BERADÊRO: UMA LEITURA DA CANÇÃO DE CHICO CÉSAR SOB O VIÉS DO IMAGINÁRIO

Pedro Piccoli Garcia

Resumo


Exercita-se, no artigo, a análise das imagens poéticas. Parte-se do pressuposto de que a leitura é um processo não passivo e que o leitor participa da fruição reelaboradora do texto, agregando à interpretação as suas experiências pessoais. À luz dos preceitos do teórico francês Gaston Bachelard, compreende-se que a imagem, enquanto produto da alma, tem um ser próprio e que se modifica com a ação consciente do leitor. Com base nisso, propõe-se uma interpretação da canção Beradêro, do músico paraibano Chico César, a partir do mapeamento das imagens e da reflexão acerca do sentido que assumem.


Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

­______. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

______. A terra e os devaneios do repouso: ensaio sobre as imagens da intimidade. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

______. A terra e os devaneios da vontade: ensaio sobre a imaginação das forças. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

______. O ar e os sonhos: ensaio sobre a imaginação do movimento. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

CÉSAR, Chico. Aos vivos. São Paulo: Velas, 1995. 1 disco (49 min).

FRONCKOWIAK, Ângela. PERKOSKI, Norberto. Vivências poéticas: mobilizando leitores. In: GOMES, Leny da Silva. GOMES, Neiva Maria Tebaldi. Aprendizagem de língua e literatura: gêneros e vivências de linguagem. Porto Alegre: UniRitter, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrelaces - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC

ISSN: 1980-4571

Qualis B2