literário às Potências Narrativas” Out.-Dez. (2018)

A Entrelaces convida a comunidade acadêmica a participar da Chamada de Publicação para a Edição Out-Dez (2018), que aceitará submissões de artigos que contemplem a temática: Gênero e Literatura: da autoridade do cânone literário às potências narrativas

O gênero, como categoria de análise nas ciências humanas disseminada no Brasil a partir dos anos 1990, permitiu pensar a historicidade das relações entre homens e mulheres, desvendando e desnaturalizando mecanismos e dispositivos de produção de hierarquias e desigualdades em suas conexões com a política, economia e cultura. Como espaço de expressão sobre o mundo e de construção identitária, a literatura não tardou a ser interpelada por questionamentos em torno de seus cânones estabelecidos, muitas vezes, como há históricos, da indiferença da crítica à falta de diversidade de percepções e experiências de grupos sociais não presentes ou não representados na produção literária.

Estudo pioneiro e relevante, coordenado pela professora Regina Dalcastagnè (UnB), coordenadora do Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea, sobre a produção literária realizada entre os anos de 1990 e 2004, mostrou que a esmagadora maioria dos romances publicados, pelas principais editoras brasileiras, eram de autoria de homens brancos, retratando experiências eminentemente urbanas. 60% dos autores eram moradores das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, já estabelecidos em lugares como a academia e o mundo editorial. O perfil se estendia aos personagens, em sua maior parte, também homens, brancos, heterossexuais, de classe média, moradores de grandes centros urbanos.

Esta situação, aliada às dificuldades da crítica em “contaminar-se” com algo diferente do referendado como cânone e em repensar os critérios de literariedade, tem provocado a construção de cânones alternativos e de trabalhos realizados, muitas vezes, às margens, tanto por escritores como por pesquisadores que, de maneira interseccional, vêm pensando categorias como gênero, raça e classe. Um comportamento que, decerto, institui a disputa no campo literário, mas longe de condições de igualdade e reconhecimento.  As repercussões no ensino de literatura ainda são pouco presentes, tanto em termos curriculares como de pesquisa.  

Gênero e literatura foi tema de aula inaugural do semestre 2017.2, ministrada pela professora Eleonora Forenza , professora da Università degli Studi di Roma Tre e membro do Parlamento Europeu, no Auditório Rachel de Queiroz,  organizada pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC, com coordenação científica dos professores Yuri Brunello e Orlando Luís de Araújo, do PPGLetras/UFC. A professora Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist/UFC) e a mestranda Bárbara Ribeiro (PPGLetras) participaram como debatedoras. De tal evento a Edição Out-Dez. (2018) da Entrelaces quer apresentar as contribuições, acrescentadas de artigos a serem enviados sobre os seguintes temas: o gênero como elemento de tensão do cânone literário; gênero e representatividade na literatura; gênero e alternativas para a narrativa e pesquisa literárias; possibilidades para o ensino de literatura a partir das questões de gênero.

Para isso, a Entrelaces, Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Ceará, convoca interessados/as no tema para fazer publicar trabalhos em dossiê, organizado por Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist/UFC) e Eleonora Forenza, intitulado Gênero e Literatura: da autoridade do cânone literário às potências narrativas . Assim, pertencem ao escopo deste número trabalhos cujos pontos de partida sejam autores, obras e suportes (literários ou não) especialmente interessados nas questões supracitadas.

Período de submissão: 22/03/2018 a 22/06/2018

Para realizar submissão de artigo, acesse: http://periodicos.ufc.br/entrelaces/user/register

----------

The Entrelaces Journal invites the academic community to take part in the call for papers for the Edition Oct-Dec (2018) which theme is Gender and Literature: from the literary canon authority to power narratives.

Gender, as analysis category in Human Sciences disseminated in Brazil from the 1990’s, gave place to thinking the historicity of relations among men and women, unveiling and denaturalizing hierarchy and inequality mechanisms and devices in their connections with politics, economy and culture. As expression space about the world and identity construction, Literature did not long to be many times questioned about its established canons, as there are registers, from the criticism apathy to the lack of diversity of perceptions and experiences of social groups not present or not represented in the literary production.   

Pioneer and relevant study, coordinated by the professor Regina Dalcastagnè (UnB), coordinator of the Study Group on Contemporary Brazilian Literature, about the literary production of the years between 1990 and 2004, has shown that most of the novels published by the main Brazilian publishing houses, were written by fair skin men, depicting eminently urban experiences. Sixty per cent of the authors lived in Rio de Janeiro State and São Paulo State cities, already well stablished in academy and editorial trade. This profile was either extended to the characters, mostly men, fair skin, heterosexual, middle class, inhabitants of big urban centers.

This situation, allied to the criticism difficulties in “being polluted” by something different from the canon, and in rethinking the criteria for defining Literature, has resulted in the construction of alternative canons and works, many times, accomplished on the edges of society, both writers and scholars who have been thinking categories such as gender, race and class. Such behavior institutes dispute in the literary field, but away from the conditions of equality and recognition. The repercussions in the literary teaching are yet few present, both in terms of curriculum and research.     

Gender and Literature was the theme of the inaugural class of the semester 2017.2, conferred by the professor from the Università degli Studi di Roma Tre and member of the European Parliament Eleonora Forenza in the Rachel de Quieiroz Auditorium, organized by the Letras Postgraduation Program (PPGLetras/UFC), under the scientific organization of the professors Yuri Brunello and Orlando Luís de Araújo, from PPGLetras/UFC. The professor Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist/UFC) and the Masters student Bárbara Ribeiro (PPGLetras) took part as debaters. From that event the Entrelaces Edition of Oct-Dec (2018) intends to present the contributions and add papers to be sent under the following themes: gender as element of tension of the literary canon; gender and representativeness in Literature; gender and alternatives for the narrative and literary research; possibilities for the teaching of literature from the gender matters.

To achieve this, The Entrelaces, Journal of the Letras Postgraduation Program, invites researches interested in the theme to submit their papers to the dossier Gender and Literature: from the literary canon authority to power narratives organized by the professors Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist/UFC) and Eleonora Forenza. Thus, belong to the scope of this number works which starting points are authors, works and supports (literary or not) specially interested in the matters mentioned above.

Papers submission period: from March 22, 2018 to June 22, 2018.

To submit your paper access:

http://periodicos.ufc.br/entrelaces/user/register

----------

Entrelaces invita a la comunidad académica a participar en la llamada de publicación para la edición de otoño-diciembre (2018) que aceptará sumisiones de artículos que contemplen la temática: Género y Literatura: de la autoridad del canon literario a las potencias narrativas.

El género, como categoría de análisis en las ciencias humanas diseminadas en Brasil a partir de los años 1990, permitió pensar la historicidad de las relaciones entre hombres y mujeres, desvendando y desnaturalizando mecanismos y dispositivos de producción de jerarquías y desigualdades en sus conexiones con la política, economía y cultura. Como espacio de expresión sobre el mundo y de construcción identitaria, la literatura no tardó en interpelarse por cuestionamientos en torno a sus cánones establecidos, muchas veces, como hay históricos, de la indiferencia de la crítica a la falta de diversidad de percepciones y experiencias de grupos sociales no presentes o no representados en la producción literaria.

El estudio pionero y relevante, coordinado por la profesora Regina Dalcastagnè (UnB), coordinadora del Grupo de Estudios en Literatura Brasileña Contemporánea, sobre la producción literaria realizada entre los años 1990 y 2004, mostró que la abrumadora mayoría de los romances publicados, por las principales editoriales brasileñas , eran de autoría de hombres blancos, retratando experiencias eminentemente urbana. El 60% de los autores eran habitantes de las ciudades de Rio de Janeiro y São Paulo, ya establecidos en lugares como la academia y el mundo editorial. El perfil se extendía a los personajes, en su mayor parte, también hombres, blancos, heterosexuales, de clase media, habitantes de grandes centros urbanos.

Esta situación, aliada a las dificultades de la crítica en "contaminarse" con algo diferente del referendado como canon y en repensar los criterios de literariedad, ha provocado la construcción de cánones alternativos y de trabajos realizados, muchas veces, a margen, tanto por escritores como por investigadores que, de manera interseccional, vienen pensando categorías como género, raza y clase. Un comportamiento que, ciertamente, instituye la disputa en el campo literario, pero lejos de condiciones de igualdad y reconocimiento. Las repercusiones en la enseñanza de literatura todavía son poco presentes, tanto en términos curriculares como de investigación.

Género y literatura fue tema de clase inaugural del semestre 2017.2, impartida por la profesora Eleonora Forenza de la Università degli Studi di Roma Tre y miembro del Parlamento Europeo, en el Auditorio Rachel de Queiroz, organizada por el Programa de Post-Graduación en Letras de la UFC, con coordinación científica de los profesores Yuri Brunello y Orlando Luis de Araújo, del PPGLetras / UFC. La profesora Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist / UFC) y la master Bárbara Ribeiro (PPGLetras) participaron como polemistas. De tal evento la Edición Out-Diez. (2018) de Entrelaces quiere presentar las contribuciones, añadidas de artículos a ser enviados sobre los siguientes temas: el género como elemento de tensión del canon literario; género y representatividad en la literatura; género y alternativas para la narrativa e investigación literarias; las posibilidades para la enseñanza de la literatura a partir de las cuestiones de género.

Para eso, la Entrelaces, Revista del Programa de Post-Graduación en Letras de la Universidad Federal de Ceará, convoca a interesados en el tema para hacer publicar trabajos en dossier, organizado por Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist / UFC) y Eleonora Forenza, titulado Género y Literatura: de la autoridad del canon literario a las potencias narrativas. Así, pertenecen al ámbito de este número trabajos cuyos puntos de partida son autores, obras y soportes (literarios o no) especialmente interesados en las cuestiones citadas.

Período de envío: 22/03/2018 a 22/06/2018

Para realizar sumisión del artículo, accese:

http://periodicos.ufc.br/entrelaces/user/register

----------

La rivista Entrelaces invita la comunità accademica a inviare contributi per l’edizione ottobre-dicembre (2018), che accetterà articoli che contemplino la tematica: Genere e letteratura: dall’autorità del canone letterario alle potenze narrative - Gênero e Literatura: da autoridade do cânone literário às potências narrativas.

Il genere, in quanto categoria di analisi nell’ambito delle scienze umane si è diffusa in Brasile a partire dagli anni Novanta, permettendo di pensare la storicità delle relazioni tra uomini e donne e, allo stesso tempo, svelando e snaturando meccanismi e dispositivi di produzione di gerarchie e diseguaglianze nelle loro connessioni con la politica, l’economia e la cultura. Come spazio di espressione sul mondo e di costruzione identitaria, la letteratura non ha tardato a essere interpellata a proposito di questioni relative ai suoi canoni. Va ricordato come quest’ultimi sono stati stabiliti molte volte dall’indifferenza della critica nel tenere conto della diversità delle percezioni ed esperienze di gruppi sociali non presenti o non rappresentati nell’ambito della produzione letteraria.

Uno studio pioneiristico e significativo, pensato dalla professoressa Regina Dalcastagnè (UnB), coordinatrice del Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea – uma ricerca sulla produzione letteraria realizzata tra gli anni 1990 e 2004 –, ha mostrato che la grande maggioranza dei romanzi pubblicati dalle principali editrici brasiliane sono realizzazioni di uomini bianchi, che rappresentano esperienze in prevalenza urbane. Il 60% degli autori sono abitanti delle città di Rio de Janeiro e São Paulo, già operativi in luoghi quali l’università e il mondo editoriale. Il quadro, insomma, è quello di autori in prevalenza uomini, bianchi, eterossessuali, di classe media, abitanti di grandi centri urbani.

Questa situazione, insieme alle difficoltà della critica nel “contaminarsi” con un qualcosa di differente da quanto viene sancito come canone e nel ripensare i criteri della letterarietà, ha provocato la costruzione dei canoni alternativi e di lavori realizzati, molte volte, ai margini, tanto da scrittori quanto da ricercatori che, in maniera intersezionale, pensano categorie come genere, razza e classe. Un atteggiamento che, sicuramente, genera uma disputa interna al campo letterario, anche se il risultato è ben lontano dalle condizioni di uguaglianza e riconoscimento. Le ripercussioni di tali dinamiche nell’insegnamento della letteratura sono ancora poco presenti, tanto nell’ambito dell’insegnamento e della formazione quanto in termini di ricerca accademica.

Genere e letteratura è stato il tema della lezione inaugurale del semestre 2017.2, tenuta dalla professoressa Eleonora Forenza dell’Università degli Studi di Roma Tre e membro do Parlamento Europeo, nell’Auditorium Rachel de Queiroz. L’iniziativa è stata organizzata dal Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC, a cura dei professori Yuri Brunello e Orlando Luís de Araújo, del PPGLetras/UFC. La professoressa Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist/UFC) e la mestranda Bárbara Ribeiro (PPGLetras) hanno participato come discussants. Di tale evento l’edizione ottobre-dicembre (2018) di Entrelaces intende presentare i contributi, corredati da articoli da inviare sui seguenti temi: il genere come elemento di tensione del canone letterario; genere e rappresentatività nella letteratura; genere e alternative per la narrativa e la ricerca letteraria; possibilità per l’insegnamento della letteratura a partire dalle questioni di genere.

Entrelaces, dunque, rivista del Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Ceará, propone alle interessate e agli interessati un dossier, a cura di Ana Rita Fonteles Duarte (PgHist/UFC) e Eleonora Forenza, intitolato Gênero e Literatura: da autoridade do cânone literário às potências narrativas. La finalità di questo numero sono lavori, i cui punti di partenza siano autori, opere e apparati (letterari o non) coinvolti nelle questioni sopracitate.

Periodo di invio: dal 22/03/2018 al 22/06/2018

Per inviare l’articolo, accedere al seguente indirizzo: http://periodicos.ufc.br/entrelaces/user/register