HISTÓRIAS DE MENINOS AFEMINADOS: DIÁLOGOS COM AS PEDAGOGIAS CULTURAIS DA SEXUALIDADE

Samilo Takara

Resumo


Constituídas/os e constituintes de modos de ser, pensar e agir, as/os sujeitas/os que vivenciam o espaço escolar, o cinema, a literatura mantém ou modificam os discursos midiáticos, educacionais, políticos, culturais, sociais, éticos, estéticos e religiosos ao se posicionarem na ordem do discurso. Com base nas discussões que perpassam a construção da pesquisa em Estudos Culturais, problemáticas feministas e queer e os estudos foucaultianos denoto a seguinte problemática ser discutida nesta comunicação: As identidades gays, ao instabilizarem as certezas do espaço escolar, da vida social e da prática política de outros grupos culturais, propõem outras pedagogias culturais? Perpassando obras da literatura e do cinema, assumo a identidade sexual como uma potencialidade ao enfrentamento das certezas constituídas nas metanarrativas educacionais e proponho visibilizar o confronto entre a normalização sugerida pelas pedagogias culturais, com base nas questões subjetivas e objetivas propostas pela presença, pelos discursos e pela delicadeza dos meninos afeminados.

Texto completo:

PDF

Referências


CORNEJO, Giancarlo. A guerra declarada contra o menino afeminado. In: MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, 2012 (73-82).

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade II: o uso dos prazeres. trad. Maria Theresa da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. Technologies of the self (Université du Vermont, outubro, 1982; trad. F. Durant-Bogaert). In: Hutton (P.H.), Gutman (H.) e Martin (L.H.), ed. Technologies of the Self. A Seminar with Michel Foucault. Anherst: The University of Massachusetts Press, 1988, pp. 16-49. Traduzido a partir de FOUCAULT, Michel. Dits et écrits. Paris: Gallimard, 1994, Vol. IV, pp. (783-813). Acesso em: 26/05/2011. Disponível em: .

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos IX: genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. trad. Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

GOMES, Mayra Rodrigues. Poder no Jornalismo: Discorrer, Disciplinar, Controlar. São Paulo: Hacker Editores. Edusp, 2003.

HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

LARROSA, Jorge. Tecnologia do eu e educação. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis/RJ: Vozes, 1994. (35-86)

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: das afinidades políticas às tensões teórico-metodológicas. Educação em Revista. n. 46. UFMG: Belo Horizonte, 2007. (201-218).

MISKOLCI, Richard. Reflexões sobre normalidade e desvio social. In: Estudos de Sociologia. UNESP-Araraquara 13/14, 2003 (109-126). Acesso em: 20 de abril de 2011. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/estudos/article/view/169.

SABAT, Ruth. Pedagogia cultural, gênero e sexualidade. Estudos Feministas. Florianópolis (SC): v.09, n.01, 2001. (9 – 21).

WAGNER, Irmo; SOMMER, Luis Henrique. Mídias e Pedagogias culturais. ULBRA, 2007. Disponível em: http://guaiba.ulbra.br/seminario/eventos/2007/artigos/pedagogia/262.pdf. Acesso em: 30/03/2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrelaces - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC

ISSN: 1980-4571

Qualis B2