A ESCRITA DE SI: HISTÓRIA E MEMÓRIA EM DIARIOS DE MOTOCICLETA

Christiane Silveira Batista, Paulo Custódio de Oliveira

Resumo


A escrita de si é composta por toda gama de narrativas da memória, incluindo o diário íntimo, que neste estudo é compreendido segundo as definições de alguns autores como Maurice Blanchot (2005). O diário se constitui como um documento que pode abordar desde aspectos políticos, sociais e históricos, até os relatos de viagem. Ou ainda ser uma mescla de tudo isso, como ocorre em Diarios de Motocicleta (2005) - obra que é uma das edições do primeiro diário escrito por Ernesto Guevara de la Serna quando ainda não havia se tornado o “Che”. Nesse documento o autor-narrador revela não apenas o itinerário de sua primeira grande viagem, mas também faz considerações acerca do que viu, sentiu e viveu. Seu texto expõe situações que ficaram registradas em suas anotações e em sua memória – já que a obra foi revisada e narrativizada por ele cerca de um ano após o término da viagem – e se configura como uma tentativa do autor de conhecer a si próprio e a seus conterrâneos latino-americanos por meio da escrita. Já o leitor é um convidado a desfrutar de um passeio pela América Latina e a refletir sobre o que lê.


Texto completo:

PDF

Referências


BLANCHOT, Maurice. O diário íntimo e a narrativa. In: ______. O livro por vir. São Paulo: Martins Fontes, 2005. p. 270-278.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre incertezas e inquietações. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2002.

COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Tradução de Cleonice Paes Barreto Mourão e Consuelo Fortes Santiago. 2a ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

ECO, Humberto. Entrando no bosque. In: ______. Seis passeios pelo bosque da ficção. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 1994. p. 7-31.

FONSECA, Aleilton. Escreviver: (Des) encontros da ficção com a biografia/ Écrivivre: les encontres (im)possibles entre la fiction et la biographie. In: BEDASSE, Raimunda. (org.). A (auto) Biografia/ L’(Auto)Biographie. Feira de Santana: Universidade Federal de Feira de Santana; Tours: Université François Rabelais, 2005.

GUEVARA, Ernesto Che. Diarios de Motocicleta. Notas de un viaje por América Latina. 3ª ed. Buenos Aires: Planeta, 2005.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.

LEJEUNE, Philipe. O pacto autobiográfico. Tradução e organização de Jovita Maria Gerheim Noronha. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

JUNQUEIRA, Mary Anne (Org.); FRANCO, Stella Maris Scatena (Org.). Cadernos de Seminários de Pesquisa (vol.II). São Paulo: USP-FFLCH-Editora Humanitas, 2011. v. 1. 129 p.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 2004.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Catástrofe, história e memória em Walter Benjamin e Chris Marker: A escritura da memória. In: ______. (Org.). História, memória, literatura: o testemunho na Era das Catástrofes. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2003. p. 387-413.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrelaces - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC

ISSN: 1980-4571

Qualis B2