NOTAS SOBRE CONSCIÊNCIA E LINGUAGEM NO EPISÓDIO ‘PROTEU’, DO ULYSSES, DE J. JOYCE

Rondinelly Gomes Medeiros

Resumo


Este artigo pretende mapear algumas referências filosóficas na composição e no enredo do episódio “Proteu”, do Ulysses, de James Joyce, privilegiando as relações entre os conceitos de duração, tempo e consciência de Henri Bergson e a técnica do fluxo de consciência ou monólogo interior no referido episódio. Consideramos algumas das principais interpretações críticas do texto de Joyce em ressonância com os desdobramentos da filosofia da vida e da consciência em Bergson para estabelecer as relações entre a obra literária e suas implicações filosóficas, bem como para sugerir alguns caminhos de interpretação do sentido da narrativa. Associamos, por fim, as conexões intrínsecas entre forma e conteúdo no enredo do episódio com as metamorfoses da imagem conceitual da duração, destacando o reposicionamento ao qual é conduzido o leitor diante do texto do episódio, em isomorfia com a posição que, no interior do texto do Ulysses, ocupam a linguagem em relação ao corpo e a consciência em relação à vida e à matéria existente.


Texto completo:

PDF

Referências


BERGSON, Henri. Sur le pragmatisme de William James: Vérité et Réalité. In: BERGSON, H. La pensée et le mouvant. Essais et conférences. 27ª ed. Paris: Presses Universitaires de France, 1950, pp. 239-251.

______. Introdução à Metafísica. Tradução: Franklin Leopoldo da Silva. In: Os Pensadores, vol. XXXVIII. São Paulo: Abril Cultural. 1974a, pp. 17-45.

______. Consciência e Vida. Tradução: Franklin Leopoldo da Silva. In: Os Pensadores, vol. XXXVIII São Paulo: Abril Cultural. 1974b, pp. 75-88.

______. O Riso: ensaio sobre a significação do cômico. Tradução: Nathanael C. Caixeiro. 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores. 1983.

DELEUZE, Gilles. A Imagem-Tempo. Tradução: Heloisa de Araújo Ribeiro. São Paulo: Brasiliense. 2005.

FERNIHOUGH, Anne. Consciousness as a stream. In: The Cambridge Companion to the Modernist Novel. Cambridge: Cambridge University Press. 2007, pp. 65-81.

GALINDO, Caetano. Sim, eu digo sim: uma visita guiada ao Ulysses de James Joyce. São Paulo: Companhia das Letras. 2016.

JOYCE, J. Ulysses. Tradução: Caetano Galindo. São Paulo: Companhia das Letras. 2012.

______. Ulysses. Commented Edition. Disponível em: http://www.joyceproject.com/index.php?chapter=proteus&notes=0# Acessado em 30 de julho de 2016.

KIBERD, Decklan. Introdução. Tradução: Guilherme Gontijo Flores. In: JOYCE, James. Ulysses. São Paulo: Companhia das Letras. 2012.

KLAWITTER, Robert. Henri Bergson and James Joyce's Fictional World. Comparative Literature Studies. Maryland-USA. Vol. 3, nº 4, pp. 429-437. 1966.

MORATO PINTO, Débora Cristina. Consciência e Memória. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes. 2013.

MORATO PINTO, Debora Cristina; MARQUES, Silene Torres (org). Henri Bergson: crítica do negativo e pensamento em duração. São Paulo: Alameda. 2009.

SANTO AGOSTINHO. Confissões. Tradução do latim e Prefácio de Lorenzo Mammì. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrelaces - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC

ISSN Digital 2596-2817

ISSN Impresso 1980-4571

Avaliação Qualis B2 (2013-2016) - LINGUíSTICA E LITERATURA

Indexadores de Base de Dados (IBDs)